Pular para o conteúdo

Notícias

Educação em saúde: curso técnico em Enfermagem realiza oficinas para mulheres imigrantes

ENSINO Data de Publicação: 25 nov 2021 16:32 Data de Atualização: 25 nov 2021 17:02

Saúde da mulher, saúde e cuidados com a criança, prevenção de acidentes domiciliares, primeiros socorros e direitos das mulheres imigrantes no Brasil foram os temas trabalhados pela quarta fase do curso técnico em Enfermagem do Câmpus Joinville no curso “Promoção da Saúde às Mulheres Imigrantes: Acolhimento e Informação”, realizado de 13 de outubro a 23 de novembro. Ao todo, foram realizadas nove oficinas, com encontros às terças-feiras à tarde, na Associação de Moradores da Entrada dos Espinheiros (Amesp), no bairro Comasa, com a participação de haitianas e venezuelanas.

A haitiana Magdalene Jean, de 34 anos, foi uma das participantes do curso. Embora trabalhe como terceirizada no setor de limpeza de um hospital, este foi seu primeiro curso na área de saúde, o que a motivou ainda mais a procurar validar seus documentos escolares para continuar estudando no Brasil, preferencialmente o técnico em Enfermagem no IFSC. “Eu gosto muito dessas coisas, de salvar vidas”, conta Magdalene. Não à toa, suas oficinas preferidas foram sobre primeiros socorros. “Agora já sei o que fazer quando acontece um acidente na rua ou quando uma pessoa está se afogando”.

No Brasil desde março de 2018, Magdalene tem boa fluência no português e auxiliou, quando necessário, na tradução de termos mais técnicos, para o crioulo haitiano. Mas, no geral, a língua não foi impeditiva para a comunicação. É que o grupo do IFSC escolheu técnicas de metodologia ativa para repassar os conteúdos.

“Achamos um caminho de nos comunicar e a diferença de idiomas foi suprimida pela metodologia ativa. Trabalhamos muito com atividades práticas e simulações, levamos bonecos anatômicos e instrumentos de laboratório, cartazes e muito material que as mulheres pudessem tocar”, relatam as professoras de Enfermagem responsáveis pelo projeto, Dayane Clock Luiz, Kristiane de Castro Dias Duque e Luciana Maria Mazon.

Integração com a comunidade

O curso para imigrantes integrou a carga horária do estágio em Educação e Saúde II, da quarta fase do técnico em Enfermagem, e foi uma continuação do projeto iniciado no semestre passado, quando as atividades presenciais estavam suspensas. Em Educação e Saúde I, o trabalho foi realizado por meio da produção de vídeos, com narração em português e legendas em francês, e encontros por plataformas virtuais.

“Amadurecemos a ideia e, desta vez, conseguimos um contato magnífico. Foi uma experiência formidável estar com elas presencialmente, para trabalhar educação em saúde diretamente na comunidade”, avaliam os estudantes do técnico em Enfermagem, que fortaleceram a proposta do curso de acolher esta população imigrante, conhecer e respeitar sua cultura e promover ações de integração, para além do repasse de informações de saúde. Por isso, todos os encontros tiveram atividades específicas para as crianças acompanhantes das mães, lanches saudáveis, espaço para troca de roupas e calçados e momentos de confraternização.

“Foi uma experiência fantástica para os alunos, para trabalharem com educação em saúde, que atua com promoção da saúde e prevenção de doenças, que é o carro-chefe da enfermagem. Saber trabalhar em grupo, saber se comunicar com as pessoas e passar informações de forma clara e precisa são fatores importantes para que qualquer usuário da saúde possa assimilar as informações, refletir sobre isso e se empoderar para tomar suas decisões em saúde de forma consciente”, enfatizam as professoras.

Nesse sentido, elas acreditam que tanto os futuros técnicos em enfermagem quanto as participantes do curso desempenharam muito bem suas funções. “Foram nove encontros em que elas estiveram sempre presentes e demonstraram muito interesse. Não só pela aquisição de conhecimento, mas para integração entre elas. Houve aproximação do grupo, que foi afastado por conta da pandemia, e agora tem espaço para se relacionar com mais proximidade. Já até surgiriam ideias de projetos futuros, como outros cursos e cooperativas, para que elas possam fortalecer sua identidade no Brasil”, comentam as professoras.

Desde a primeira turma de imigrantes no Câmpus Joinville, pelo programa Mulheres Sim, em 2016, várias outras ações vêm sendo desenvolvidas para este público. No caso deste curso, a parceria foi com o Grupo Solidário Mulheres Fortes, coordenado pela voluntária Nazarita Costa da Rosa, do bairro Comasa, que intermediou a organização, a divulgação e inscrição das imigrantes.

Técnico em Enfermagem

O curso técnico em Enfermagem ofertado pelo Câmpus Joinville é um curso do tipo subsequente, ou seja, para quem já tem o ensino médio. Com 1.800 horas/aula de carga horária, o curso tem duração de quatro semestre e aulas no período vespertino.

Seu ingresso é no segundo semestre, com seleção por sorteio. Portanto, a próxima turma ingressa apenas no segundo semestre do próximo ano. No primeiro semestre, o ingresso é para o curso superior de bacharelado em Enfermagem, cuja seleção é pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que usa a nota do Enem.

Clique aqui para acessar o Guia de Cursos do Câmpus Joinville

ENSINO CÂMPUS JOINVILLE

Nó: liferay-ce-prod01

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Leia Mais.