Pular para o conteúdo

Notícias

Câmpus Xanxerê organiza uma série de atividades para tratar da prevenção ao suicídio

ENSINO Data de Publicação: 11 set 2019 11:49 Data de Atualização: 12 set 2019 11:15
Câmpus Xanxerê organiza uma série de atividades para tratar da prevenção ao suicídio

O mês de setembro será marcado por uma série de atividades, no Câmpus Xanxerê, para tratar sobre a prevenção do suicídio com alunos, servidores e comunidade. Na programação estão agendadas interações nas salas de aula e áreas comuns do câmpus, palestras, e diálogos com diversos grupos. As atividade são focadas no tema geral da campanha do Setembro Amarelo: “Falar é a melhor solução”.

O Setembro Amarelo é uma campanha de conscientização mundial sobre a prevenção do suicídio que, em 2015, foi oficializada no Brasil pelo Centro de Valorização da Vida (CVV). A preocupação se dá, segundo o CVV, porque 32 brasileiros se suicidam diariamente. No mundo, ocorre uma morte a cada 40 segundos, o que leva a aproximadamente 1 milhão de suicídios por ano. 

Em Santa Catarina, foram registrados 11.621 suicídios nos últimos 20 anos. Somente em 2018, foram confirmados 731 suicídios no estado. Cinco anos antes (2013), foram 573. Há 10 anos, 487. Há 15 anos, foram 405. E, há 20 anos, as mortes por este motivo foram 398. 

Ao analisar esses números do Ministério da Saúde, vemos que, até o início dos anos 2000, o número de suicídios aumentou em torno de 1% a 2% a cada cinco anos. A partir de 2003, o percentual começou a subir drasticamente, chegando a 15% se comparado os dados de 2008 e 2013. Depois desse período, os números não pararam mais de aumentar e, quando comparamos 2018 com cinco anos antes (2013), o aumento foi de 22%.

“Importantíssimo que o assunto suicídio seja abordado entre os adolescentes com conhecimento e sensibilidade, pois os índices de suicídio e tentativas de suicídio nessa idade estão aumentando muito”, relata a psicóloga Cristina Folster, do Câmpus Xanxerê.

A psicóloga aponta que várias publicações e estudos tentam explicar esse crescimento (negativo) entre os mais jovens. Os principais motivos giram em torno dos seguintes motivos: 1) as crianças e adolescentes estão cada vez mais sozinhos em casa; 2) há pouco diálogo/abertura com os pais e familiares para falar sobre questões emocionais; 3) crianças/adolescentes que crescem sem saber o que é frustração (o "não") e então não sabem lidar com as adversidades da vida; 4) mal uso da internet; 5) relações cada vez mais líquidas.

Outra preocupação gira em torno dos meninos e homens. O número de suicídios entre eles é muito maior do que entre as meninas/mulheres. Uma das principais explicações está no fato de que elas falam e confidenciam mais do que eles. “As meninas relatam às amigas ou me procuram quando não estão bem e relatam quando pensam em suicídio, então consigo realizar uma intervenção. Já os meninos procuram menos, não comentam o que pensam com os outros, como se fosse sinal de fraqueza”, conta Cristina.

Algumas atividades do Câmpus Xanxerê:

- Palestra com a comunidade, no dia 21/09, às 19h45, no salão da igreja de Xanxerê;
- Palestra sobre prevenção ao suicídio, com as alunas que desenvolveram o "SafeTears", aplicativo de celular focado no tema. Será no dia 21/09, às 15h, no auditório do SuperAlfa Xaxim. Saiba mais sobre o app aqui;
- Leitura dramática: O papel de parede amarelo, com o grupo de Teatro Palcollet, no dia 10/09, às 10h;
- Um canto todo seu, na entrada da biblioteca: poemas em forma de drops literários para serem retirados e espaço para deixar o seu, e fitas em formato de laço para os alunos usarem na roupa;
- Farmácia Literária, na biblioteca: livros literários que auxiliam na prevenção ao suicídio;
-  Diálogo com as turmas, durante as aulas, com rodas de conversa e exibição e debate da animação do livro “A parte que falta”.

Como auxiliar na prevenção

1) “A pessoa que pensa em suicídio, na verdade, não quer acabar com a própria vida e sim com o sofrimento ao qual está passando. Se ela perceber que há outras saídas e pessoas que podem ajudá-la, ela não irá cometer suicídio”, afirma a psicóloga Cristina;
2) Se alguém relatar que está pensando em suicídio, a pessoa deve ouvir sem julgamentos e dar importância ao que está escutando. Nunca minimizar como, por exemplo, comparar os sofrimentos ("tem gente que não tem nem o que comer e você aí sofrendo por causa de um namoro” ou “isso não é nada vai passar”);
3) Mostrar para a pessoa que está sofrendo que ela não está sozinha. E acompanhá-la ao procurar ajuda profissional;
4) Leia e busque auxílio sobre o tema no Centro de Valorização da Vida (CVV). Segundo o CVV, 90% dos suicídios podem ser prevenidos.

Por que Setembro Amarelo?

Segundo o CVV, em 1994, um americano de 17 anos, chamado Mike Emme, tirou a própria vida dirigindo seu carro amarelo. Seus amigos e familiares distribuíram no funeral cartões com fitas amarelas e mensagens de apoio para pessoas que estivessem enfrentando o mesmo desespero de Mike, e a mensagem se espalhou. 

 

ENSINO EXTENSÃO CÂMPUS XANXERÊ EVENTOS INSTITUCIONAL