Pular para o conteúdo

Notícias

Feira de Economia Solidária sensibiliza comunidade para o consumo de orgânicos

EVENTOS Data de Publicação: 10 jun 2019 08:57 Data de Atualização: 10 jun 2019 09:02

O estacionamento do Câmpus Chapecó ficou movimentado nesta quinta-feira (06), mas dessa vez não foi com veículos, e sim com brechó, sebo, chás, artesanatos, alimentos orgânicos, comidas prontas naturais e a apresentação da banda DóRéMIFSC. A movimentação foi em razão da 3ª Feira de Economia Solidária, organizada por um grupo de alunos e servidores e, especialmente, por estudantes do ensino médio técnico.

“A intenção é que os alunos entendam na prática o que é economia solidária, já que eles estudam conceitos e exemplos em sala de aula”, contam os professores e coordenadores do projeto, Cleder Fontana e Janilson Loterio. O principal aprendizado é no quesito trabalho coletivo, já que os estudantes precisam ter ideias e tomar todas as decisões em conjunto, desde quais produtos serão comercializados, quem irá produzi-los, por qual valor irão vender, até outras atrações e a divulgação.

Pelo jeito, os objetivos foram cumpridos. Alunas do módulo 7 do ensino médio técnico, Laura Wengenowicz e Francieli Pizzi contam que precisaram se dividir em diversos grupos para organizar parte do evento. “No início brigávamos por vários motivos, mas assim tivemos que nos unir e trabalhar juntos”, conta Francieli. Com a união, a turma conseguiu produzir e comercializar itens variados, como sabonetes artesanais, tortas salgadas e fazer o cantinho do rock n’roll. “Também socializamos com outros alunos, servidores e ajudamos a trazer a comunidade para dentro do IFSC”, afirma Laura.

Além de benefícios para os próprios estudantes, a experiência de realizar uma feira dentro do IFSC também aproxima a própria comunidade interna e externa dos produtos naturais e orgânicos. “Todos os alimentos prezam por questões como segurança alimentar e sustentabilidade, porque são naturais (sem açúcar, sem gordura, sem conservantes), de produção própria dos alunos ou ainda orgânicos produzidos por pessoas externas e trazidos especialmente à feira. Então, além de tudo, ainda incentivam valores para além da forma de consumo convencional”, relatam os coordenadores do projeto.

O aluno Juliano Franklin da Silva, do técnico em Eletromecânica do próprio câmpus, também aproveitou para expor e comercializar chás, sprays terapêuticos e outras alquimias que ele e a farmacêutica Adriana Carolina Bauermann produzem como empreendedores individuais. Os dois plantam e colhem ervas medicinais e folhas e frutas de árvores diversas para a produção. “Estudo aqui e sinto muita conexão com colegas e professores. Estar aqui me faz bem. Vir aqui e mostrar nossos produtos é uma satisfação”, conta Juliano.

O agricultor chapecoense Anderson Munarini trabalha só com produtos orgânicos, como frutas e hortaliças, e também aproveitou o espaço disponibilizado no IFSC. “É a segunda vez que participamos. Viemos para vender produtos, é claro, mas também para abrir mais espaços alternativos de comercialização para estes alimentos, já que assim podemos falar sobre a importância de consumir orgânicos”, conta.

O evento faz parte do projeto “O (a)preço dos produtos alimentares orgânicos: uma análise entre consumo e valores sociais”, realizado entre março e dezembro deste ano, no IFSC, com o auxílio de quatro alunos bolsistas. Após a análise desta 3ª edição, já é possível dizer que a 4ª Feira de Economia Solidária já está pré-confirmada para o mês de novembro.

Veja mais fotos na página do Facebook do Câmpus Chapecó.

EVENTOS