Pular para o conteúdo

Notícias

Bolo, palestras e lançamento de livros marcam celebrações de 113 anos na reitoria do IFSC

INSTITUCIONAL Data de Publicação: 23 set 2022 17:10 Data de Atualização: 23 set 2022 19:31

Nesta sexta (23), o IFSC comemora 113 anos de criação, realizada por decreto presidencial de Nilo Peçanha, em 1909, quando criou a rede federal de ensino. Para celebrar a data, além das programações nos câmpus, a gestão programou duas lives, lançamento de livros e um bolo no prédio da Reitoria, em Florianópolis.

“Todo aniversário tem presente. E o nosso presente para a gestão é o nosso empenho para que o IFSC continue esse trabalho que se propõe a mudar vidas. Queremos que o IFSC seja um bom lugar para estudar e um bom lugar para se trabalhar”, destacou o reitor da instituição, Maurício Gariba Júnior.

A equipe de gestão, formada pela diretora executiva, Andréa Martins Andujar e pela equipe de pró-reitores - Aloísio Silva Júnior (Pró-Reitor de Administração), Jesué Graciliano da Silva (Pró-Reitor de Desenvolvimento Institucional), Adriano Larentes da Silva (Pró-Reitor de Ensino), Valter Vander de Oliveira (Pró-Reitor de Extensão e Relações Externas) e Flávia Maia Moreira (Pró-Reitora de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação)- também destacou a importância do IFSC nas suas trajetórias pessoais, profissionais e no impacto da instituição na sociedade catarinense. Adriano Larentes da Silva também leu a Carta Compromisso em Defesa da Educação de Jovens e Adultos, documento em que o comando do IFSC manifesta seu engajamento à luta dos Fóruns de Educação de Jovens e Adultos (EJA) do Brasil, reunidos durante o 17º Encontro Nacional de Educação de Jovens e Adultos (Eneja), realizado em Florianópolis em agosto de 2022.

Durante a comemoração, foram feitas as apresentações das 16 obras lançadas com o selo do IFSC entre 2020 e 2022. “Desde 2016, por questões orçamentárias, temos lançado publicações apenas nas plataformas digitais. Mas sabemos que há demanda para livros físicos e estamos trabalhado para, em breve, voltarmos a ter livros impressos”, afirmou Valdeci Reis, coordenador de Publicações do IFSC.

A professora e diretora-geral do Câmpus Palhoça Bilingue, Eliana Bar, e a professora do curso de Radiologia do Câmpus Florianópolis Tatiane Camozzato; a técnica em assuntos educacionais Maria da Glória Silva e Silva, do Centro de Referência em Formação e EaD; além do professor Luciano Azambuja, do Câmpus Florianópolis-Continente, estiveram presentes para falar de suas obras.

Eliana Bar é uma das organizadoras do livro Educação Bilíngue (Libras-Português): trajetórias, pesquisas e práticas e destacou que o livro traz um pouco do que é produzido no Câmpus Palhoça Bilíngue tanto a pesquisa quanto nas práticas pedagógicas, com destaque para agentes que contribuíram para a implantação do câmpus.

Tatiane Camozzato é a organizadora do livro Terapias em Medicina Nuclear, feito em colaboração com estudantes do Mestrado Profissional em Proteção Radiológica e profissionais de vanguarda na área de Medicina Nuclear. Ela contou sua trajetória e experiência de graduanda, quando percebeu que havia poucas publicações na área e sonhou mudar esse cenário. Seu primeiro livro, também em colaboração com estudantes, foi lançado em 2020.

Maria da Glória Silva e Silva é uma das autoras de Guia de práticas pedagógicas e recursos educacionais nas Atividades Não Presenciais lançado em 2021. “A ideia nasceu na semana pedagógica realizada em julho de 2020, de forma totalmente on-line”, lembra. Quando as atividades não presenciais eram novidade e muitos professores tinham dúvidas, ela e os demais autores pensaram em um material de apoio para ajudar docentes com a nova realidade. “Acredito que as ANPs não ficaram pra trás. Elas podem ajudar a repensar a educação, para que as aulas não se restrinja à presencialidade!, explicou a autora.

Luciano de Azambuja é historiador e reuniu suas três paixões – história, música e educação – no livro Canção, Ensino e Aprendizagem Histórica, lançado pela WAS Edições em versão impressa. A publicação é fruto da sua tese de doutorado, defendida em 2017, com pesquisa realizada entre estudantes do ensino técnico integrado do Câmpus Florianópolis do IFSC. Além de professor, Azambuja também é músico e, durante a celebração, apresentou-se com voz de violão.

Lives

A programação dos 113 anos também incluiu duas lives, que estão disponíveis no Youtube.

A primeira, pela manhã, foi com o chefe da Assessoria Especial de Controle Interno do Ministério da Economia Francisco Bessa, com o tema "Integridade: princípio e prática da boa governança pública".

À tarde, foi a vez do palestrante e ex-titular da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec)  Eliezer Pacheco fala sobre "113 anos da Rede federal de educação profissional científica e tecnológica. Desafios para o futuro”.

INSTITUCIONAL

Nó: liferay-ce-prod03

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Leia Mais.