Pular para o conteúdo

Notícias

Projeto do Câmpus Araranguá é aprovado no programa Ciência na Escola

PESQUISA Data de Publicação: 03 out 2019 15:08 Data de Atualização: 04 out 2019 09:20
Projeto do Câmpus Araranguá é aprovado no programa Ciência na Escola
Grupo de pesquisa já realiza uma série de atividades voltadas à aproximação entre a pesquisa científica e o cotidiano das escolas

O Câmpus Araranguá do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) teve um projeto aprovado no programa Ciência na Escola, do Ministério da Ciência e Tecnologia, para o financiamento de projetos de pesquisa relacionados ao ensino de ciências na educação básica. O Câmpus receberá R$ 60 mil para a realização de um projeto que visa levar os avanços da pesquisa em educação científica para dentro das salas de aula.

O projeto “A articulação entre divulgação científica, educação científica e ciência experimental contribuindo para qualificar o ensino de ciências na educação básica” é coordenado pelo professor Felipe Damasio e tem a participação dos professores Adriano Rodrigues, Samuel Costa, Bruno Leal Dias e Rodrigo Ramos. Ele foi aprovado na chamada 05/2019 do Ministério da Ciência e Tecnologia e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), na linha de “Ações de intervenção em escolas de educação básica com foco em ensino de ciências”. O recurso será utilizado para aquisição de materiais, custeio das atividades de pesquisa e pagamento de estudantes bolsistas que atuarão no projeto.

O objetivo do projeto é aprimorar a qualidade de ensino de ciências na educação básica das escolas públicas, promovendo atividades de divulgação científica, criando espaços criativos para o ensino de ciência nas escolas e promovendo cursos de formação para professores, entre outras ações. O Grupo de Estudos em Educação e Divulgação Científicas já realiza uma série de atividades voltadas à aproximação entre a pesquisa científica e o cotidiano das escolas, como o canal do YouTube IFSCience, lançado no primeiro semestre deste ano.

Com o recurso do programa Ciência na Escola, professores e bolsistas poderão desenvolver materiais didáticos, laboratórios móveis e outras atividades que possam ser levadas para as escolas de Araranguá. O recurso do projeto também poderá ser usado para equipar o laboratório de mídias e divulgação científica já existente no Câmpus Araranguá.

Além de equipar o laboratório de mídias, teremos duas bolsas de iniciação científica e duas de iniciação científica ensino médio durante os dois anos do projeto, garantindo assim tanto aquisição de material como recursos para formação de futuros pesquisadores”, afirma Damasio.

CÂMPUS ARARANGUÁ PESQUISA