Pular para o conteúdo

Notícias

São Miguel do Oeste apresenta 23 projetos e participa da final do Desafio de Ideias Inovadoras

SEPEI Data de Publicação: 01 ago 2019 17:06 Data de Atualização: 28 ago 2019 15:16
São Miguel do Oeste apresenta 23 projetos e participa da final do Desafio de Ideias Inovadoras

O Câmpus São Miguel do Oeste (SMO) participa com 23 projetos do Seminário de Ensino, Pesquisa, Extensão e Inovação (Sepei), nos dias 30 e 31 de julho e 1º de agosto. Os alunos dos técnicos e os professores levam ao evento 12 apresentações orais, 11 apresentações em pôster, ainda participam do Festival de Bandas e da final do Desafio IFSC de Ideias Inovadoras, com duas equipes.

“Para muitos estudantes, o Sepei é a primeira experiência em apresentar um trabalho fora de seu câmpus. É também uma oportunidade para a comunidade interna trocar conhecimento e informações, além de divulgar para a comunidade externa as áreas de atuação de todos os câmpus”, afirma Ane Luize De Oliveira, técnica de laboratório e responsável pela delegação do câmpus.

A diretora de Ensino, Tahis Baú, complementa que "a participação dos estudantes e servidores nas apresentações científicas, culturais, mostras, oficinas, visitas técnicas, e a socialização com estudantes, servidores de outros câmpus e comunidade externa contribui para formação e intercâmbio de saberes e experiências entre os participantes”.

O Câmpus SMO participa de duas competições durante o evento: o Festival de Bandas e o Desafio IFSC de Ideias Inovadoras. Na primeira, as bandas iFoi e os Tropeiros do Oeste competem com outras seis bandas, de seis diferentes câmpus.

Duas equipes também competem no Desafio IFSC de Ideias Inovadoras: Agroduino SMO e Eureka. O mentor do primeiro grupo, professor Luiz Carlos Baron, explica que o projeto tem foco na automatização de arraçoamento de suínos, “que basicamente é o controle do fornecimento da ração conforme o peso e consumo por suíno”, detalha. Quem desenvolve são os alunos Maicon Luan Ogliari, Andrei Fernando Basei e Fábio Jean Boness.

A ideia do projeto surgiu a partir da prática profissional de Maicon. O estudante trabalha com o sistema, porém com o tratamento realizado de forma manual, o que acaba gerando desperdícios ou falta de ração adequada aos suínos conforme sua real necessidade. “E isto faz com que o lucro seja menor com os desperdícios e com um peso final do suíno menor do que poderia ter”, afirma Baron.

A segunda finalista de São Miguel do Oeste, a equipe “Eureka”, propõe adaptar uma cadeira de rodas tradicional com o sistema fotovoltaico. “Fazendo uso de um painel fotovoltaico, motores, baterias e sem dispensar a possibilidade de carregamento pela rede elétrica residencial, pretende-se disponibilizar uma cadeira de rodas motorizada mais acessível e de melhor custo-benefício”, detalha o mentor da equipe, o professor Diogo Belle. O projeto tem sido desenvolvido pelos estudantes Marina Eliza Baldo, Mariane Werlang, Emmanuel Scheren dos Santos e Eduardo Bortolini.

SEPEI