Pular para o conteúdo

Notícias

Projeto de estudantes do IFSC é selecionado em prêmio de inovação de Criciúma

INOVAÇÃO Data de Publicação: 12 nov 2019 08:59 Data de Atualização: 12 nov 2019 11:27
Projeto de estudantes do IFSC é selecionado em prêmio de inovação de Criciúma
Marcos e Rafael apresentaram uma solução inovadora para a indústria cerâmica da região | Foto: Daniel Cassol

Uma ideia desenvolvida por estudantes do Câmpus Criciúma do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) foi uma das dez escolhidas para receber recursos do programa Inova Criciúma, através do Fundo Municipal de Inovação (FMI). O projeto vai receber R$ 25 mil em um ano para ser colocada em prática.

O Inova Criciúma é um programa de incentivo ao empreendedorismo inovador que oferece recursos financeiros, capacitações e suporte para transformar ideias inovadoras em empreendimentos de sucesso. De 31 propostas inscritas, 22 foram avaliadas e dez serão beneficiadas com até R$ 25 mil. A iniciativa é uma ação da Diretoria de Desenvolvimento Econômico, Tecnologia e Inovação. O resultado foi divulgado no dia 7 de novembro.

Estudantes de Engenharia Mecatrônica do Câmpus Criciúma, Marcos Welliton Daros Felipe e Rafael de Mattos de Souza tiveram a ideia de desenvolver um sistema computacional capaz de visualizar defeitos em peças de cerâmica, automatizando um processo que muitas vezes demanda intervenção humana, o que pode reduzir custos e aumentar a competitividade da indústria regional. Com o título “Desenvolvimento de um sistema de visão para inspeção automática de defeitos visuais em placas cerâmicas”, o projeto foi um dos dez selecionados para ser colocado em prática.

“O projeto aprovado tem como finalidade realizar a identificação automática de defeitos geométricos e visuais em peças cerâmicas, como por exemplo trincas e manchas. Isso será feito através de visão computacional. Além de aumentar a produção das linhas cerâmicas reduzirá os problemas ocupacionais dos funcionários do setor de qualidade”, explica Marcos.

Entre os critérios usados pela comissão para analisar as ideias, estavam o currículo dos responsáveis, viabilidade e relevância da proposta, grau de inovação e impactos sociais, econômicos e ambientais. A banca era composta por representantes da prefeitura de Criciúma, da Universidade do Extremo Sul Catarinense (Unesc), da Associação Catarinense de Tecnologia (Acate) e da Associação dos Jovens Empreendedores (AJE).

“O Edital de Ideias Inovadoras nos incentivou a procurar por possíveis problemas tanto da administração pública quanto da indústria local. Após a consideração de algumas ideias como software para controle da merenda disponibilizada pela prefeitura, estacionamento inteligente e semáforos inteligentes, acabamos chegando à ideia de melhorar o controle de qualidade das indústrias da região, com o objetivo de reduzir custos, ajudando a torná-la mais competitiva. Como a indústria cerâmica é muito forte na região, optamos por voltar nossas atenções a ela”, conta Rafael. “Apesar de contar com equipamentos de alta tecnologia, algumas etapas do processo produtivo das indústrias cerâmicas ainda necessitam de intervenção humana, como no setor de classificação, onde é feito o controle de qualidade”, explica o estudante.

A ideia agora é constituir uma empresa e vincular-se a uma incubadora ou aceleradora de negócios, para desenvolver o projeto no período de um ano. Os estudantes terão orientação técnica do professor do Câmpus, Diego Fabre.

“Foi muito gratificante ver o projeto de nossa equipe entre os selecionados, afinal, foram mais de 30 ideias inovadoras submetidas. Recebi uma ligação quinta-feira à noite e demorei para acreditar na notícia. O desafio será enorme, mas os aprendizados e oportunidades que surgirão também serão ainda maiores”, diz Marcos.

Além do projeto dos estudantes de Engenharia Mecatrônica, o Inova Criciúma também selecionou o projeto KLS - “Surf sem Chave”, que tem origens em um trabalho de conclusão do curso técnico em Mecatrônica do IFSC e hoje conta com outros integrantes.

CÂMPUS CRICIÚMA INOVAÇÃO