Pular para o conteúdo

Notícias

“Energia em Debate” abre programação da Semana do Meio Ambiente no Câmpus Joinville

CÂMPUS JOINVILLE Data de Publicação: 01 jun 2022 19:45 Data de Atualização: 02 jun 2022 17:52

Qual é o futuro da energia no Brasil? O evento “Energia em Debate”, na noite desta terça-feira (31), deu início à Semana do Meio Ambiente do Câmpus Joinville e levantou discussões importantes sobre a transformação do mercado, autonomia do consumidor e crescimento e diversificação de fontes renováveis. A programação segue até sexta-feira (3) com novas abordagens sobre o tema e também sobre resíduos sólidos e reciclagem.

Engenheiro eletricista e técnico em eletroeletrônica formado pelo Câmpus Joinville, o gerente da Supervisão Técnica Comercial do Núcleo Norte da Celesc, Luanderson Schipitoski, abriu a rodada de debates com o tema “Energia 360: a energia da transformação do mercado”, trazendo o conceito de “prosumidor” como tendência de futuro, em que o consumidor é o próprio gerador de energia, especialmente na produção de energia solar.

Atualmente, segundo o Balanço Energético Nacional, o país concentra 65% de sua produção em hidrelétricas. “A previsão é que, em 2040, a maior fonte da matriz energética seja a solar, com 32% de participação, superando a hidreletricidade”, contou o egresso do IFSC. Hoje, esse percentual é algo entre 1% e 2%, apenas.

Para chegar a este cenário desejado, Luanderson apontou quatro fatores decisivos: queda nos preços da tecnologia, crescimento dos meios de armazenamento, aumento do uso de veículos elétricos e diversificação de financiamento. “O maior desafio é a modernização e o aprimoramento do sistema”, enfatizou.

Para dar sequência ao tema, o coordenador comercial da empresa Vektor Energia, Thierry Maurice Dompsin, falou sobre “Mercado Livre de Energia - GD - APE: o poder de escolha e o choque na economia”, diferenciando a modalidade de geração distribuída (GD), exclusiva para consumidores que estão no ambiente de contratação regulado, também conhecido como mercado cativo de energia, da autoprodução de energia (APE), válida para consumidores no mercado livre.

Até pouco tempo exclusiva de um grupo pequeno de consumidores, especialmente indústrias de grande porte, a autoprodução de energia vem conquistando o interesse cada vez maior de empresas brasileiras, ainda mais diante do cenário atual de crise hídrica, alta dos custos e encargos e crescimento do interesse pela pegada de sustentabilidade. “Os maiores consumidores de energia já estão no mercado livre de energia, e Santa Catarina está em sétimo lugar neste ranking”, contou Thierry.

Ele também falou sobre o novo marco legal da portabilidade de energia, em que o consumidor pode escolher a distribuidora. A expectativa é por uma redução de R$ 210 bilhões de reais nos gastos com energia elétrica, diminuição média de 15% na conta de luz e geração de 642 mil empregos. “O mercado é mais complexo, mas mais completo. E também ganha em sustentabilidade e eficiência energética”, afirmou Thierry.

“Sustentabilidade não é algo lúdico, mas o que está acontecendo”, confirmou o cofundador e diretor comercial da TAB Energia, Michel Kazmierski, que encerrou o evento “Energia em Debate” com o tema “Energias renováveis, potencial e crescimento e como a TAB está ajudando no município de Joinville”.

Ele explicou que investir em energia renovável, como alternativa à dependência fóssil, também significa competitividade e segurança energética. No ranking da evolução fotovoltaica, Santa Catarina está na sexta posição em geração e distribuição de energia solar, e com um mercado em expansão, com grande potencial principalmente entre as indústrias. Como exemplo, Michel citou o caso de Joinville. De um total de 1.947 unidades geradoras de energia solar, 1.600 são residências e apenas 74 são unidades industriais.

Programação tem mais sobre energia solar e gestão de resíduos

Para quem se interessa em saber mais sobre energia solar e de forma mais prática, a Semana do Meio Ambiente do Câmpus Joinville terá ainda a oficina “Energia Solar: conceitos e aplicações”, com o engenheiro eletricista Gilmar Nieckarz, da Tera Solar. A oficina será sexta-feira (3), às 18h50, no auditório.

Ainda na sexta, a programação terá duas oficinas sobre “Resíduos Plásticos e Meio Ambiente”, com os professores do câmpus Ronaldo Paesi e Karine Arend. De manhã, a oficina acontece no auditório, às 9h45. À tarde, será às 13h30, na sala 523.

Já às 14h20 de sexta, no auditório, o tema “Resíduos dos serviços de saúde e suas implicações no meio ambiente” será apresentado pela professora Dayane Clock Luiz, que é doutora em Saúde e Meio Ambiente.

Realizada em alusão ao Dia Mundial do Meio Ambiente, 5 de junho, a Semana do Meio Ambiente é organizada pela Comissão de Sustentabilidade do Câmpus Joinville. Toda programação é aberta à comunidade.

CÂMPUS JOINVILLE EVENTOS

Nó: liferay-ce-prod03

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Leia Mais.