Pular para o conteúdo

Notícias

Professor do IFSC recebe premiações em Congresso Brasileiro de Engenharia de Avaliações e Perícias

CÂMPUS SÃO CARLOS Data de Publicação: 30 nov 2021 09:53 Data de Atualização: 09 mai 2022 16:05

Duas premiações celebraram a dedicação do professor Carlos Augusto Zilli do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC), Câmpus São Carlos. A dupla premiação foi realizada no 21° Congresso Brasileiro de Engenharia de Avaliações e Perícias (Cobreap) na cidade de Goiânia (GO) entre os dias 9 a 12 de novembro. O evento já é consagrado em nível nacional e internacional e reúne centenas de profissionais direcionados para as áreas de arquitetura, engenharia, agronomia e direito.

O artigo "Avaliação de imóveis a partir de dados de oferta e transação”, escrito e assinado em coautoria com Luiz Fernando Palin Droubi e Norberto Hochheim - mestrando e professor da UFSC, respectivamente -, foi contemplado com a medalha "Hélio de Caires" como o melhor trabalho do Brasil na área de Engenharia de Avaliações. Já o artigo "Análise de modelos de regressão espacial global e local para avaliação em massa de imóveis urbanos”, assinado por Zilli, Droubi, Hochheim e Raquel Franceschi - mestranda da UFSC -, recebeu menção honrosa, também na área de Engenharia de Avaliações. 

Segundo o professor Carlos Zilli, o trabalho premiado com a medalha Hélio de Caires é um ensaio sobre um dos problemas mais difíceis encarados pelos avaliadores brasileiros, a falta de disponibilidade de dados de mercado de transações para efetuar as avaliações de imóveis. Já o segundo trabalho premiado investiga o uso de modelos de regressão espacial global e local para o tratamento dos efeitos espaciais em avaliações em massa de imóveis urbanos, visando uma tributação mais equitativa e justa.

Zilli explica, ainda, que essa premiação é importante pois permite observar o avanço em pesquisas, mas destaca que ainda falta muito para o Brasil conseguir se equiparar aos países desenvolvidos em termos de qualidade de informação disponível no mercado imobiliário. "Neste sentido, precisamos montar observatórios em todo o território para efetuar uma observação constante dos mercados imobiliários e gerar informação de qualidade. São necessárias parcerias com instituições de financiamento à pesquisa, pois é necessária uma estrutura física para estes observatórios, além de pessoal técnico qualificado para produzir estas informações. É preciso entender que pesquisar o mercado imobiliário também é uma forma de pesquisa científica e isso é essencial para o bom funcionamento dos mercados e para possibilitar medir a eficiência das políticas públicas voltadas à habitação e às cidade", ressalta.



 

CÂMPUS SÃO CARLOS EXTENSÃO INSTITUCIONAL

Nó: liferay-ce-prod02

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Leia Mais.