Pular para o conteúdo

Notícias

SNCT do Câmpus Canoinhas recebe 950 alunos de 11 escolas da região

SNCT Data de Publicação: 30 out 2019 06:23 Data de Atualização: 07 nov 2019 13:02
No hall de entrada, os estandes dos cursos técnicos e superiores; nos laboratórios e salas de aulas, as oficinas com atividades variadas e para todos os públicos; nos corredores, as mostras temáticas; no auditório, palestras, atividades culturais e apresentações de projetos de ensino, pesquisa e extensão; em todo o câmpus, um esforço concentrado de estudantes e servidores para tornar a ciência e a tecnologia mais acessíveis a toda população e divulgar o trabalho e a missão do IFSC. Durante três dias, este foi o cenário do Câmpus Canoinhas, que parou as aulas convencionais para abrir suas portas à comunidade na 16ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT), encerrada nesta quinta-feira (24).

O evento começou na terça (22) e recebeu 950 alunos de onze escolas de Canoinhas, Três Barras, Irineópolis e Major Vieira. Nas visitas guiadas, os estudantes das escolas da região conheceram toda estrutura do câmpus e participaram das atividades propostas. No total, foram 32 oficinas desenvolvidas especialmente para os visitantes, das crianças das fases iniciais aos alunos da educação de jovens e adultos.

Dentre tantas coisas que chamaram a atenção de um grupo de onze estuantes de 9º ano da Escola de Educação Básica João José de Souza Cabral, de Canoinhas, a estrutura física e, em especial, o auditório foram unanimidades. Para quem gosta de música, dança e teatro, um palco grande é motivo mais do que suficiente para destacar a escola. “Ajudou a gente a querer estudar no IFSC ainda mais”, contaram os “artistas”, que, não por acaso, escolheram participar da oficina de dança, ministrada pela aluna do curso técnico integrado em Alimentos do Câmpus Canoinhas e coordenadora do grupo de dança Ifrequência, Liliane Matsuzawa Figueiredo.

Dos onze alunos, oito fizeram a prova do exame de classificação para os cursos técnicos integrados do IFSC, no último dia 20. Júlia Mirela Raab, Thainá Carvalho, Julia dos Santos, Lailane Neves, Bruna Ambrosini, Ana Luiza de Paula e Ana Maria da Silveira se inscreveram para o curso de Alimentos. Caio Veiga Maievski optou pelo técnico em Edificações. O resultado será divulgado no dia 6 de dezembro. Os alunos Arnoldo Silva Junior, Laianni Friedrich e Maria Fernanda Mareshi completam o grupo.

Além da estrutura física, a quantidade e diversidade de cursos foram o que mais surpreenderam o grupo da Escola Básica Municipal Francisco Rocha, de Três Barras, que visitou o IFSC pela primeira vez. Localizada na área rural, na comunidade de São João dos Cavalheiros, a escola tem turmas do berçário ao 9º ano. “A maioria dos nossos alunos passa a vida toda lá e não imagina como é em outra escola”, conta a diretora Ana Cristina Souza. “Nosso papel é mostrar outras alternativas e despertar a curiosidade”, complementa.

A iniciativa da visita partiu da professora de matemática, Janaína Bueno, que conheceu o IFSC ao procurar uma escola para a filha fazer o ensino médio e quis compartilhar com seus alunos esta possibilidade de fazer um curso que tenha a parte técnica junto. “Muitos são filhos de agricultores e pedreiros e vêm com a ideia de que ou farão a mesma coisa que os pais ou terão que sair da área rural. Com um curso técnico, eles podem agregar conhecimento e valor às profissões e continuar no campo”, ressalta professora Janaína.

Para receber e acompanhar as escolas nas visitas guiadas, o Câmpus Canoinhas contou com o apoio de 25 alunos monitores voluntários. Alguns também trabalharam nos estandes dos cursos, como o Daniel Wzorck, do técnico concomitante em Manutenção e Suporte em Informática e do superior de tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS), e Adam Slabadack, de ADS. Eles ficaram responsáveis pela apresentação dos dois cursos do eixo tecnológico de informação e comunicação.

“A gente traz a experiência e tudo o que conhecemos dos nossos cursos para mostrar todas as possibilidades que o câmpus apresenta e a carga que é levar o nome do IFSC no currículo”, explica Adam. Para ele, a interação com diferentes públicos é enriquecedora. “A partir desta experiência, alguns monitores conseguiram descobrir sua veia de professor”, afirma.

A docência, por sinal, é também uma das inúmeras possibilidades que os cursos apresentam. “Os cursos de Manutenção e Suporte em Informática e ADS são bem abrangentes, com sete, oito áreas de atuação no técnico e mais de 25 áreas no superior. É o que queremos mostrar aqui, desmistificar a tecnologia”, conta Daniel.

O evento

A SNCT é o maior evento de popularização da ciência do Brasil. Coordenada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), a Semana acontece em instituições de todo o país e tem como objetivo mobilizar e aproximar a população de assuntos que envolvam ciência e tecnologia, através de atividades que valorizem a criatividade, inovação e a atitude científica. Em sua 16ª edição, o evento tem como tema este ano “Bioeconomia: Diversidade e Riqueza para o Desenvolvimento Sustentável”.

No Câmpus Canoinhas, o evento aconteceu nos dias 22, 23 e 24 de outubro e contou com inúmeras atividades expositivas e também duas palestras relacionadas diretamente ao tema, uma sobre os “Impactos socioambientais da exploração de xisto em Santa catarina”, com a agricultora, pedagoga e especialista em gestão e tecnologia ambiental na indústria, Suelita Röcker, da Coalizão Não Fracking Brasil (Coesus), e outra sobre negócios de impacto a experiência da Keep Eco, uma embalagem ecológica que substitui o filme plástico na conservação de alimentos, com a agrônoma e empresária Carla Viero.

Neste ano, a SNCT local conta com financiamento do CNPq, por meio da Chamada CNPq/MCTIC Nº 09/2019, que possibilitou a contratação de ônibus para as visitas das escolas.

 

SNCT