Câmpus Criciúma comemora sete anos de criação


O Câmpus Criciúma do IFSC celebrou sete anos de aniversário nesta sexta-feira (01), com uma cerimônia que foi marcada pela inauguração da Usina Fotovoltaica, a entrega das chaves dos laboratórios de Sistemas Elétricos de Potência (SEP) e de Processos Químicos, e pela assinatura da ordem de serviço para o início da construção do novo bloco do câmpus.


“Estamos comemorando sete anos com o Câmpus Criciúma já em processo de consolidação e de expansão com novos cursos e implantando uma usina que traz um novo conceito de sustentabilidade e de economia financeira. É muito importante a presença do IFSC nesta região como instituição pública. Com o novo bloco, teremos mais um curso de ensino superior e mais laboratórios. Sabemos que o sul catarinense precisa do IFSC e, cada vez mais, queremos ofertar educação de excelência para a região”, afirmou a reitora Maria Clara Kaschny Schneider, agradecendo também a bancada federal catarinense no apoio às demandas orçamentárias do IFSC em Brasília.

A reitora ainda destacou a força dos alunos da instituição no levantamento de demandas de seus câmpus, especialmente a participação efetiva dos representantes do Câmpus Criciúma. “A participação dos alunos é fundamental, pois eles levam demandas e sugestões para a Reitoria com um olhar crítico a respeito das questões para o seu desenvolvimento enquanto estudantes. Passamos em tão pouco tempo de três câmpus para 22 e de 400 servidores para os atuais 2,5 mil. Nossa expansão foi muito rápida, somos um dos institutos federais que mais cresceu no país, e é natural que hajam muitas demandas ainda a serem respondidas. Nesse sentido, é muito importante o apoio da comunidade, dos servidores, da gestão dos campus e dos nossos estudantes, que nos instigam a melhorar sempre. A educação pública é a única possibilidade de transformação social”, declarou. 

O diretor-geral do câmpus, Lucas Dominguini, ressaltou as conquistas da instituição em Criciúma e região, como a contratação de novos servidores por meio de concurso público, a ampliação no número de vagas e de novos cursos, como o de Engenharia Civil que inicia em 2018, e a expansão física do câmpus. “Nossa missão é a de promover a inclusão social por meio da educação profissional tecnológica, levando o IFSC para toda a região da Amrec [Associação dos Municípios da Região Carbonífera] enquanto única instituição que oferta ensino superior público gratuito. Entregamos mais dois laboratórios hoje, ofertamos cursos em polos na região, na Penitenciária Sul e para mulheres em situação de vulnerabilidade social, dando oportunidade de qualificação profissional, e inauguramos uma usina que traz, não só o conceito de sustentabilidade ambiental, mas também um apelo tecnológico para os nossos alunos, por meio do ensino”, afirma.

Dominguini ainda salientou o trabalho da equipe de servidores do Câmpus Criciúma, que não mediu esforços para viabilizar os novos projetos que estão em desenvolvimento na instituição. “Em menos de um ano, conseguimos viabilizar os projetos de ampliação da estrutura física, com a assinatura da ordem de serviço para a construção do novo bloco hoje. Damos um importante passo para esse processo de expansão do Câmpus Criciúma, mesmo em tempos de redução orçamentária, contando com o importante apoio da bancada federal catarinense”, afirmou. 

O deputado federal João Paulo Kleinübing, coordenador do Fórum Parlamentar Catarinense, informou durante a cerimônia a viabilização de R$ 50 milhões de reais para o IFSC em 2018 pela bancada federal catarinense. “Vamos trabalhar para conseguir a liberação dessas emendas, pois o modelo de expansão dos institutos federais é uma grande ação realizada nos últimos anos. É a rede mais democrática e presente em todo o estado de Santa Catarina”, destacou. 

O também deputado federal Jorge Boeira ressaltou seu empenho em garantir que os institutos federais alcancem educação de excelência em todas as regiões do estado. “Acredito no meu país e, principalmente, no trabalhador brasileiro. Fui aluno da UFSC e, enquanto fazia Engenharia Mecânica, era professor na Escola Técnica Federal de Santa Catarina [atual IFSC]. Portanto, e a partir disso, construí minha vida. E tenho convicção que, se eu tive oportunidades, tenho que lutar para que vocês estudantes também tenham”, declarou.

Logo após o descerramento da placa de inauguração da Usina Fotovoltaica, houve o corte do bolo comemorativo aos sete anos do Câmpus Criciúma, no hall da instituição. EVereadores, representantes da Cooperativa Fumacense de Eletricidade (Cermoful), a pró-reitora de Administração do IFSC, Aline Heinz Belo, o pró-reitor de Ensino do IFSC, Luiz Otávio Cabral, gestores dos câmpus Criciúma, Florianópolis, Tubarão e Garopaba do IFSC e outras autoridades da região também estiveram presentes.

 

Usina Fotovoltaica - Funcionando plenamente desde o dia 19 de outubro, a Usina Fotovoltaica conta com 225 painéis solares instalados no telhado do câmpus, além de cinco inversores, e uma capacidade de gerar 8.400kwh por mês, o equivalente ao consumo de 35 unidades residenciais. A expectativa é que a produção de energia solar resulte em uma economia de 40% na conta de luz do câmpus. Os painéis foram instalados pela empresa Alba Energia e Automação, de Minas Gerais, vencedora da licitação realizada em 2016. O investimento é de R$ 442.034,29, oriundos de uma emenda parlamentar do deputado federal Jorge Boeira.  

Laboratório de Sistemas Elétricos de Potência (SEP) – É uma rede didática de alta tensão e de baixa tensão multiplexada, doada pela Cooperativa Fumacense de Eletricidade (Cermoful), de Morro da Fumaça, cidade próxima a Criciúma. Instalados na área frontal do câmpus, os postes que simulam uma rede elétrica beneficiarão principalmente os alunos do curso técnico em Eletrotécnica e de cursos de qualificação profissional.  

Laboratório de Processos Químicos – Reúne uma série de equipamentos que simulam processos produtivos industriais, qualificando a formação dos futuros profissionais formados no curso técnico em Química e nos cursos superiores. O investimento total foi de cerca de R$ 250 mil - em grande parte, obtidos com recursos de projetos de pesquisa. As bancadas foram construídas pelos alunos do curso técnico em Edificações. 

Novo bloco – O novo bloco do Câmpus Criciúma contará com uma área de aproximadamente 1,2 mil metros quadrados, distribuídos em dois pavimentos e dez salas de aula, permitindo a ampliação das atuais 1,2 mil vagas oferecidas para 2 mil vagas. A construção do bloco de salas de aula está orçada em R$ 2,9 milhões. Os recursos são provenientes da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec) do Ministério da Educação (MEC), de uma emenda parlamentar do deputado federal Jorge Boeira e de contrapartidas do IFSC. 

Histórico

A implantação do Câmpus Criciúma fez parte da segunda etapa de expansão do IFSC, a partir de 2009. Localizado no bairro Vila Rica, o Câmpus foi inaugurado oficialmente em 29 de novembro de 2010.


Atualmente, o Câmpus Criciúma oferece três cursos técnicos integrados ao Ensino Médio (Química, Mecatrônica e Edificações), dois cursos técnicos subsequentes ao Ensino Médio (Edificações e Eletrotécnica) e três cursos de graduação (Engenharia Mecatrônica, Licenciatura em Química e Engenharia Civil, a partir de 2018). Também são oferecidos cursos de Formação Inicial e Continuada (FIC), muitos deles em parceria com instituições como Gerência Regional de Educação, Penitenciária Sul e prefeitura de Urussanga.  

Por Jornalismo IFSC | Câmpus Criciúma

AddThis Social Bookmark Button
   
Estude no IFSC - Vagas abertas - Clique aqui
 
 Cadastro de interesse

Observatório de egressos

Carta de serviços ao cidadãoAcesso à informação
Ouvidoria
Desenvolvido em Joomla!