Pular para o conteúdo

Notícias

Mostra Cultural debate realidade e perspectivas da cultura

EVENTOS Data de Publicação: 11 dez 2018 13:30 Data de Atualização: 11 dez 2018 11:26

Articulação entre as instituições produtoras de cultura em Canoinhas, ampliação das parcerias, qualificação na divulgação de eventos, fortalecimento do Conselho Municipal de Cultura e mobilização pela construção de um centro de eventos na cidade foram alguns dos encaminhamentos tirados na mesa-redonda que abriu, semana passada, a 3ª Mostra Cultural do IFSC 2018, organizada pelo Câmpus Canoinhas, com apoio do Serviço Social do Comércio (Sesc).

Conforme a coordenadora da mostra e professora de Artes do IFSC, Micheline Barros, os objetivos da mesa-redonda “Cultura em Canoinhas: realidades e perspectivas” foram justamente os de promover o debate entre as instituições, conhecer o que cada uma produz e pensar ações integradas para o futuro. “Aqui ficou plantada uma semente. Precisamos nos unir para podermos voar mais alto”, destaca Micheline, que ganhou o apoio da diretora do Câmpus Canoinhas, Maria Bertília Oss Giacomelli. “Este diálogo precisa ter continuidade”, confirma.

Participaram do debate a presidente da Academia de Letras do Brasil (ALB) Canoinhas, Soeli Lima, o coordenador da Casa da Cultura Emílio Gothard Wendt, Marcio Cavalheiro, o instrutor de violão da Casa da Cultura, William Carvalho, o gerente da unidade do Sesc de Canoinhas, Cristiano César Drager, o organizador do Festival de Danças do Planalto Norte, Sérgio Teixeira da Silva, o diretor do grupo de teatro É o quê?, do Câmpus Canoinhas, Moacir Guimarães, e as bolsistas do projeto, Sabrina Thiem e Hayane Dobrikpf.

“Precisamos investir na formação literária e na formação de plateia primeiro na escola”, afirma Soeli Lima, que citou diferentes projetos desenvolvidos pela Academia de Letras junto às escolas, como visitas de escritores, contação de histórias, festivais e concursos literários. No mesmo caminho segue a Casa da Cultura, que oferta um grande número de oficinas de música, teatro e artes plásticas e trabalha para aumentar ainda mais o repertório. “A perspectiva é ampliar as parcerias e a interação com a comunidade, valorizando cada vez mais a arte, a cultura e o patrimônio”, comentam os representantes da Casa da Cultura.

Grande parceiro do IFSC na realização de projetos culturais, o Sesc também tem um papel importante para a cultura em Canoinhas. “O objetivo do Sesc é tornar a cultura mais acessível, especialmente em regiões não-metropolitanas. Além de trazer espetáculos gratuitos de circulação nacional, também incentivamos as manifestações culturais locais”, conta o gerente da unidade de Canoinhas.

Com uma trajetória de muitos anos na produção de eventos em teatro e dança, o coreógrafo Sérgio Teixeira da Silva também foi convidado para contribuir com o debate. Na semana passada, ele coordenou a 1ª Mostra Comentada de Dança Escolar, no dia 30, e o 2º Festival de Dança do Planalto Norte Catarinense, no dia 1º, em parceria com a Prefeitura de Canoinhas. “Não é fácil, mas precisamos realizar mais eventos regionais para dar visibilidade ao trabalho que é realizado aqui”, explica entusiasmado, já anunciando que o festival de dança ganhará mais um dia no próximo ano, com datas confirmadas para 29 e 30 de novembro de 2019. A Mostra Comentada acontece no dia 28.

Das atividades culturais desenvolvidas pelo IFSC, foi dado destaque ao projeto de extensão de teatro, responsável pelo Grupo É o quê?, que conta com estudantes e servidores do IFSC e membros da comunidade externa. Segundo o diretor artístico do grupo, Moacir Guimarães, o trabalho tem caráter pedagógico, com abordagem da história da dramaturgia, linguagem teatral, improvisação e montagem de espetáculos. “O grupo do IFSC é uma oportunidade de cultivar sementes”, explica Moacir, que trabalha voluntariamente no projeto.

A estreia da última montagem do grupo de teatro faz parte da programação da Mostra Cultural. Segundo as bolsistas do projeto, Sabrina Thiem e Hayane Dobrikpf, neste ano, o grupo sentiu necessidade de experimentar o teatro contemporâneo e escolheu adaptar quatro textos do dramaturgo catarinense Afonso Nilson para o espetáculo Av. Expedicionários, 2150. A primeira apresentação aconteceu nesta terça (4) e a segunda está marcada para esta quarta-feira (5), às 20h, encerrando a Mostra Cultural.

EVENTOS