Pular para o conteúdo

Notícias

Câmpus Palhoça Bilíngue promoveu atividades e conquistou prêmio em evento científico

SEPEI Data de Publicação: 16 ago 2019 14:00 Data de Atualização: 16 ago 2019 11:18
Câmpus Palhoça Bilíngue promoveu atividades e conquistou prêmio em evento científico

A participação do Câmpus Palhoça Bilíngue no Seminário de Ensino, Pesquisa, Extensão e Inovação (Sepei) rendeu um prêmio e boas experiências para professores e estudantes. O câmpus teve um artigo premiado no evento, “Teatro-fórum: técnicas para emancipar a comunidade através da arte", de autoria do estudante Mateus Sousa, com orientação da professora Adriana Somacal, que ficou em terceiro lugar na categoria DT1. No total, a comitiva do câmpus, que foi a Chapecó participar do Sepei de 30 de julho a 1º de agosto, teve 27 pessoas, entre estudantes e servidores. 

Os representantes do Câmpus Palhoça Bilíngue dividiram-se em três estandes no Sepei: um sobre educação, outro sobre design e o terceiro sobre comunicação e informação. No estande da educação, foi oferecida uma oficina de Língua Brasileira de Sinais (Libras), ministrada pelos professores Fabrício Ramos, Simone Lima e Tatiane Reis. No estande do design, foi apresentada a instalação interativa com chroma key por meio da qual os visitantes se comunicavam com o alfabeto de Libras, para saber o local mostrado no vídeo, como pontos turísticos de Londres (Inglaterra), Paris (França) e Rio de Janeiro.

No estande de comunicação e informação, foram apresentadas duas instalações interativas. Uma era da dança em Libras e a outra, o “mova-se”, uma dança em que as pessoas colorem videoclipes com uso de lanternas. “Além disso, espalhamos QR codes pelo evento onde os conteúdos eram sinais que facilitam a comunicação dos ouvintes com os surdos como: ‘Oi!’, ‘obrigado”, ‘banheiro’, ‘estande’, ‘crédito e débito’...”, conta a professora Alexandra Riquelme, que conduziu a delegação do câmpus.

Apresentações

Foram apresentados seis artigos, cinco comunicações orais e um pôster pelos representantes do Câmpus Palhoça Bilíngue. “Foi um evento muito construtivo. O fato de ter contato com alunos e profissionais de outros câmpus nos faz ampliar o conhecimento, as ideias, o amadurecimento profissional e pessoal, também a ampliação da rede de contato”, comenta a estudante Jaqueline Andressa Ramos, de 17 anos, do Ensino médio Técnico Integrado em Tradução e Interpretação de Libras/Português. Ela fez uma apresentação oral sobre materiais didáticos da cultura surda e ajudou nas atividades desenvolvidas nos estandes. “Foi a primeira vez que estive participando do Sepei. Foi uma experiência muito gratificante. É um evento que prende a atenção, que acolhe a comunidade acadêmica“, diz.

Já o estudante surdo Gustavo Callegaro Copello, 19 anos, do curso Ensino médio Técnico Integrado em Comunicação Visual, apresentou no Sepei o grupo de astronomia Geab, que explica conceitos de astronomia para surdos por meio de vídeos e animações. “No Sepei, a gente recebe contribuições e conhece projetos de outros câmpus”, destaca.

SEPEI