Audiência no IFSC debate transporte público no Médio Vale do Itajaí

 

Audiência pública realizada pela Câmara de Vereadores de Gaspar nesta quarta-feira (17) busca encontrar soluções para a melhoria do transporte público na região do Médio Vale do Itajaí. Realizada no Câmpus Gaspar, a audiência contou com a presença de vereadores e do vice-prefeito de Gaspar, Luís Spengler Filho, representantes do Departamento de Transportes e Terminais (Deter), do Serviço Municipal de Trânsito e Transporte de Blumenau (Seterb), Diretoria Geral de Trânsito de Gaspar (Ditran), moradores do bairro Bela Vista (onde fica o câmpus do IFSC) e alunos e servidores do Câmpus Gaspar.

Após mais de duas horas de discussões, foram tomados alguns encaminhamentos como a criação de uma comissão formada pelo Seterb, Ditran, prefeituras de Gaspar e Blumenau, IFSC, Associação de Moradores e Ministério Público para avaliar medidas que viabilizem a integração entre os transportes coletivos das cidades da região.

Desde o fim do contrato da prefeitura de Blumenau com o consórcio Siga em janeiro de 2016, que era a empresa responsável pelo transporte público da cidade, alunos e servidores do Câmpus Gaspar e moradores do bairro Bela Vista têm encontrado dificuldades em se locomover entre Gaspar e Blumenau. Isso porque os ônibus que antes vinham de Blumenau e entravam no bairro Bela Vista deixaram de fazer este percurso. Com isso, alunos e servidores eram obrigados a embarcar e desembarcar em pontos à margem da rodovia e ir a pé até o Câmpus. Dificuldade que tem contribuído inclusive para a evasão escolar.

 

Com o retorno da linha entre Blumenau, Gaspar e Ilhota da empresa Verde Vale há poucos dias parte do problema foi resolvido porque os ônibus voltaram a circular dentro do bairro. Mas o sistema não é integrado e muitos alunos que moram em Blumenau e precisam se deslocar até o IFSC precisam pagar duas passagens para chegar ao Câmpus.

“Nós estamos aqui assumindo a voz dos alunos, servidores e da comunidade. Somos uma instituição de ensino que busca atender a microrregião e temos alunos e servidores que transitam entre Ilhota, Gaspar e Blumenau. O que nós temos observado é que, em alguns casos, os alunos precisam sair uma hora antes para conseguir pegar o ônibus, temos alunos menores de idade que precisam embarcar e desembarcar dos ônibus nas marginais da rodovia. Com a falta de integração entre os transportes, nós perdemos muito”, avalia a diretora-geral do Câmpus Gaspar, Ana Paula da Silveira.

 

O chefe do Departamento de Administração do Câmpus Gaspar, Nilson Leal, falou das reuniões que já foram realizadas com vereadores de Gaspar, com o prefeito de Blumenau e questionou se as novas licitações de ônibus para Gaspar e Blumenau já preveem uma integração entre os municípios. Já que em julho, a empresa Blumob assume o transporte de Blumenau e em breve deve ser lançado um novo edital de licitação em Gaspar. “Precisamos resolver esse problema que não é só do IFSC.”

 

Para o representante do Deter presente na audiência, Cristiano Blank, uma das soluções seria trabalhar para a criação de uma região metropolitana. “A lei de transporte de Santa Catarina é de 1980, ou seja, tem 37 anos e muitos desses problemas não estão previstos em lei. O Estatuto das Cidades obriga que sejam pensadas ações para promover o transporte integrado, mas isso não vem sendo aplicado.”

 

Durante a audiência, alunos e servidores do Câmpus Gaspar falaram das dificuldades que enfrentam para utilizar transporte público e lembraram que está na Constituição Federal de 1988 o direito à educação e que a partir do momento em que não se asseguram condições para o transporte dos alunos esse direito acaba não sendo respeitado.

 

Por Beatrice Gonçalves / Jornalismo IFSC

AddThis Social Bookmark Button
   
Estude no IFSC - Vagas abertas - Clique aqui
 
 Cadastro de interesse

Observatório de egressos

Carta de serviços ao cidadãoAcesso à informação
Ouvidoria
Desenvolvido em Joomla!