Sepei 2017: encontro discute renovação de convênio entre IFs e Marinha



IMG_0640Se o assunto é ensino, pesquisa e extensão e a sede dos debates é o Câmpus Itajaí, a formação de trabalhadores marítimos não poderia ficar de fora do Sepei 2017. O 1º Workshop Nacional do Ensino Profissional Marítimo dos Institutos Federais (EPMiF) fez parte da programação paralela ao seminário e reuniu representantes da Marinha do Brasil e dos institutos federais de Santa Catarina (IFSC), Ceará (IFCE) e Paraíba (IFPB).

O encontro terminou nesta quarta-feira (6) com uma minuta do acordo de cooperação técnica entre os institutos e a Marinha para renovação, em novembro, do termo de acreditação que possibilita a oferta de cursos com certificados reconhecidos pela Marinha do Brasil, necessários para a formação de trabalhadores marítimos.

FOTO 2Segundo o capitão de mar e guerra da reserva da Diretoria de Portos e Costas, Mauro Guimarães Carvalho Leme Filho, o encontro foi positivo e necessário. “Foi muito proveitoso acompanhar o trabalho e ver no que podemos avançar na elaboração de novos acordos de cooperação técnica”, avalia.

Após convênio assinado em 2012, IFSC, IFCE e IFPB foram os primeiros institutos a ofertar os cursos aquaviários. Neste período de validade do acordo, as três instituições ofertaram cerca de 90 cursos de formação e qualificação para o pessoal que trabalha a bordo de embarcações, especialmente voltados para pescadores.

FOTO 3Aperfeiçoar esta cooperação técnica foi justamente o principal objetivo da vinda dos professores João Vicente Mendes Santana, do IFCE, e Jaílson Oliveira da Silva e André Carlos Pereira Campos, do IFPB, que apresentaram suas principais necessidades em relação à autoridade marítima, como novas oportunidades de convênios, engajamento dos representantes regionais e maior prazo de duração do convênio.

“Os institutos estão fazendo a parte deles, investindo em pessoal, tecnologia e infraestrutura”, ressalta professor João Vicente, lembrando que as diferenças regionais não impedem os institutos federais de trabalhar em sintonia. “Estamos colocando a pesca no século XXI”, enfatiza.

Neste sentido, o encontro também foi importante para alinhar procedimentos e trocar experiências positivas na resolução de problemas comuns, como a falta de motivação dos pescadores, o preconceito em relação à profissão e as dificuldades de trazer os pescadores para a sala de aula.

FOTO 4Anfitrião do evento, o Câmpus Itajaí já formou 580 pescadores profissionais nestes cinco anos de convênio. “Nosso objetivo é fazer a inclusão social dos pescadores, para que possam trabalhar de forma legalizada”, explica o coordenador do Centro de Referência de Navegação e Pesca Marítima do IFSC (CNPMar), Benjamin Teixeira. “Itajaí é o principal porto pesqueiro do país e o setor demanda qualificação”, completa.

Por Liane Dani | Jornalista IFSC

AddThis Social Bookmark Button
   
Estude no IFSC - Vagas abertas - Clique aqui
 
 Cadastro de interesse

Observatório de egressos

Carta de serviços ao cidadãoAcesso à informação
Ouvidoria
Desenvolvido em Joomla!