Pular para o conteúdo

Notícias

Professores finlandeses visitam IFSC para intensificar parceria em Ensino e Pesquisa

INSTITUCIONAL Data de Publicação: 05 nov 2018 14:07 Data de Atualização: 06 nov 2018 08:33

O Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) recebeu entre quarta, 31, e quinta-feira, 1º, os professores Joni Kukkamäki e Vesa Salminen da universidade HAMK, da Finlândia. Acompanhados pela assessora de Assuntos Estratégicos e Internacionais do IFSC, Raquel Matys Cardenuto, os professores visitaram os Câmpus LagesContinente e Florianópolis.

Durante a programação, se reuniram com gestores, encontraram alunos orientados por eles na Finlândia e visitaram laboratórios, o parque tecnológico Órion, em Lages, e polos de pesquisa e inovação. 

Em Florianópolis, Kukkamäki e Salminen se reuniram com a reitora do IFSC, Maria Clara Kaschny Schneider, o pró-reitor de Pesquisa, Pós-graduação e Inovação, Clodoaldo Machado, e o chefe do Departamento de Inovação, Luiz Henrique Castelan Carlson. No Câmpus Continente, alunos da turma do Superior de Gastronomia e do curso técnico em Restaurante e Bar do IFSC prepararam e serviram o almoço para o grupo. 

“É muito bom receber os professores e principalmente ver a disposição deles para intensificar nossa parceria. Já tivemos professores visitando a universidade na Finlândia e 11 alunos participando de projetos pelo Propicie. Queremos receber alunos de lá também, fazer intercâmbio entre professores e ter projetos em conjunto”, destacou Maria Clara.

Ensino na Finlândia

Em sua primeira visita ao Brasil, especialmente para conhecer o IFSC, os professores reforçaram a vontade de estreitar ainda mais as relações com o Instituto e falaram sobre as percepções relacionadas ao ensino e à profissão de professor na Finlândia. 

“O modelo de ensino é mais dinâmico e todo mundo aprende com todo mundo. Os professores aprendem com os alunos, especialmente no mestrado, mas em todos os níveis. É um jeito muito inteligente de ensinar porque os alunos vivem o aprendizado na prática e podem ter conhecimentos mais aprofundados que os professores em certas áreas”, explica Salminen. 

Os professores têm liberdade para escolher os métodos e materiais usados em salas de aula e o currículo destaca competências abrangentes e transversais. Os estudantes aprendem a assumir responsabilidades, resolver problemas e os fundamentos para o aprendizado levam em conta experiências pessoais, emoções, interesses e habilidades de interação e expressão. 

“Não importa como você aprenda, o mais importante é que você aprenda. A escola deve ser capaz de oferecer possibilidades para que o aluno realmente desenvolva o conhecimento. As pessoas aprendem de maneiras diferentes, umas aprendem melhor ouvindo, outras fazendo, outras observando, e nós temos que apoiar todas essas maneiras”, destaca Kukkamäki.  

Quando perguntado sobre como é ser professor no país europeu, Kukkamäki se surpreendeu com a questão. “Essa pergunta é interessante porque eu nunca, nunca mesmo, pensei sobre esse tipo de coisa. Para mim, é só um jeito de fazer algo, especialmente na parte de pesquisa, e trabalhar com outras pessoas para fazer coisas relevantes e resolver problemas da vida real. É um trabalho como qualquer outro, não acho que por estar no meio acadêmico  sei algo mais importante do que outra pessoa", diz. 

Parceria entre instituições já dura quatro anos

A parceria entre IFSC e HAMK começou há quatro anos, com a assinatura do acordo de intercâmbio, cooperação universitária e de pesquisa em 2015. Os alunos vão para instituição finlandesa, focada em cursos superior de tecnologias, pelo Programa de Intercâmbio Internacional para Estudantes do IFSC, o Propicie. 
“No Brasil a gente tem os institutos federais e as universidades. Lá eles têm as universities e as universities applying of science que são mais focadas em cursos profissionais e tecnológicos. Então, eles têm essa similaridade conosco, isso é legal", explica a assessora de Assuntos Estratégicos e Internacionais do IFSC, Raquel Matys Cardenuto. 

Raquel conta que os professores da HAMK têm uma relação forte com os alunos do IFSC, gostam de recebê-los porque os estudantes catarinenses trazem muita experiência de pesquisa e mantêm contato com os que já passaram pela instituição finlandesa. 

“Estou há quase três anos na assessoria e a gente conversa muito com os parceiros por email e manda os alunos sem saber com quem vão conversar. Fiquei feliz de ver que as pessoas que recebem nossos estudantes são legais”, observa.  

Um destes alunos é Willian Pereira dos Anjos, que cursa a oitava fase de Ciências da Computação no Câmpus Lages e esteve na Finlândia entre março e junho deste ano. Na universidade, se impressionou com a estrutura de equipamentos, laboratórios e com a forma de trabalho. 

“Os professores confiavam muito na gente. Eles passavam a demanda do projeto e sabiam que faríamos um bom trabalho. Não pensei que os professores fossem visitar já no fim do ano e é incrível saber que faço parte dessa conexão entre as duas instituições. Espero que outros alunos tenham a oportunidade e sejam incentivados a fazer o intercâmbio para a Finlândia porque vale muito a pena, profissional e pessoalmente”, relata. 

Qualidade de vida e igualdade

A Finlândia é um país nórdico, situado na Europa, que faz fronteira com a Suécia, a Rússia e a Noruega, e sua forma de governo é a república parlamentar. Sua população, de aproximadamente 5,3 milhões de pessoas, é menor que a de Santa Catarina, onde vivem 6,727 milhões. 

Os finlandeses estão em primeiro lugar na Europa em índice de alfabetização e em sexto no geral. Segundo a embaixada da Finlândia no Brasil, o país possui um dos melhores índices de qualidade de vida, educação pública, segurança, saúde pública, liberdade de imprensa e democracia. As mulheres finlandesas foram as primeiras na Europa a obterem o sufrágio universal, em 1906, e as primeiras no mundo a obterem a elegibilidade nas eleições parlamentares. 

INSTITUCIONAL