Pular para o conteúdo

Notícias

IFSC apoia ato em Florianópolis em defesa da democracia

INSTITUCIONAL Data de Publicação: 09 ago 2022 22:11 Data de Atualização: 10 ago 2022 15:14

O IFSC é uma das instituições apoiadoras do ato em Defesa da Democracia, que será realizado dia 11 de agosto (quinta-feira), às 10h, no auditório da Reitoria da UFSC. Na ocasião, será exibida ao vivo a leitura da Carta às Brasileiras e aos Brasileiros em Defesa do Estado Democrático de Direito, que ocorrerá na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP), idealizadora do documento. Também haverá transmissão online pelo canal da Apufsc no Youtube.

O IFSC será representado pelo pró-reitor de Desenvolvimento Institucional Jesué Graciliano da Silva e pela pró-reitora de Pesquisa, Pós-graduação e Inovação Flávia Maia Moreira.

Aberta para a população, em versão online, no dia 26 de julho, a Carta, inicialmente assinada por juristas e entidades de classe, já havia ultrapassado as 825 mil assinaturas nesta terça-feira, 9 de agosto. A meta é chegar a 1 milhão de assinaturas até a leitura.

-> Clique aqui para ler e assinar a Carta

Documento foi inspirado em ato pró-democracia de 1977

A Carta às Brasileiras e aos Brasileiros em Defesa do Estado Democrático de Direito foi inspirada na Carta aos Brasileiros, lida pelo professor de Direito Goffredo da Silva Telles Junior, em agosto de 1977, em meio às comemorações dos 150 anos de fundação dos cursos jurídicos no país, no Largo de São Francisco, no Centro de São Paulo. A carta denunciava a ilegitimidade do então governo militar e o estado de exceção em que vivia o país. Conclamava também o restabelecimento do estado de direito e a convocação de uma Assembleia Nacional Constituinte.

Para o pró-reitor de Ensino, professor Adriano Larentes da Silva, o apoio do IFSC à carta deve-se ao papel da instituição, que além da educação profissional, deve chamar a atenção para aspectos que afetam a sociedade e. “Uma instituição de ensino como o IFSC se orienta fundamentalmente pela Constituição de 1988, pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação, a LDB, e outros documentos legais. A própria LDB, colocando em prática a Constituição, preza pela escola como espaço democrático, e tem a democracia como princípio fundante da escola no contexto brasileiro pós 1988. Nesse sentido, é dever da nossa instituição chamar a atenção quando esse princípio estiver ameaçado”, ressalta.

Larentes lembra que a Ditadura Militar no Brasil foi um período bastante difícil para os brasileiros, especialmente para estudantes e professores “que não se conformaram com o cerceamento das liberdades democráticas”. No próprio IFSC houve perseguição a profissionais de educação. Foi assim que, em 1977, surgiu o clamor popular pelo fim da Ditadura. Hoje, lembra o professor, universidades, institutos federais e outras instituições de educação estão mobilizadas “para não repetir 1964 e os tempos sombrios que se seguiram, ou qualquer experiência que cerceie a liberdade no espaço educacional”.

INSTITUCIONAL

Nó: liferay-ce-prod02

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Leia Mais.