Pular para o conteúdo

Notícias

Câmpus Caçador apresenta trabalhos ligados ao ensino, pesquisa e extensão

PESQUISA Data de Publicação: 20 set 2018 13:50 Data de Atualização: 20 set 2018 13:53

Câmpus Caçador trouxe ao Seminário de Ensino, Pesquisa, Extensão e Inovação (Sepei 2018) trabalhos desenvolvidos no ensino, pesquisa e extensão - tripé dos Institutos Federais. Uma das atrações do estande são os drones, equipamentos tecnológicos responsáveis por monitoramento, filmagens e tarefas mais arriscadas para o ser humano realizar. Ao todo foram adquiridos sete drones, que fazem parte de um projeto de extensão aprovado no início de 2018.

Os equipamentos são usados pelos alunos do curso Técnico em Informática durante as oficinas ministradas nas escolas municipais e estaduais, em turmas a partir do nono ano do Ensino Fundamental. O objetivo da atividade é proporcionar o contato com as novas tecnologias. “É também uma forma de incentivar os estudos na área das exatas”, diz o coordenador de extensão do Câmpus Caçador, Greyson Rech.

O conteúdo abordado com os alunos explica aspectos gerais sobre o drone, como sua legislação, programação e funcionamento na prática. São feitos grupos para as oficinas, que acontecem nas aulas de Ciências e Matemática nas escolas. 

Produção própria

O câmpus também está trabalhando com um projeto de pesquisa para a construção de um drone. Para Greyson é uma forma de aliar a teoria à prática. “A criação desses equipamentos estimula muito os alunos, e assim os conhecimentos adquiridos nas áreas de informática e desenvolvimento de software podem ser aplicados”, explica. 

O objetivo também é inscrever o projeto na Competição Fórmula Drone SAE Brasil, que visa o desenvolvimento de um drone que cumpra as tarefas do desafio técnico. Segundo Greyson, a ideia é participar em 2019. 

Bem comum

Pelo fato de cães de rua muitas vezes tornarem-se portadores de doenças, devido aos seus métodos alimentares hematófagos, os alunos Eduarda Alves, Gabrielle Haas e Guilherme Vilan, sob a orientação do professor Marco Antônio Torrez Rojas, desenvolvem o trabalho Sistema automatizado de alimentação para cães de rua na cidade de Caçador, apresentado no Sepei 2018.  

A iniciativa dirigida aos animais em estado de desnutrição consiste em um comedouro automatizado por microcontroladores (arduino), além de um sistema de gerenciamento e um aplicativo móvel. Assim, através de tubos de PVC, acontece o monitoramento do controle de nível de ração no comedouro, utilizando plataforma com microcontroladores e sensores ultrassônicos, que se comunicam por meio da internet. Dessa forma, enviando e recebendo dados atuais sobre o comedouro por meio do aplicativo, há ainda o compartilhamento de informações entre os comedouros e usuários do sistema. 

Prática para teoria

No ensino, buscando melhorar a didática no que se refere à energia elétrica, o Câmpus desenvolveu um sistema off-grid - sistema isolado de energia solar que não é conectado à rede de distribuição de energia elétrica e funciona em local determinado - aplicado no curso Técnico em Eletromecânica. A energia abastece um painel utilizado para explicar o funcionamento de disjuntores, lâmpadas e circuitos elétricos. 

Na prática, a energia, produzida pelo sol por meio da placa fotovoltaica (bloco gerador), é armazenada em uma bateria (bloco de armazenamento) e, em seguida, o inversor (bloco de potência) transforma a corrente contínua em alternada, fornecendo energia para a carga (painel didático).

PESQUISA