Pular para o conteúdo

Notícias

“Com uma pequena ideia podemos começar a inovar”, destaca estudante do Câmpus SLO durante visita ao Pollen Parque

CÂMPUS SÃO LOURENÇO DO OESTE Data de Publicação: 24 mai 2022 17:59 Data de Atualização: 24 mai 2022 18:17

O Movimento de Inovação, instalado em São Lourenço do Oeste, proporcionou a um grupo de estudantes e professores do IFSC e a empresários da cidade uma visita guiada no Pollen Parque, em Chapecó. O grupo foi recepcionado nesta segunda-feira (23) e conheceu algumas das 47 histórias de startups e empresas instaladas no espaço, que se trata de um dos 15 Centros de Inovação de Santa Catarina.

“Entendemos que dentro de uma instituição de ensino temos vários estudantes com potencial para empreender, por isso a importância de compreender melhor este universo. E ao visitar o Pollen percebemos que o prédio conecta quem tem conhecimento sobre os caminhos da inovação, com as pessoas que têm ideias, com quem tem recursos para investir”, afirma o organizador da viagem e diretor-geral do Câmpus SLO do IFSC, Daniel Carossi.

O diretor do Pollen Parque, Rodrigo Barrichelo, também ressaltou a ideia de conexão criada pelo Pollen durante o primeiro ano de existência: “como este é um espaço de conexão, a ideia é que estudantes, empresários e quem tiver interesse passe por aqui, esse espaço é para gerar esse networking”. Além dele, o grupo também foi acompanhado pelo gerente de negócios do parque, Rodrigo Savegnago; pelo gerente de inovação, Marcio Fiori; e pelo diretor da unidade fora de sede da Unochapecó, Haroldo Farinon.

Durante a visita, os estudantes, professores e empresários também tiveram a oportunidade de um bate-papo presencial com o presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (Fapesc). Fábio Zabot Holthausen ressaltou que por meio de espaços como o Pollen é possível estar mais perto dos projetos e dos empreendedores. 

“O objetivo é tentarmos ter programas que façam sentido nas diversas regiões e para os diversos atores. A inovação não precisa ser disruptiva, posso contribuir para um processo, um produto na minha empresa, na minha região, que pode gerar melhorias em um setor, ou menos custo, mais receita”, explicou Fábio, que estará no Câmpus São Lourenço do Oeste do IFSC ainda esta semana.

Outro ponto ressaltado ao longo da visita foi o de se primeiro criar um ecossistema, um movimento de inovação, como se iniciou em São Lourenço do Oeste, com auxílio do IFSC, Associação Empresarial de São Lourenço (Acislo), e Unochapecó. “Mais importante que paredes, são as pessoas. O Pollen, por exemplo, foi inaugurado há um ano com os espaços todos preenchidos. Mas por quê? Porque houve todo um trabalho de incentivo nos anos anteriores relacionado a inovação”, contou o diretor Haroldo Farinon.

Apostando neste caminho, a consultora da Acislo Ana Paula Tavares acompanhou a visitação e reforçou que a Associação está de portas abertas para as ideias serem colocadas em prática. “É este ambiente de crescimento e inovação que queremos levar para nossa cidade”, afirmou.

Com a empresa Sustentare Soluções Ambientais há sete anos em São Lourenço do Oeste, Mariana Pastre Pereira também se juntou ao Movimento de Inovação na cidade e aproveita para expandir as oportunidades. “Temos a empresa há 7 anos, foi a primeira de São Lourenço nesta área de solução ambiental, e tudo começou dentro da universidade, com apoio dos professores”, lembra.

Com ideias na cabeça, o estudante do técnico em Desenvolvimento de Sistemas do IFSC, Micardo Devalcy, fez questão de acompanhar a visita e mudar um pouco de seu olhar: “foi uma oportunidade para saber quais recursos estão disponíveis na nossa região. Nos perguntávamos o que fazer, por onde começar. E achávamos que era preciso uma ideia grande, mas com uma ideia pequena podemos começar a inovar”.

CÂMPUS SÃO LOURENÇO DO OESTE INOVAÇÃO INSTITUCIONAL

Nó: liferay-ce-prod03

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Leia Mais.