Pular para o conteúdo

Notícias

Projeto proporciona cultura e cidadania a alunos de Garopaba

EXTENSÃO Data de Publicação: 19 fev 2019 09:19 Data de Atualização: 20 fev 2019 15:36

Uma sessão de cinema com pipoca. Depois, uma conversa sobre o filme. E pra terminar, a possibilidade de conhecer a infraestrutura do IFSC. A essa sequência se propõe o projeto de extensão IFSCineminha: arte e cultura na infância, que na sua 4a edição já passou pelos Câmpus Caçador (2015-2017) e Garopaba (2018). 

A iniciativa, que no ano passado alcançou 400 crianças, visa promover a inclusão social; contribuindo com a formação integral e cidadã dos alunos, desenvolvendo principalmente consciência social, artística, cultural e política. 

A edição 2018 contou com o apoio da Secretaria Municipal de Educação de Garopaba, tendo sido executada no Centro de Educação Infantil Encantada; nas escolas Salomão Silveira e Dr. Ivo Silveira; e também na Escola Municipal da Gamboa. Para 2019, a pretensão é estender a iniciativa para os municípios de Imbituba e Paulo Lopes.

As sessões, com exibição de curtas-metragens da Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis, ocorrem por meio de agendamento. As escolas vêm até o IFSC ou o projeto vai até a escola. Quando as crianças vêm ao Câmpus, acontece ainda visita aos laboratórios, salas de aula e instalações da instituição. 

A professora Luana Gusmão relata que um dos curtas exibidos foi " A roupa do papai Noel", em que o personagem principal do Natal anuncia que não virá ao Brasil por causa do forte calor no mês de dezembro. Como forma de mudar essa possibilidade do “bom velhinho” não vir entregar os presentes, um grupo de crianças decide fazer uma roupa nova para ele aproveitar o verão de forma mais refrescante. “Os alunos entre 5 e 6 anos, coloriram o papai Noel no estilo 'praiano' e, ainda, escreveram os presentes que gostariam de ganhar”, conta Luana. Já em outra atividade, a partir do curta "Médico de monstro", as crianças receberam um "monstrinho" para personalizar e cuidar do novo amigo. 

A professora lembra que no município não há espaço dedicado à exibição de filmes, o que reforça a necessidade de se difundir a cultura cinematográfica e pensá-la como aliada aos processos de ensino-aprendizagem.

EXTENSÃO CÂMPUS GAROPABA