Pular para o conteúdo

Notícias

Estudante identifica impactos ambientais gerados pelos principais setores industriais de Criciúma

SEPEI Data de Publicação: 30 jul 2019 18:42 Data de Atualização: 30 jul 2019 19:54

O estudante de Engenharia Mecatrônica do Câmpus Criciúma do IFSC, Luis Fernando Silvestre, foi responsável por desenvolver um estudo que identifica os principais setores industriais da região de Criciúma e como suas produções afetam o meio ambiente. Orientado pelos professores Erica Mastella e Rodrigo Battisti, o projeto surge como uma base para que a instituição atue em pesquisas aplicadas e possa apresentar soluções que auxiliem na gestão dos impactos ambientais.

Utilizando o Portal Sebrae como fonte, Luis Fernando identificou os setores de cerâmica, tintas e de vestuário como os mais importantes da cidade, classificando os principais resíduos de cada setor e seus destinos e tratamentos.

“Utilizando como exemplo o setor de vestuário: sabemos que algumas empresas trabalham com a parte de lavação das roupas e tecidos, o que acaba criando um efluente líquido contaminado, sendo necessária a criação de uma Estação de Tratamento de Efluentes [ETE]”, diz o estudante.

Para confirmar os dados obtidos, o aluno entrou em contato com 22 das empresas estudadas, conseguindo ser recebido por nove delas. “Nós ajustamos os dados derivados dos artigos e avaliamos novamente cada impacto e demanda que as empresas destacaram nas entrevistas, mostrando o quanto que cada empresa de cada setor pode impactar no ambiente ao nosso redor, enfatizando também a necessidade de tecnologias e serviços em relação a tais resíduos e impactos”, afirma o estudante.

Já veterano no Sepei, o aluno da quarta fase de Engenharia Mecatrônica vai para a sua terceira participação no evento, destacando a importância do seminário para os alunos. “Creio que este projeto é de alguma importância pra sociedade e o Sepei é a ferramenta perfeita para divulgar o projeto, enfatizar a importância da gestão ambiental dentro do ambiente industrial e mostrar que a sustentabilidade pode sim gerar lucro. Muitas empresas têm medo de investir e não ter retorno em relação a isso, mas o retorno é a própria conservação do meio ambiente”, conclui Luis.

A 8ª edição do Sepei acontece em Chapecó, entre os dias 30 de julho e 1º de agosto. Para saber mais sobre a programação do evento, clique aqui.
 

SEPEI