Pular para o conteúdo

Notícias

Nova pós-graduação qualifica educadores para atuação diante da diversidade

ENSINO Data de Publicação: 28 fev 2019 10:26 Data de Atualização: 28 fev 2019 10:34

“Refletir sobre diversidade requer de nós, educadores, um exercício de desconstrução e ressignificação de conceitos, concepções e valores acerca do outro.” A fala da professora de História e doutora em Educação, Renata Waleska de Sousa Pimenta, reforça o objetivo do curso de especialização em Educação e Diversidade, do Câmpus Canoinhas, de qualificar profissionais da educação para atuação diante da diversidade, complexidade e contradições das relações sociais no espaço público da escola. Convidada para ministrar a aula inaugural da primeira turma, a professora do Câmpus Gaspar abordou o tema As teias que constroem o conhecimento a partir do multiculturalismo.

“A especialização do Câmpus Canoinhas se propõem, através de sua equipe, a mediar esse processo e tive a honra em ser convidada para ministrar a aula inaugural sobre esse tema que fala mais de nós do que do outro, afinal, como diz a filosofia Ubuntu, ‘eu sou porque nós somos’”, destaca professora Renata.

A primeira turma da nova pós-graduação ofertada pelo IFSC na região do Planalto Norte é formada, em sua maioria, por professores da rede pública, interessados em construir o conhecimento das escolas a partir da perspectiva multicultural. “Estou feliz com o contexto de professores e estudantes do curso e por estar voltando ao IFSC, que é este centro que universaliza todos os saberes e conhecimentos”, enaltece Ana Claudia Bastos. “A expectativa com este curso está gigante. Adorei a palestra; veio ao encontro do que estou estudando e espero trabalhar bastante projetos bons na área educacional”, afirma Josimeri Gasparetto.

Para Reginaldo Antonio Marques dos Santos, a especialização vem em um momento especial, de defesa da educação, em que “o país olha a educação, quase que de maneira generalizada, como algo soando como um peso diante da sociedade, diante do desenvolvimento das pessoas”. Neste contexto, é urgente entender o papel da escola no acolhimento das diferenças. “Precisamos ter este olhar sobre o outro como alguém singular, alguém que tenha suas características, que tenha sua cultura, e que precisa ser valorizado de acordo com aquilo que é, de acordo com aquilo que nós somos. E, a partir deste olhar para nós mesmos, que passamos a compreender o outro”, enfatiza.

A especialização em Educação e Diversidade atende à expectativa dos professores das redes municipal e estadual de ensino da região, que sugeriram este eixo temático em consulta realizada pelo Câmpus Canoinhas. “A pesquisa educacional aliada à abordagem multicultural permitirá a produção de conhecimento sobre as realidades das escolas, suas contradições e complexidades. Qualificará ainda mais as intervenções pedagógicas na direção do respeito à pluralidade de sujeitos em ambientes educativos que se pretendem democráticos e inclusivos”, explica o coordenador da especialização, Vilson Cesar Schenato, que é professor de Sociologia no Câmpus Canoinhas.

Destinado a profissionais de educação, preferencialmente com formação nas licenciaturas, o novo curso tem carga horária de 420 horas e duração de três semestres. Para esta primeira turma, foram ofertadas 40 vagas. As aulas são presenciais a cada quinze dias, nas sextas-feiras à noite e aos sábados, de manhã e à tarde.

ENSINO CÂMPUS CANOINHAS