Câmpus apresenta demandas a vereadores em sessão itinerante


O desenvolvimento de uma região depende da atuação conjunta de todos os setores e da valorização da educação. Este foi o mote que norteou a sessão itinerante da Câmara de Vereadores de Canoinhas realizada na noite de terça-feira (6), no Câmpus Canoinhas, com a presença dos vereadores, do vice-prefeito Renato Pike, de servidores e alunos do IFSC e de moradores. O comprometimento dos órgãos públicos e da iniciativa privada para geração de mais empregos e de incentivo ao empreendedorismo e a implantação da meia passagem, para facilitar o acesso dos alunos à escola, foram as principais reivindicações da comunidade.

“Nós estamos aqui atuando diretamente no desenvolvimento dessa região. Vocês que nos ajudaram a trazer o IFSC pra cá. Mas, sozinha, uma andorinha não vai fazer verão. A gente precisa continuar, mas com qualidade: com empregabilidade, com ensino de qualidade. Queremos que nossos alunos tenham onde trabalhar. Nós formamos nossos alunos para o Brasil e para o mundo, mas queremos que eles fiquem aqui”, enfatizou a diretora-geral do Câmpus Canoinhas, Maria Bertília Oss Giacomelli.

Desde o primeiro curso, em 2011, até agora, o Câmpus Canoinhas já formou 1.447 profissionais, em cursos de qualificação e nos cursos técnicos. Os números foram apresentados pela chefe do Departamento de Ensino, Pesquisa e Extensão, Juliete Alves dos Santos Linkowski, que falou sobre os cursos ofertados, projetos de pesquisa, projetos de extensão e estágio. “O IFSC está mexendo com outros setores do município e, se queremos crescer, precisamos ter um olhar para isso”, declarou.

O crescimento do Câmpus Canoinhas também foi abordado pelo chefe do Departamento de Administração, William Sadao Hasegawa, que lembrou que o crescimento do IFSC precisa estar atrelado ao fortalecimento da região. “O instituto quer promover a educação profissional e tecnológica nas suas diversas modalidades, atendendo aos arranjos produtivos locais em parceria com a sociedade, com as empresas e organizações, para que juntos possamos desenvolver a pesquisa e a extensão”, ressaltou.

Meia passagem

Outra grande preocupação do Câmpus Canoinhas apresentado na sessão itinerante da Câmara de Vereadores é o gasto dos alunos com o transporte escolar. Conforme a assistente social do câmpus, Patricia Maccarini Moraes, o custo do transporte é um dos fatores para a evasão escolar, principalmente para quem precisa usar dois ônibus para chegar ao IFSC, localizado no bairro Campo da Água Verde. “É um impacto financeiro no orçamento da família”, disse a assistente social, com base em um levantamento de dados realizado junto aos alunos, no início deste ano.

Como o sistema de transporte urbano não é integrado e cada passagem custa R$ 2,75, um aluno que mora no outro lado da cidade gasta R$ 11 reais por dia com o transporte, o que soma cerca de R$ 220 por mês. Já a mensalidade para quem usa van escolar custa entre R$ 150 e R$ 250 reais, dependendo da localidade. “Faltam políticas que incentivem o transporte público”, afirmou.

Os alunos do curso superior de tecnologia em Alimentos, João Victor Tischler Nizer, Mariane Daniele Munhoz e Danieli Barão dal Comuni também fizeram uso da tribuna livre para reivindicar a meia passagem. “Embora pareça um valor baixo, o preço da passagem pesa no bolso quando se multiplica por duas ou quatro vezes ao dia e durante todo o mês”, comentou João Victor. “É uma necessidade plausível para os estudantes”, confirmou Mariane, sobre a meia passagem. Para Danieli, o transporte público também peca em rotas e horários.

Segundo João Victor, a aprovação do projeto da meia passagem vai trazer muitos benefícios, como a utilização mais rotineira do transporte público, evitando assim congestionamentos, possíveis acidentes e poluição. “A meia passagem também incentivaria o acesso à cultura, porque muitos alunos deixam de ir ao cinema e eventos culturais porque não têm dinheiro para o transporte”, complementou Danieli.

Projetos em pauta

A conversa entre vereadores e comunidade escolar começou a surtir efeito na própria sessão itinerante, quando os vereadores apresentaram dois projetos importantes para beneficiar os alunos que usam o transporte escolar. O projeto da meia passagem estudantil foi apresentado pela vereadora Zenici Dreher, que tem um filho que estuda no IFSC e usa o transporte particular, justamente pelo alto valor do transporte público.

“Precisamos lutar pelo direito da coletividade”, declarou ao lembrar que é preciso considerar a extensão territorial do município, os moradores das áreas rurais, o acesso e a permanência dos estudantes. “Precisamos compreender a educação como direito social e de política pública”, diz a vereadora. O projeto também vai contemplar idosos canoinhenses que tenham entre 60 e 65 anos de idade.

Outro projeto importante foi apresentado pelos vereadores Camila Lima e Paulinho Basílio, propondo a regulamentação do transporte escolar universitário, com subsídio a alunos regularmente matriculados em cursos superiores e profissionalizantes, cujas famílias tenham renda mensal de até três salários mínimos. A ideia é que os dois projetos sejam discutidos em audiências públicas, além da análise nas comissões.

Ao fazer o uso da palavra, o vice-prefeito Renato Pike comentou sobre a cozinha comunitária próxima ao câmpus e que deverá ser inaugurada em breve. Ele propôs a possibilidade de convênio com o IFSC para atender aos alunos em vulnerabilidade social.

Homenagem

A sessão itinerante da Câmara de Vereadores também foi marcada pela homenagem ao aluno Diego Vozniak dos Santos, do terceiro semestre do curso técnico integrado em Edificações, que recebeu menção honrosa na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep 2016). O diploma foi entregue durante o evento para exemplificar os bons resultados que os alunos do câmpus sempre têm conquistado em todos os eventos, olimpíadas e projetos que participam. Esta foi a primeira participação do Câmpus na Obmep.

“Preciso que trabalhemos todos juntos para fazer isso aqui crescer. E a gente tem que acreditar mais nessa região, temos muito a avançar”, disse a diretora Maria Bertília. “Deixo uma reflexão: que futuro queremos para a nossa região?”

Por Liane Dani | Jornalista IFSC

Com fotos e informações da Assessoria de Imprensa da Câmara de Vereadores de Canoinhas

AddThis Social Bookmark Button
   
Estude no IFSC - Vagas abertas - Clique aqui
 
 Cadastro de interesse

Observatório de egressos

Carta de serviços ao cidadãoAcesso à informação
Ouvidoria
Desenvolvido em Joomla!