Pular para o conteúdo

Notícias

Internacionalização no Câmpus Florianópolis abre novas oportunidades pós-pandemia

CÂMPUS FLORIANÓPOLIS Data de Publicação: 05 set 2022 11:14 Data de Atualização: 06 set 2022 11:32

Como um todo, a pandemia do Covid-19 alterou rotinas, planejamentos, e oportunidades  de todos. E com a realização de intercâmbios por parte de estudantes e servidores não foi nem um pouco diferente. Porém, a normalização da situação sanitária abre novas perspectivas de crescimento acadêmico, profissional e pessoal. Assim, a internacionalização do Câmpus Florianópolis conta hoje com possibilidades que já eram oferecidas e com novas parcerias institucionais.

“Aluno que pensa e quer fazer intercâmbio tem que ter duas prioridades: conhecimento de Inglês e bom nível acadêmico”, ressalta a Relações Internacionais do Câmpus Florianópolis e assessora de Relações Internacionais da Reitoria, Aline Provedel Dib. Ela cita o exemplo de oportunidades para Portugal, cujas entrevistas seletivas acontecem em Inglês, até mesmo porque algumas instituições de ensino ministram aulas nessa língua, devido ao alto número de intercambistas. E no IFSC, isso não se apresenta como empecilho, já que a instituição oferece o curso de qualificação profissional (FIC) de idiomas – Língua Inglesa, Espanhol e Libras, de forma gratuita, e por módulos.

Para ela, outro diferencial é estar ou se envolver em pesquisa. “Tem que ter bagagem, motivo, currículo para fazer intercâmbio. Não é condição, mas é diferencial”, diz Aline, que salienta ainda que é importante o aluno tr uma preparação para o intercâmbio, como passaporte e documentos organizados. “Você nunca sabe quando a oportunidade vai aparecer”, coloca a assessora, que já atuou também na Internacionalização do  Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca - Cefet/RJ (Cefet) do Rio de Janeiro, por cinco anos.

Dentre os convênios internacionais oferecidos estão o Propicie e a Dupla Titulação. Esse último, oportunizado somente aos alunos dos Câmpus Florianópolis e Lages; e se constitui na chance de obter duas titulações: bacharel em engenharia no Brasil e mestre em Portugal. Durante um ano, os estudantes participam de aulas no Instituto Politécnico do Porto (ISEP) ou no Instituto Politécnico de Setúbal (IPS), além de desenvolverem seu trabalho de conclusão de curso, com apoio financeiro do IFSC. 

Mais oportunidades 

O Propisul é uma oportunidade nova dirigida a universidades da América do Sul, e que abrange várias áreas do conhecimento. Aline revela que o edital desse programa tem a previsão de ser lançado e divulgado ainda em setembro, assim como o edital de capacitação de servidores (técnico-administrativos e docentes) para estudo da Língua Inglesa, no Canadá, e que prevê de 20 a 25 vagas.

Outra perspectiva, essa focada nos estudantes do Câmpus Florianópolis, está com inscrições abertas até 12 de setembro. Jovens Embaixadores é uma iniciativa oficial do Departamento de Estado dos EUA e, no Brasil, é coordenado pela Embaixada e Consulados dos Estados Unidos da América. Criado em 2002, o JE é um intercâmbio de curta duração nos Estados Unidos para estudantes brasileiros do ensino médio da rede pública que se destacam em suas respectivas comunidades pela atitude positiva, bom desempenho acadêmico, conhecimento da língua inglesa, capacidade de liderança e espírito empreendedor. Aline reforça que o programa, que é para alunos do Ensino Médio Integrado, de baixa renda, arca com todas as despesas do estudante. “É um programa de troca cultural. Nossos alunos irão falar do Brasil e conhecer a realidade de outros países. É uma iniciativa voltada para aqueles que atuam em ações voluntárias, como por exemplo, líderes de turma, que ganham pontos extras na seleção, por representarem um grupo. A seleção é realizada em Embaixada Americana e várias etapas dela acontecem em Inglês”, conta Aline.

Ela menciona ainda um grupo de servidores da Université du Québec à Trois-Rivieres que estará no Câmpus Florianópolis para palestrar, às 14h do dia 14 no auditório, sobre oportunidades de estudo no Canadá. “Queremos ampliar projetos, como Dupla Titulação, para que outros vários cursos possam participar. Queremos disseminar a internacionalização, as possibilidades internas e externas, e também o conhecimento sobre a internacionalização. Queremos propor outras parcerias que sejam para nossa expansão e nosso conhecimento”, ressalta Aline sobre os próximos passos da Internacionalização do Câmpus.

Num passado bem recente

A Aiesec é um dos novos caminhos que se apresenta aos alunos do Câmpus. “Ela gera oportunidades em países estrangeiros com bolsa paga pela empresa, onde nosso estudante irá atuar”, conta o professor Erwin Werner Teichmann, responsável pela parceria do Câmpus com a organização em 2021. Segundo ele, a Aiesec, liderada por jovens de todo o mundo e presente em mais de 110 países e territórios, procura gerar a integração dos países pós 2ª Guerra Mundial, através da atuação dos estudantes. A organização objetiva, por meio de experiências práticas e ambientes desafiadores, o desenvolvimento de habilidades de liderança nos jovens, além de contribuir para o seu crescimento pessoal e profissional. Para participar, basta o aluno se cadastrar no site da Aiesec e a empresa estrangeira demonstra interesse por currículo ou entrevista.

Erwin menciona também o Pontos Americanas, parceria concretizada em 2021, que divulga oportunidades para alunos estudarem em instituições do mundo todo. “Ela cria relação direta com estudantes que queiram ir para fora do país”, frisa ele, que não esquece de falar do Programa Freshmann. “O Programa Freshmann disponibiliza 350 vagas, é pago - cerca de 19 mil Euros - para que o aluno tenha toda a infraestrutura, desde médico. O estudante terá um ano de aulas; após esse período, seu desempenho concorre em universidades alemãs em busca de uma vaga no ensino superior.

Em 2021, o Câmpus Florianópolis também assinou parceria com a Cesi da França. São escolas técnicas como do Brasil, da área tecnológica, abrangendo ensino técnico e graduação. Ao mesmo tempo, essa iniciativa gerou oportunidade de alunos franceses virem para o FSC. São três estudantes: um da eletrônica, um da energia e outro da construção civil. Esse será o primeiro passo para encaminharmos alunos para lá também. E já estamos trabalhando nisso”, relata Erwin.

Ele cita a World Education Service, empresa privada que faz cadastro de pessoas interessadas e institucionais, além de certificar documentos a serem enviados por alunos e dar oportunidades para ex-alunos também nos Estados Unidos e Canadá.

Para mais esclarecimentos e informações, basta acessar o site do Câmpus,  e clicar em convênios internacionais; ou pelo e-mail assuntosinternacionais.fln@ifsc.edu.br

CÂMPUS FLORIANÓPOLIS INTERNACIONAL

Nó: liferay-ce-prod02

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Leia Mais.