Polo Embrapii IFSC Câmpus Florianópolis

Conheça o Polo de Inovação em Sistemas Inteligentes de Energia

O Polo Embrapii IFSC (PEIFSC) está instalado no Câmpus Florianópolis. Criado em 2017, constitui-se em um polo de pesquisa e inovação em Sistemas Inteligentes de Energia, vinculado à Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii).

Os polos da Embrapii atuam por meio da cooperação com instituições de pesquisa científica e tecnológica, públicas ou privadas, tendo como foco as demandas empresariais e o compartilhamento de risco na fase pré-competitiva da inovação.  

Polo EMBRAPII IFSC

 

 

 

 

 

 

 

Modelo de parceria

 Ao compartilhar riscos em projetos de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I) com as empresas, o Polo de Inovação Embrapii IFSC facilita ao setor industrial empreender e inovar por meio de parcerias público-privadas. As empresas parceiras podem assim buscar uma maior intensidade tecnológica, potencializando sua força competitiva no setor elétrico brasileiro.

Para ter acesso aos serviços do Polo, as empresas devem:

1º - Apresentar um desafio tecnológico em fase pré-competitiva que possa encontrar solução nas competências do Polo;

2º - dispor de contrapartida financeira mínima ao projeto de PD&I, negociável conforme o porte empresarial.

Vantagens da cooperação

  • Custeio do projeto de PD&I partilhado com o Polo: acesso a recursos financeiros não-reembolsáveis (subvenção econômica governamental) que reduzem os riscos da inovação;
  • Contrapartida econômica do Polo: acesso aos recursos materiais, à infraestrutura de laboratórios e à capacitação tecnológica dos profissionais do IFSC;
  • Equipe multidisciplinar: união das competências profissionais da empresa parceira e do Polo para enfrentar as complexidades técnicas do projeto de PD&I;
  • Experiência do Polo em projetos similares: maior viabilidade no desenvolvimento das soluções tecnológicas demandadas;
  • Agilidade: aporte de recursos financeiros e início da execução do projeto de PD&I imediatamente após a contratação, facilitada pela fundação de apoio do IFSC, a Feesc;
  • Sigilo: as informações do projeto de PD&I, bem como know how e segredos industriais, são resguardados por acordo de confidencialidade;
  • Propriedade intelectual: é garantida à empresa parceira o pleno direito de uso e de exploração da tecnologia desenvolvida, sendo que a titularidade de patentes, desenhos industriais, registros de software, entre outros, e seus direitos conexos são negociáveis e definidos em contrato de partilha com o Polo;
  • Desenvolvimento de produtos e processos inovadores: a empresa parceira adquire diferencial competitivo no mercado.

Manual de Operação EMBRAPII

Manual de Operação EMBRAPII dos IFs

Para entender o funcionamento de uma unidade EMBRAPII veja o manual de operação das unidades EMBRAPII/IF.

Modelo de Financiamento

O financiamento é apenas de despesas de custeio. O Financiamento Embrapii é de até 50% do valor total dos projetos. A contrapartida financeira mínima das empresas de 30%. A contrapartida econômica e/ou financeira da Unidade EMBRAPII é de 20%. Para recursos obtidos com agências de fomento, a contrapartida mínima das empresas é de 50%.

A EMBRAPII conta com as seguintes parcerias:

BRDE: caso você precise financiar a contrapartida da empresa, o BRDE é parceiro da Embrapii. Seu projeto terá tramitação mais rápida, pois o BRDE vai considerar a análise do projeto pela Unidade como a primeira etapa de sua análise (enquadramento da proposta).

BNDES: a Embrapii é fornecedora do Cartão BNDES. Com isso, as micro, pequenas e médias empresas apoiadas pela Embrapii poderão ter a contrapartida dos projetos financiada por meio do cartão.

SEBRAE: desenvolvimento tecnológico - projetos de inovação desenvolvidos em parceria com uma única microempresa, empresa de pequeno porte, microempreendedor individual ou startup. O aporte financeiro do Sebrae será de até 70% da contraparte da empresa no projeto e limitado ao valor de R$ 210 mil. Encadeamento tecnológico - Projetos de inovação desenvolvidos em parceria com microempreendedor individual, startups, microempresas e empresas de pequeno porte e média, ou grande empresa da cadeia produtiva. O valor máximo de aporte do Sebrae, por projeto contratado, será de 80% da contraparte da MEI e/ou MPE, até o limite de R$ 300 mil. A contrapartida da média e grande empresa que participa do projeto não pode ser inferior a 10% do valor total do projeto.