Pular para o conteúdo

Notícias

Pesquisa de alunos do Câmpus Florianópolis sobre osmose no espaço é finalista do projeto Garatéa-ISS

ENSINO Data de Publicação: 06 dez 2019 07:31 Data de Atualização: 06 dez 2019 08:03
Pesquisa de alunos do Câmpus Florianópolis sobre osmose no espaço é finalista do projeto Garatéa-ISS

O projeto de estudantes do Câmpus Florianópolis para fazer uma pesquisa sobre osmose espacial está entre os três finalistas do Garatéa-ISS. O programa faz parte do Students Spaceflight Experiments Program (SSEP), iniciativa norte-americana existente há 16 anos e organizada pelo National Center for Earth and Space Science Education e enviará um projeto de pesquisa de escola brasileira para ser realizado na Estação Espacial Internacional (ISS). O resultado foi divulgado nesta quarta, 4 de dezembro.

Durante 12 semanas, Eduardo Da Costa Ilha (Química), Vitor Zimmermann (Eletrotécnica), Tiago Ballmann de Campos (Eletrotécnica) e Pamela Fialho Silva Lopes de Oliveira (Eletrônica), participaram da elaboração de experimentos científicos que estão concorrendo a um voo à ISS.

“Foi uma grande surpresa na verdade. Antes já havíamos sido informados sobre estarmos na seleção dos 10 projetos finalistas do Brasil, e para nós isso já era motivo de comemoração. Agora que nosso projeto passará pela análise oficial da Nasa a felicidade aumenta bastante”, conta Pamela.

Eles decidiram testar os efeitos da microgravidade sobre a osmose, um fenômeno natural decorrente da proximidade de duas soluções de concentrações diferentes, separadas por uma membrana semipermeável, ou seja, uma membrana que permite a passagem de um certo tipo de moléculas e não de outras. A osmose se dá quando há uma movimentação líquida, através da membrana, no sentido da solução mais diluída para a mais concentrada, com uma tendência de uniformização das concentrações. A hipótese é de que a osmose seja mais lenta no espaço.

De acordo com o grupo, a finalidade desse projeto é verificar o processo de osmose em um ambiente de microgravidade em relação ao ambiente terrestre, possibilitando futuros experimentos relacionados à agricultura (osmose presente na captação de água e nutrientes pelas raízes das plantas), e à gastronomia (cristalização de frutas, conservação de carnes com sal, compotas de frutas).

ENSINO