Mostra promove integração e reflexões sobre função da arte


De concreto, a 2ª Mostra de Arte do Câmpus Joinville, realizada entre os dias 20 e 25 de novembro, deixou o graffiti na parede externa da cantina e os registros fotográficos de todos os eventos realizados durante a semana, o que ajuda a dar ideia da diversidade artística e dos talentos existentes na escola. Mas as maiores conquistas da Mostra estão no campo subjetivo: o acesso à arte e cultura, formação de plateia, experiência dos alunos enquanto sujeitos socioculturais e a reflexão sobre a função da arte.


"A arte tem o papel de chamar a atenção das pessoas para a observação subjetiva de quem está no contexto", destaca a professora da área de Artes da Universidade da Região de Joinville (Univille), Alena Rizi Marmo, que fez a palestra de abertura da programação, no dia 20. Seguindo o tema "A arte como sintoma e o artista como antena do mundo", Alena falou sobre a história da arte, criticou as manifestações de censura e destacou o papel da arte de mudar o mundo para melhor.


O tema deste ano da Mostra, Arte e Resistência, também esteve presente nas demais atividades desenvolvidas: mostra de peças teatrais da unidade curricular de Arte/Artes Cênicas e do projeto de extensão da Cia de Teatro do Câmpus Joinville, leitura dramática do projeto de extensão Dcênico, apresentação de dança da Cia de Dança do IFSC – Câmpus Joinville, exibição de filmes e documentários produzidos nas aulas de História, Geografia, Inglês e Espanhol, exposição de fotografias enviadas pelos alunos e apresentações musicais.


A novidade da Mostra de Arte deste ano foi a participação de grupos externos, como o Grupo de Teatro da Casa da Cultura, que, além de mostrar seu trabalho, também acompanhou as apresentações locais. No graffite, a participação dos grafiteiros Thaiz Zaffalon, Paulo Agostini e Guilherme Luã Pereira possibilitou a realização de uma oficina com bate-papo sobre a história do graffiti e seus diferentes estilos e uma atividade prática.


"A nossa 2ª Mostra de Arte foi um momento de encontro, de trocas e de integração, não só entre os alunos e entre alunos e servidores, mas também com a comunidade externa. Tivemos a presença de pais e amigos de alunos, presença querida, que elogiaram muito a qualidade do nosso trabalho. A mostra deste ano proporcionou momentos de reflexão sobre a função da arte e também alguma emoção", avalia a coordenadora do projeto e professora de Arte do Câmpus Joinville, Luciana Cesconetto.


Para os alunos Everton Thiago Luz, Victória Uhlmann e Michele Lenz, do oitavo módulo do técnico integrado em Eletroeletrônica, apresentar na Mostra para um público além da sala de aula foi uma experiência importante. "A gente achou que não ia conseguir, porque nos ensaios a gente ria muito e não conseguia se concentrar. Mas, agora que passou, a gente vê que ficou muito bom", contam os alunos, que apresentaram uma adaptação da peça Brasília, de David Ives.


"É uma experiência que a gente não teria se não fosse no IFSC, até porque nem todas as escolas têm aula de teatro", complementam os estudantes, lembrando alguns benefícios proporcionados pelo teatro que servem para a vida, como desenvolvimento da fala, postura de apresentação, foco e concentração.


O projeto da 2ª Mostra de Arte do Câmpus Joinville contou com recursos aprovados pelo Edital 15/2017 – Mostra de Arte e Cultura Didascálico, da Pró-Reitoria de Extensão do IFSC.


Confira as fotos na nossa página no Facebook.


Por Liane Dani | Jornalista IFSC

AddThis Social Bookmark Button
   
Estude no IFSC - Vagas abertas - Clique aqui
 
 Cadastro de interesse

Observatório de egressos

Carta de serviços ao cidadãoAcesso à informação
Ouvidoria
Desenvolvido em Joomla!