Pular para o conteúdo

Notícias

Estudantes conquistam medalhas de prata e bronze na Olimpíada de Robótica

CÂMPUS JOINVILLE Data de Publicação: 16 dez 2019 13:09 Data de Atualização: 16 dez 2019 15:44

Chegaram as medalhas da Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR). Neste ano, o Câmpus Joinville conquistou duas medalhas na modalidade teórica do nível 5, para estudantes regularmente matriculados no ensino médio ou técnico. Romero Perardt Magalhães Brito garantiu uma medalha de prata e Alex Vianna Rieger uma de bronze.

Além da medalha, o bom desempenho na prova teórica também garantiu a Romero a participação no Minicurso de Robótica, realizado de 22 a 26 de outubro, na Universidade Federal do Rio Grande (FURG), na cidade de Rio Grande – RS. O minicurso é uma das premiações atribuídas aos participantes que obtiveram o melhor desempenho no Nível 5 em cada estado, desde que não tenham tido contato com a robótica na prática. De Santa Catarina, apenas Romero e mais dois alunos foram classificados.

“A oportunidade de ir lá foi bem legal. Aprendemos o básico de programação dentro de um ambiente universitário, enfrentando desafios com os participantes da prova prática, e ainda conehcemos várias competições de robótica”, conta Romero, explicando que o Minicurso de Robótica é realizado durante o evento da etapa nacional da modalidade prática da OBR. Conforme a organização do evento, o objetivo é justamente introduzir o estudante que realizou a prova teórica no mundo da robótica móvel inteligente, ensinando-o a projetar, programar e competir com robôs.

Para o estudante do Câmpus Joinville, foi muito interessante conhecer esta nova área. “Tinha aquele medo da programação. Agora, vi que é um negócio interessante e que, se me dedicar, dá pra entender, fazer”, enfatiza Romero, que está no sexto módulo do curso técnico integrado em Mecânica e, antes, só participava de olimpíadas de matemática.

Neste ano, ele também participou da Olimpíada de Astronomia e Astronáutica (OBA), onde estreou com medalha de ouro. “As olimpíadas científicas abrem horizontes, porque mostram que tem muito mais coisas do que a gente estuda na escola”, comenta Romero. Sua meta para o ano que vem é continuar com bom desempenho na OBR e na OBA e ampliar seus resultados com a participação na Olimpíada Brasileira de Física (OBF).

CÂMPUS JOINVILLE INSTITUCIONAL