Pular para o conteúdo

Notícias

Equipes ajustam últimos detalhes para Torneio de Robótica LEGO

SEPEI Data de Publicação: 12 jul 2019 12:24 Data de Atualização: 12 jul 2019 12:34

As férias serão curtas para as equipes selecionadas para o 2º Torneio de Robótica LEGO, que acontece durante o 8º Seminário de Ensino Pesquisa e Extensão (Sepei), de 30 de julho a 1 de agosto, em Chapecó. Para dar conta dos ajustes finais de programação, as equipes Pingu e Kelstone, do Câmpus Joinville, já estão com horários agendados no laboratório nas próximas semanas para ajustar a programação e calibrar os movimentos dos robôs.

Este ano, o tema da competição é Indústria 4.0, onde os estudantes devem pensar em soluções para centros de distribuição automatizados, com regras de segurança e controle de qualidade bem específicos. O torneio é promovido pelo IFSC, em parceria com a Associação Internacional de Desenvolvimento Tecnológico (AIDTEC) e com a equipe de robótica Magic Island (FRC5800). O objetivo é estimular a proatividade, o trabalho em equipe e a criatividade dos participantes.

Alex Vianna Rieger, Enthony Antunes Negrello, Kauan da Silva e Pedro Henrique Dias, do 3º módulo do curso do Ensino Médio Técnico Integrado em Eletroeletrônica, conheceram o trabalho do IFSC com robótica durante a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT), em outubro do ano passado, e se interessaram pela área de tal forma que não tiveram dúvidas em montar uma equipe para o Torneio de Robótica, mesmo estando ainda no início do curso. “Só de participar e conhecer gente que tem o mesmo interesse já vai valer a pena”, garantem os estudantes.

Para Leo William Haensch, do 5º módulo de Eletroeletrônica, o torneio vai ser também uma ótima oportunidade para aprender mais sobre a área de programação de máquinas e a parte mecânica. Ele já participou da Olimpíada Brasileira de Robótica, nas modalidades teórica e prática. “É mais interessante montar um robô, montar uma estrutura que tem uma função”, comenta Leo, que integra a equipe Kelstone, junto com Jean Carlos Laureano, do 1º módulo.

De acordo com o professor Rafael Gomes Faust, responsável pela orientação das equipes, o torneio está ajudando a despertar o interesse dos estudantes pela robótica. “O Kit LEGO tem suas vantagens, mas logos eles veem que é limitado. É quando descobrem o Arduíno. Depois, vão para microprogramadores mais potentes. A robótica é uma forma lúdica de trabalhar conceitos vistos em sala de aula”, ressalta.

SEPEI