Pular para o conteúdo

Notícias

IFSC ofertará o primeiro Mestrado Profissional em Viticultura e Enologia do País

ESTUDE NO IFSC Data de Publicação: 27 ago 2020 10:06 Data de Atualização: 27 ago 2020 10:20
O Brasil terá seu primeiro curso de Mestrado em Viticultura e Enologia, o que representa uma perspectiva de qualificar ainda mais o setor vitivinícola, as práticas de gestão e os processos de inovação. A proposta foi aprovada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) nesta semana. Será um mestrado profissional, ofertado de forma associada entre os Institutos Federais de Santa Catarina (IFSC) e do Rio Grande do Sul (IFRS). O primeiro, através do Câmpus Urupema, e o segundo, do Câmpus Bento Gonçalves.  
 
O Mestrado Profissional em Viticultura e Enologia tem previsão de oferta de 20 vagas por seleção anual, por instituição ofertante, totalizando inicialmente 40 vagas. Esta pós-graduação tem como objetivo promover a qualificação de profissionais para atuar no setor vitivinícola, desenvolvendo habilidades para identificação e solução de problemas, oportunizando aos mestrandos o intercâmbio de informações e experiências multidisciplinares voltadas à produção vitivinícola e seus desafios na esfera da gestão, da tecnologia e da inovação.
 
O Câmpus Urupema do IFSC, assim como o Câmpus Bento Gonçalves do IFRS, possibilita ao estudante percorrer o itinerário formativo desde o curso Técnico em Viticultura, passando pelo curso Superior de Tecnologia em Viticultura e Enologia, até o Mestrado Profissional em Viticultura e Enologia.
 
Localizada na região serrana de Santa Catarina, essa é a única instituição pública que oferta cursos na área no estado. Como instituição associada no Mestrado Profissional em Viticultura e Enologia, através da coordenação local e do colegiado, também será responsável pela aplicação do processo seletivo, matrículas, trancamento, transferências, emissão de diplomas, desligamento e demais trâmites acadêmicos internos.
 
O Câmpus Urupema conta em sua infraestrutura com os laboratórios de Análise Físico-química de Alimentos, de Análise Sensorial, de Microbiologia e Biologia Molecular, de Gastronomia, de Frutas e Hortaliças, de Microvinificação, de Informática e Casa de Vegetação.
 
Para o pró-reitor de Pesquisa, Pós-graduação e Inovação do IFSC, Ailton Durigon, a aprovação do curso junto à Capes é uma conquista importante para esta área que se encontra em constante evolução. “A otimização dos processos no cultivo da uva e na produção de vinhos passa a ser uma realidade com as pesquisas a serem desenvolvidas a partir da implantação deste Mestrado. Para as serras catarinense e gaúcha onde o setor vitivinícola tem forte influência e que são atendidas pelo IFSC e IFRS este fato terá reflexos muito positivos ao longo dos próximos anos, sendo motivo de grande satisfação para as duas instituições que formalizam o início de uma grande parceria”, destaca Durigon.
 
A diretora do Câmpus Urupema, Evelise Zerger, conta que a notícia da aprovação do Mestrado Profissional em Viticultura e Enologia, foi recebida com grande alegria pelo Câmpus esta semana. “Essa oferta valoriza e consolida nossa atuação em ensino, pesquisa e extensão aplicada à vitivinicultura, desenvolvida desde 2015, a partir da implantação do curso de Tecnologia em Viticultura e Enologia. A participação do IFSC Câmpus Urupema de forma associativa ao IFRS Câmpus Bento Gonçalves, resultou em um projeto conciso, no qual as duas instituições somam competências na área da Viticultura e Enologia para a oferta de um programa de mestrado profissional inédito no Brasil”, afirma ela.
 
Segundo a diretora, docente da área de Gastronomia e mestre em Turismo, a proposta é aprimorar o conhecimento de profissionais da área e desenvolver pesquisas focados na gestão, tecnologia e inovação para o fortalecimento do setor vitivinícola brasileiro, a partir da proposta de duas linhas de pesquisa: Tecnologias em viticultura e enologia; e Desenvolvimento e Sustentabilidade na Vitivinicultura. “Além de qualificar as pesquisas, tendo como ganho principal a transferência de conhecimento e tecnologia para a qualificação dos processos produtivos da uva e do vinho, o mestrado despertará a motivação dos egressos Tecnólogos em Viticultura e Enologia, em seguir sua trajetória educacional em um mestrado profissional, fortalecendo ainda mais a inter-relação entre a formação e as demandas do setor. Sem dúvidas será um ganho valioso e um marco histórico para a área vitivinícola no Brasil”, salienta Evelise.
 
O pró-reitor de Pesquisa, Pós-graduação e Inovação do IFRS, Eduardo Girotto, ressalta que essa conquista certamente abrirá novas portas e demonstra a capacidade e o potencial de oferta de programas de pós-graduação de excelente qualidade no IFRS.
 
A coordenadora do Programa, Shana Sabbado Flores, diz que a proposta apresentada à Capes foi fruto de um longo trabalho do grupo de professores e pesquisadores envolvidos na proposta, baseado nas melhores práticas na área, uma vez que a abordagem interdisciplinar para uva e vinho é uma tendência observada no contexto internacional. “O curso inova em seu caráter interdisciplinar, estruturado em duas linhas de pesquisa que propõem um olhar integrado sobre as problemáticas do setor: tecnologias em viticultura e enologia e desenvolvimento e sustentabilidade na vitivinicultura. Além disso, estão presentes como temas transversais o empreendedorismo e a inovação”, afirma.
 
O Câmpus Bento Gonçalves do IFRS é proponente e responsável pela gestão do curso, por meio da Comissão Acadêmica Geral composta por representantes de cada instituição associada.
 
Para quem
 
Profissionais graduados nas áreas de Ciências Sociais Aplicadas ou Ciências Agrárias, com experiência comprovada no Setor vitivinícola em atividades vinculadas à viticultura, enologia, enoturismo ou gestão vitivinícola.
 
Atuação
 
Ao finalizar o curso o egresso terá as habilidades e competências para resolução de problemas no setor vitivinícola, especialmente:
 
aprimorar práticas, processos e tecnologias atualizadas no setor vitivinícola;
identificar e utilizar com maior eficiência as técnicas usuais e novas tecnologias para o manejo de pragas e doenças da videira;
aumentar sua capacidade de estruturar modelos de negócios no setor vitivinícola;
incentivar reflexão crítica na busca de fundamentação visando a adoção de práticas utilizadas na viticultura;
mostrar ao profissional a importância de sempre manter o interesse em propor transformações nas empresas em que atuam com vistas à inovação;
reforçar a necessidade do sinergismo entre produção e estruturas de mercado e identificar oportunidades estratégicas de ampliação e diversificação do negócio;
que o egresso seja um profissional ainda mais capaz de contribuir para o desenvolvimento econômico e social da região, valorizando as potencialidades locais através da proposição de produtos e serviços vinculados à uva e ao vinho;
que o egresso seja um ente ativo para que os produtos da vitivinicultura aumentem sua participação no mercado nacional e internacional.
 
Colaborações
 
As instituições associadas, IFRS e IFSC, na fase inicial poderão contar com entidades colaboradoras, com o propósito de qualificar o curso, entre elas as seguintes: Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri), Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) e Universidade Federal do Pampa (Unipampa). Assim, profissionais e docentes das instituições colaboradoras atuarão em encontros pontuais, participando em determinadas disciplinas ou mediante palestras em eventos realizados pelo Programa de Pós-graduação, contribuindo com o aprimoramento em temas específicos.
ESTUDE NO IFSC