Pular para o conteúdo

Notícias

Formanda de Teatro de Animação percorre o país com peça de lambe-lambe

ENSINO Data de Publicação: 07 mar 2019 11:38 Data de Atualização: 07 mar 2019 11:47

Maria Clara Teixeira é professora há mais de 10 anos. Natural de Vinhedo (SP), tem 34 anos e é formada em Artes Cênicas. Ela deu aula de teatro em diversas escolas até o ano passado, quando, trabalhando em Florianópolis, foi demitida. Formanda do curso de Formação Inicial em Teatro de Animação (Finta) do Câmpus Florianópolis, ela tomou uma decisão ousada. “Eu estava fazendo a minha caixinha de teatro de lambe-lambe para o Finta. Aí resolvi terminar a caixinha, viajar com ela e não ter endereço fixo em 2019”, conta.

Maria Clara preparou um pequeno roteiro pelo Nordeste, começando em Recife. Passou por Pernambuco, Paraíba e litoral do Ceará. “Do litoral fui para o Sertão cearense, passando por Juazeiro e Cariri, onde ajudei a organizar um pequeno festival, a Minimostra Cariri de Teatro de Lambe-lambe”. Convidada a ir a Minas Gerais, ela acabou interrompendo o roteiro nordestino, mas ainda pretende retomá-lo.

“A ideia inicial era fazer todo o percurso de bicicleta, pois tem a ver com a peça, cuja temática é a busca da felicidade. Baseada no conto O presente precioso, de Spencer Johnson, a história fala de uma senhora e uma menina, que conversam sobre o presente precioso. Quem o encontra, é feliz para sempre. Então, a menina sai pelo mundo de bicicleta, numa jornada à procura do presente precioso”, conta a professora.

As apresentações são quase sempre em lugares públicos, com contribuição espontânea dos espectadores. “Tenho usado a hospedagem solidária, ficando na casa das pessoas que vou conhecendo ao longo do caminho, ou de conhecidos que já tinha antes. Ou uso uma rede chamada Couchsurfing, de pessoas que oferecem hospedagem solidária. E também já acampei”.

Finta

“Podemos dizer que o Finta é o primeiro degrau de um itinerário formativo em Teatro na região sul do país”, explica Gizely Cesconetto, coordenadora do curso. A prova da importância para o curso está nos números: na última seleção, foram 213 inscritos para 40 vagas. Para se ter uma ideia, nos últimos vestibulares, Artes Cênicas na UFSC teve 140 inscritos para 30 vagas e, na Udesc, o curso de licenciatura em Teatro teve 102 inscritos para 40 vagas.

Gizely conta que algumas características ajudam o Finta a ter essa procura. Como não é um curso de graduação, o pré-requisito é apenas o Fundamental I completo, permitindo a participação de jovens a partir de 12 anos. A carga horária semanal também é baixa – três horas semanais. Mas tudo com gratuidade e qualidade. “O curso também permite a experiência artística, da iniciação teatral à criação artística e apresentação - o público sem qualquer experiência não se inibe em tentar ingressar e os profissionais do teatro enxergam como uma possibilidade de criação artística com orientação qualificada”, explica.

“A área de Artes, como área de conhecimento, promove de fato a indissociabilidade entre pesquisa, ensino e extensão, por meio de seus projetos que envolvem a comunidade”, lembra Clóvis Petry, diretor de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão do Câmpus Florianópolis.

“É por meio das Artes que a gente busca um espaço de socialização, de criação. A arte traz em seu bojo, inclusive, a permanência e êxito dos nossos alunos”.

ENSINO CÂMPUS FLORIANÓPOLIS