Pular para o conteúdo

Notícias

Educação profissional, científica e tecnológica oportuniza prêmios e reconhecimento a alunos e servidores

ENSINO Data de Publicação: 07 mai 2019 11:51 Data de Atualização: 07 mai 2019 11:55

Em meio às notícias de bloqueio de recursos para as universidades e institutos federais (Ifes), é preciso conhecer a realidade dessas instituições, e no que diz respeito ao Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC), são 10 anos de atuação. Cerca de 700 cursos oferecidos ao ano. Quase 50 mil matrículas em 2018, e 2.926 formandos somente no ensino técnico. Nos cursos de Qualificação Profissional, o número de concluintes passa para 7.728 no ano passado, sem esquecer os resultados dos demais cursos como superiores de tecnologia, licenciatura, bacharelado, bem como especializações e mestrados. Outro indicativo são os mais de 55 prêmios recebidos ao longo dessa década. 

A lista de distinções é extensa e começa já em 2009 e 2010 com a melhor nota no Índice Geral de Cursos (IGC) na categoria “Centro Universitário” de instituições federais. Nos anos seguintes, a conquista foi a mesma (melhor nota no IGC), porém entre as instituições públicas em 2013 e entre os institutos da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica em 2011 e 2012. Esses conceitos foram concedidos pelo  Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), do Ministério da Educação (MEC).

O IFSC nesses 10 anos de existência sempre foi destaque no quesito ensino. Prova disso são os desempenhos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem): nos anos de 2011, 2014. 2015 e 2016, o Instituto Federal de Santa Catarina obteve a melhor nota média no Enem entre as escolas públicas de Santa Catarina. O mesmo resultado foi conquistado também entre as escolas públicas de Florianópolis  e de São José (2011, 2014 e 2015), de Chapecó e de Joinville (2014 e 2015), e de Araranguá e de São Miguel do Oeste, em 2015. 

Olimpíadas

Também em outras competições em nível nacional e estadual, como as olimpíadas escolares, o Instituto é referência. O IFSC é medalha de ouro na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep) em 2013, com a aluna Gabriella Maria Radke Chaves; em 2014, com o estudante Fernando Luiz Alves Lapa; em 2015 e 2016, com o aluno Bruno Visnadi da Luz; e em 2018, com o estudante Vanderval de Souza Júnior. Em 2011, o aluno  Amadeo Zimmermann foi medalha de ouro na Olimpíada Catarinense de Química, assim como em 2016 a conquista foi dos estudantes Tiago da Silva Henrique, Franccesco Linhares Elias, e  Alexsander Rodrigo Vieira de Oliveira, e em 2017, dos alunos Alexsander Rodrigo Vieira de Oliveira, Bruno Joukoski Jalowski, David Henrique Alves Machado, Eduardo da Costa Ilha, Tiago da Silva Henrique, e Vinícius Damasceno Idiarte. O aluno Fernando Lapa também conquistou a medalha de ouro na Olimpíada Regional de Matemática (ORM) em 2013; e a melhor nota na Obmep entre instituições de Santa Catarina em 2014, quando o professor Paulo Amaro dos Santos também recebeu a distinção. 

Os professores do IFSC também são reconhecidos pelo seu trabalho. Em 2009, a docente Heloísa Silva recebeu distinção na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep), assim como Waldir de Souza, em 2010, e Lisie de Luca Maciel e Waldir de Souza, ambos em 2012, e Paulo Amaro Velloso Henriques dos Santos, em 2014.

Mas não é só em disciplinas comuns que o diferencial do Instituto é revelado. No ano passado, o aluno Sérgio Henrique Maciel foi medalha de ouro na Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA). O Concurso de Lançamento de Foguetes na Jornada Nacional de Foguetes 2019 também foi vencido pelas alunas Amanda Machado dos Santos e Giovanna Evangelista, orientadas pelo professor Mário Augusto Camargo. A equipe Magic Island 5800 também recebeu distinção na Rookie All-Star Award na First Robotics Competition, maior competição de robótica do mundo, organizada pela Nasa, 2016. 

O sonho de conhecer a Nasa foi o prêmio  recebido por alunos e professores do Câmpus Xanxerê, que venceram a competição Garatéa-ISS8, que permite que estudantes brasileiros participem do “Programa de Experimentos Espaciais de Estudantes” (tradução livre), que seleciona e envia experimentos de alunos, de 10 a 17 anos, para o espaço. Em 2018, 4,2 mil estudantes, de 172 escolas, participaram da Garatéa-ISS.

Gestão

O Instituto Federal de Santa Catarina foi condecorado ainda com a medalha Paulo Freire, 2016, concedida pelo Ministério da Educação para reconhecer e estimular as experiências educacionais que promovam projetos relevantes para a Educação de Jovens e Adultos (Eja) em todo o país. Em relação à gestão, o IFSC também recebeu distinções, como  o Prêmio Mérito em Administração, na Categoria Pública, em 2016 e 2017, concedido pelo Conselho Regional de Administração de Santa Catarina (CRA-SC) e recebido pelas servidoras Bárbara Sabino e Laís Marcon, respectivamente. Os docentes André Luiz dos Santos e Leandro Silva receberam, em 2014, o Prêmio de Inovação de Joinville1, categoria Pós-graduação. 

Do Câmpus Itajaí, duas conquistas são importantes: o Prêmio Mérito Educacional, categoria “Educação Integral”, em 2014, organizado pela Prefeitura Municipal e recebido pela estudante Paloma Regina de Oliveira Platt; e o Prêmio Santander Universidades, categoria “Tecnologia da Informação, da Comunicação e Educação”, recebido pelo professor Carlos Alberto Souza, e mais 10 servidores, em 2011. 

O IFSC atua na oferta de educação profissional, científica e tecnológica e assim tem também como foco a inovação. Dez foram as invenções recebidas no Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT), ano passado, o que aponta para uma a cada mês de 2018, se subtrairmos o período de férias escolares. Dessas inovações, de seis foram requeridas patente de invenção. Já quanto a contratos de transferência de tecnologia foram registrados quatro no ano passado. 

ENSINO