Pular para o conteúdo

Notícias

Câmpus Itajaí traz para o Sepei protótipo de um carrinho que funciona a partir da leitura das ondas cerebrais

INOVAÇÃO Data de Publicação: 19 set 2018 07:54 Data de Atualização: 19 set 2018 08:52
Câmpus Itajaí traz para o Sepei protótipo de um carrinho que funciona a partir da leitura das ondas cerebrais

Quem passar pelo estande do Câmpus Itajaí no Sepei, que acontece até quinta-feira (20) no Câmpus Florianópolis-continente, poderá conhecer um pouco mais da pesquisa “Estudo sobre metodologias e técnicas de mensuração da atenção de alunos em sala de aula e possíveis relações com práticas pedagógicas”. O trabalho surgiu de uma inquietação do professor de Matemática do Câmpus Itajaí Marcelo Palma de Oliveira em saber como os alunos se concentram nas aulas. “As teorias de aprendizagem estão muito baseadas em questões subjetivas e eu queria entender esse processo de forma mais objetiva, foi quando descobri um equipamento que lê as ondas cerebrais e pensei na aplicação dele para estudar os níveis de concentração dos alunos. Criamos um protótipo de um carrinho em que o motor é acionado quando os níveis de concentração são altos e a ideia é testá-los em sala de aula. Um dado que já podemos observar é que há um pico de atenção dos alunos momentos antes de fazerem uma pergunta”, explica o coordenador da pesquisa.

A primeira etapa do projeto envolveu alunos do curso técnico integrado em Mecânica que precisavam programar um microcontrolador que foi acoplado no carrinho com o aparelho que lê os sinais cerebrais. Um trabalho que contou com a ajuda e orientação do técnico em laboratório de Eletroeletrônica do Câmpus Itajaí Bernardo dos Santos.“Foi a primeira vez que eu trabalhei na programação de um arduíno e vejo que isso agregou aos conhecimentos que tenho tido no curso. Durante todo o processo, precisei também rever e aplicar conteúdos sobre eletricidade ”, avalia a aluna Júlia Mariano, do sétimo módulo do técnico integrado em Mecânica e uma das bolsistas do projeto.

Para auxiliar nesta etapa do projeto, o bolsista Iuri dos Santos, do sétimo módulo do integrado em Mecânica, resolveu até fazer disciplinas da Engenharia Elétrica como Pré-cálculo e Cálculo I. Segundo ele, que já testou o aparelho algumas vezes, os níveis de concentração aumentam quando precisa fazer uma conta. 

A partir da programação do microcontrolador a proposta é fazer uma série de testes em sala de aula, mas para que isso aconteça é necessária uma autorização do Comitê de Ética da Anvisa, o que já foi solicitado pelo coordenador. Outra etapa da pesquisa é pensar em desenvolver um leitor de ondas cerebrais aos moldes do que foi comprado para a pesquisa. “Alunos da Engenharia Elétrica do Câmpus já estão trabalhando nos cálculos para desenvolver este equipamento”, explica o professor Marcelo Palma de Oliveira.

INOVAÇÃO