Pular para o conteúdo

Notícias

Alunos desenvolvem projetos para melhoria da mobilidade

CÂMPUS ITAJAÍ Data de Publicação: 26 dez 2019 10:43 Data de Atualização: 27 dez 2019 07:26

Quando uma estudante do Câmpus Itajaí se machucou e precisou usar uma cadeira de rodas, os alunos do oitavo módulo do curso técnico integrado em Mecânica André Fragas, Fábio Siqueira, João Regado e Lucas Neves perceberam as dificuldades que ela tinha em se locomover. Um dos maiores problemas é que ela precisava fazer um esforço muito grande com os braços para movimentar a cadeira e eles resolveram pensar em uma solução. No projeto integrador do curso técnico integrado em Mecânica, que é o projeto final do curso, eles desenvolveram um sistema que pode ser acoplado na cadeira de rodas para facilitar a locomoção e com isso melhorar a ergonomia do veículo, já que a forma tradicional de uso de cadeiras de rodas mecânicas pode provocar uma série de lesões por sobrecarga no ombro, cotovelo e articulações do punho.

Eles se inspiraram em kits livres que são vendidos para motorizar cadeiras de rodas, mas desenvolveram um modelo a partir de duas bicicletas que seriam descartadas. “Nós utilizamos o quadro e o pedal de uma bicicleta e isso permite um menor esforço físico do usuário. Com esse sistema, ele consegue também dar a ré com a cadeira”, explica André Fragas.

Os estudantes gastaram cerca e R$ 400,00 para desenvolver a peça e fazer adaptações na cadeira de rodas que fica no Câmpus Itajaí. “Nossa primeira ideia era fazer um sistema que pudesse ser acoplado em qualquer modelo de cadeiras de rodas, mas tivemos que fazer um específico para a cadeira de rodas do Câmpus Itajaí porque ela tem uma série de especificidades por ser um modelo pensado para crianças. Fizemos também algumas adaptações como trocar o rolamento e o banco. Uma das melhorias que precisariam ser feitas no nosso sistema é a parte de engate para ficar mais fácil para o usuário. Ele precisa ser aperfeiçoado e espero que isso seja feito por outros alunos do técnico em Mecânica, mas o sistema pode ser utilizado do jeito que está. Para nós foi muito interessante pensar em um projeto que possa de uma forma ou de outra contribuir para o trabalho que vem sendo feito no Câmpus Itajaí”, comenta André.  

Outro projeto integrador do curso técnico integrado em Mecânica também partiu do reaproveitamento de uma bicicleta para desenvolver um veículo que permitisse uma melhor mobilidade. Eles fabricaram o que chamaram de bikenete, um patinete ativo pensado para o transporte dos alunos e servidores do Câmpus. Ele tem o guidão e rodas de bicicleta e conta com uma base de uma prancha antiaderente em que o usuário pode colocar os dois pés. “Nós pensamos em um patinete que possa ser utilizado em longas distâncias. A maior parte dos patinetes vendidos tem uma roda pequena e são elétricos. Pensamos em um com rodas maiores, em que a base de apoio para os braços não fosse tão baixa e que servisse como uma forma de atividade física para o usuário”, explica o aluno Vitor Dominski.

Para desenvolver o projeto, Vitor e os alunos Carlos Ranieri Limas e Pedro Russi tiveram que fazer um estudo sobre veículos não poluentes. “Cada vez mais os patinetes têm sido utilizados como meios de transporte alternativo nas cidades, mas os patinetes elétricos não são tão ecológicos como se pensa. A bateria deles têm uma série de componentes como o lítio e, além disso, eles aumentam a demanda por energia elétrica. Nossa proposta foi pensar em um veículo que desenvolvesse a capacidade motora do usuário.”

Os dois trabalhos foram orientados pelo professor Ulisses Filemon Leite e a orientação da banca que avaliou os projetos é que eles sejam enviados para a publicação em uma revista científica. 

 

CÂMPUS ITAJAÍ