Pular para o conteúdo

Notícias

Egressos de Gestão Hospitalar compartilham experiência profissional em evento comemorativo aos 10 anos do curso

CÂMPUS JOINVILLE Data de Publicação: 19 set 2019 17:42 Data de Atualização: 20 set 2019 16:44

As comemorações dos dez anos de implantação do curso superior de tecnologia em Gestão Hospitalar no Câmpus Joinville reservaram um momento especial de avaliação do curso a partir de depoimentos de ex-alunos. O fórum Contribuições da Formação em Gestão Hospitalar na Vida Profissional: Atuação de Egressos do IFSC, na última sexta-feira (13), teve como objetivos conhecer e compartilhar experiências de sucesso com os atuais estudantes.

Para compartilharem suas experiências acadêmicas e profissionais, foram convidados nove gestores hospitalares formados pelo curso do Câmpus Joinville: Karla Borges Ghisi, Marcelo Ricardo Farias, Marcelo Marcílio Machado, Priscila Oliveira Silva, Roni Anderson Schiochet, Andrea Jankowski, Bruno da Costa Matos, Josiane Pereira e Caroline Fontes Silva.

Em seus depoimentos surgiram lembranças da sala de aula, relatos de aprendizado, histórias de superação, narrativas de atuação profissional, demonstrações de amor pelo que fazem e sugestões valiosas para os atuais estudantes. Dentre elas, a importância de aproveitar cada aula, porque tudo vai ser usado depois; trabalhar em equipe; conhecer todos os processos; ter persistência e determinação; e não ter medo de se arriscar na hora de mudar de função ou empresa.

Crescimento na área

Coordenadora de Atendimento do Hospital Dona Helena, Andrea entrou na primeira turma de Gestão Hospitalar, em 2009. Ela já trabalhava na área técnica do hospital e buscava por outra formação quando decidiu fazer o curso. “Foi muito bom participar da primeira turma, porque construímos o curso juntos”, comenta Andrea, que atualmente gerencia a equipe responsável pelo primeiro acolhimento na unidade hospitalar. “O curso me ajudou a entender toda cadeia hospitalar e onde se insere nosso trabalho.”

Foi também em Gestão Hospitalar que Josiane descobriu a importância de se ter uma visão sistêmica do local de trabalho para planejar melhor suas ações. “Busquei o curso porque queria conhecimento, queria sair do empirismo”, afirma a gerente administrativa do Instituto Catarinense de Radiologia Odontológica (Ícaro). Fisioterapeuta como primeira formação, ela trabalhava na parte administrativa do instituto e sentiu necessidade de se especializar na área. “Agregou muito ao meu trabalho.”

Priscila também já atuava na área de saúde quando entrou para o curso de Gestão Hospitalar. Ela começou como recepcionista na Unimed Joinville e, depois de participar de recrutamentos internos e passar por vários setores, atualmente é coordenadora de Atendimento ao Usuário. “A faculdade me trouxe muitas experiências que vivencio hoje”, conta Priscila, que coordenou a reformulação do atendimento ao usuário e a regulação da unidade de Joinville da Unimed.

Primeira experiência

O fórum de Gestão Hospitalar também cedeu espaço aos egressos que obtiveram seus empregos na área de saúde a partir do curso, como o tecnólogo em gestão da qualidade Marcelo Ricardo Farias, que trocou os empregos na indústria pela Agemed Saúde. “Me apaixonei pela área de saúde”, enfatiza Marcelo, que atualmente é supervisor de Atendimento ao Prestador. “O atendimento ao cliente me possibilita usar as ferramentas da gestão de qualidade e minhas experiências anteriores.”

Coincidentemente, Caroline Fontes e Bruno da Costa são oriundos do Pará, tiveram seu primeiro contato profissional na área a partir do estágio e bem no início do curso. Caroline tinha 19 anos quando trocou o emprego por um estágio com remuneração mais baixa, mas na saúde. “Adorava as aulas e sonhava em trabalhar na área”, conta a analista de Contas a Receber e Faturamento do Grupo Opty em Joinville. “É o que eu queria”, destaca a gestora, que aconselha os novos profissionais a não terem medo de se arriscarem em mudar de profissão para fazerem o que gostam.

Atualmente analista financeiro do Laboratório Ghanem/Dasa – Diagnósticos da América, Bruno ingressou na empresa como estagiário e se efetivou depois de seis meses. “Comecei a ver como eram os processos e sugerir melhorias. A área da saúde está em constante evolução e temos que estar prontos para as mudanças, porque o mercado é deficitário de profissionais capacitados”, destaca. Ao IFSC, Bruno é só elogios. “Sou um dos alunos que tiveram a vida transformada pela educação, que constrói e dá um futuro melhor.”

Atuação no serviço público

Karla Ghisi, Marcelo Machado e Roni Schiochet representaram os gestores hospitalares que atuam no serviço público, no fórum de egressos de Gestão Hospitalar. Os três ingressaram no curso com os objetivos de se profissionalizarem e apresentarem melhorias para a saúde pública.

A criação do Núcleo de Apoio Técnico (NAT) de Joinville, por exemplo, foi sugestão do trabalho de conclusão de curso (TCC) da Karla, que já trabalhava na saúde. Atualmente, ela é coordenadora de Licitações da Secretaria Municipal de Saúde e está fazendo pós-graduação em Gestão Pública de Educação Profissional e Tecnológica. “A gente não pode parar.”

Foi também a partir do curso que Marcelo e Roni implantaram o setor de Órteses, Próteses e Materiais Especiais (OPME) no Hospital Municipal São José. “Gestão Hospitalar vicia”, afirma o agente administrativo da prefeitura, Marcelo Machado, que pediu para trocar a área da cultura pela da saúde, onde tocou vários projetos, como a reforma do refeitório do hospital e organização da Central de Abastecimento Farmacêutico (CAF). “A faculdade vai deixar os pilares, mas a obra quem vai construir são vocês”, fala aos futuros profissionais.

Técnico em Enfermagem, Roni trocou a assistência pela gestão após problemas de saúde que culminaram com um transplante. Depois de trabalhar no São José, na implantação do OPME, ele foi convidado a assumir a coordenação da Microrregião do Bom Retiro e coordenação das unidades básicas de saúde Bom Retiro e Jardim Sofia, da Secretaria Municipal de Saúde. “Tem rastro do IFSC em todos os setores”, afirma orgulhoso.

Motivação e formação de classe

Dentro da programação de aniversário de Gestão Hospitalar, os estudantes também tiveram outras duas palestras, na noite de quinta-feira (12). A primeira, “Acredite e Realize”, foi ministrada pela comunicadora Lena Souza, campeã mundial de oratória pela Junior Chamber International (JCI). Seguindo a linha motivacional, Lena destacou como a comunicação e a empatia são importantes aos profissionais da área de saúde. “É preciso se posicionar, se expressar, dar opiniões, tomar decisões. Saber se comunicar é muito importante e é preciso praticar”, reforça.

Na sequência, o presidente do Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Joinville e Região, Lourival Pisetta, abordou o tema “Relações de Trabalho na Área da Saúde”. Ele explicou como se desenvolvem as relações de trabalha nos estabelecimentos privados de saúde de Joinville e região, evidenciando as principais demandas endereçadas ao sindicato, como o assédio moral. “A boa chefia, preparada, motiva a equipe, não a destrói. Dá valor ao ser humano”, comenta.

A programação alusiva aos dez anos de Gestão Hospitalar teve início no dia 11, com uma sessão especial de homenagens a servidores e organizações parceiras pela contribuição ao desenvolvimento do curso e um painel com profissionais da área de saúde sobre “Tendências e oportunidades de trabalho em saúde: como os profissionais da área devem se preparar?”.

O curso inciou suas atividades no ano de 2009, a fim de capacitar gerencialmente a crescente área da gestão das organizações de saúde, um segmento que começou a se profissionalizar há apenas cerca de trinta anos. A atuação do tecnólogo em gestão hospitalar é bastante abrangente. O profissional atua no planejamento, organização e gerenciamento dos processos de trabalho em saúde, envolvendo a área de gestão de pessoas, materiais e equipamentos. É ele quem organiza e controla compras e custos, áreas de apoio e logística hospitalar, bem como acompanha e supervisiona contratos e convênios.

Para a coordenadora de Gestão Hospitalar, Caroline Orlandi Brilinger, chegar aos dez anos do curso é uma grande conquista. “Enfrentamos muitos desafios, percorremos caminhos tortuosos. Contudo, sem erros não existem acertos. A cada semestre, o curso aperfeiçoa suas atividades de ensino, pesquisa e extensão”, enfatiza professora Caroline, que também é egressa do curso. “Atesto que o balanço até aqui é positivo. E, assim como a minha história, tantas outras se transformaram pelos conhecimentos adquiridos com o curso de Gestão Hospitalar do IFSC.”

 

Para saber mais informações sobre o curso, acesse nosso Guia de Cursos.

Para ver todas as fotos, acesse o álbum no Facebook.

CÂMPUS JOINVILLE EVENTOS