Pular para o conteúdo

Notícias

Licenciatura completa 10 anos com festa e seminário

CÂMPUS SÃO JOSÉ Data de Publicação: 11 jun 2019 16:16 Data de Atualização: 11 jun 2019 16:44

O curso de licenciatura em Química do Câmpus São José completa 10 anos em 2019. Para marcar a data, o câmpus realiza programação durante a semana, como o VI Ciclo de Seminários em Química e o X Seminário de Estágio das Licenciaturas.

A primeira noite de programação aconteceu na segunda-feira (10), no auditório do Câmpus, com homenagem aos ex-coordenadores de curso, palestra com convidados, apresentação de livros publicados por professores, corte do bolo e atrações musicais.

O curso de Licenciatura em Química do Câmpus São José e os cursos de Licenciatura em Física de Araranguá e Jaraguá do Sul foram as licenciaturas pioneiras, no momento em que o Cefet/SC transformava-se em IFSC, tendo como denominação Licenciatura em Ciências da Natureza com Habilitação em Química e Licenciatura em Ciências da Natureza com Habilitação em Física. Os planos pedagógicos foram construídos coletivamente entre os câmpus. Atualmente, além desses três cursos, o IFSC conta com outras duas licenciaturas com turmas em andamento, a de Química no Câmpus Criciúma e a de Pedagogia Bilíngue no Câmpus Palhoça Bilíngue.

Segundo o diretor de Ensino, Pesquisa e Extensão do Câmpus São José, Antônio Galdino da Costa, a chegada das licenciaturas gerou alguns embates na instituição, por se tratar de um perfil novo de profissional. “Estamos no IFSC há 30 anos, e essa experiência das licenciaturas é muito marcante. A experiência de formar colegas de trabalho é ímpar. Por isso, temos que pensar qual profissional e qual colega de trabalho estamos formando”, afirma. O diretor de Ensino em exercício, Igor Guterres Faria, que representou a reitora Maria Clara Kaschny Schneider, destacou que a oferta de cursos de licenciatura faz parte das diretrizes institucionais do IFSC, como forma de qualificar a educação básica.

Desafios na formação de professores

A coordenadora Franciele Drews destaca que o principal desafio da licenciatura em Química na atualidade é ter pessoas dedicadas à formação docente em uma instituição historicamente voltada para a educação profissional e tecnológica. Ela explica que o câmpus conta com sete professores de Química que, além da licenciatura, atendem aos demais cursos técnicos e superiores.

Uma conquista do curso é a proximidade com escolas públicas de São José e de outras cidades, como Biguaçu, Palhoça e o próprio Câmpus Florianópolis – Centro, onde os alunos realizam seus estágios obrigatórios. De acordo com a coordenadora, além de qualificar o ensino da Química nessas escolas, é uma forma de divulgar e atrair mais estudantes para o IFSC. Os resultados práticos dos estágios são compartilhados durante os Seminários de Estágio das Licenciaturas, com a participação da comunidade acadêmica e comunidade externa.

A aluna da 9ª fase, Mariana Schneider, conta que não pensava em ser professora. Ela escolheu o curso porque queria estudar Química mas, como precisava trabalhar, optou pelo Câmpus São José, a única instituição que oferecia o curso noturno. Já na 5ª fase, quando iniciou as disciplinas didáticas, apaixonou-se pela profissão. “Quero continuar dando aulas e continuar com a educação, quem sabe fazer um mestrado”. Mariana e os colegas participaram da organização das atividades da semana comemorativa.

Acesse a programação completa da semana na página do evento.

Veja como foram as comemorações dos 10 anos da Licenciatura em Física no Câmpus Jaraguá do Sul – Centro.

Educação ética e crítica e o “apagão de profissionais”

Como o objetivo do Ciclo de Seminários em Química é abordar temas diversos aos da sala de aula e trazer especialistas de outras instituições, a palestra de abertura das comemorações foi “Educação em Ciências, Ética Crítica e a Educação no Campo”, com os professores da UFSC Elizandro Maurício Brick e André Taschetto Gomes.

Eles falaram da importância de uma educação específica voltada para o campo e a necessidade de se abordar as ciências a partir dos conceitos apreendidos pelos alunos, que falem de sua realidade e do que eles conhecem.

Segundo os palestrantes, atualmente há um “apagão” de professores na área de ciências no Brasil. Trouxeram dados que indicam a falta de 500 professores de Física somente em Santa Catarina, sendo que a concentração de professores no campo é ainda menor. Para a coordenadora Franciele Drews, o curso de licenciatura em Física visa buscar uma qualificação de excelência, mas a valorização profissional passa por outros fatores, como a melhor remuneração dos profissionais.

CÂMPUS SÃO JOSÉ EVENTOS