Pular para o conteúdo

Notícias

Período de férias oportuniza melhorias nos câmpus

INSTITUCIONAL Data de Publicação: 07 fev 2020 12:03 Data de Atualização: 07 fev 2020 12:42

Depois de mais de 200 dias letivos, os alunos dos mais diferentes cursos puderam desfrutar suas férias. Os câmpus por sua vez aproveitam esse tempo para execução de melhorias na estrutura e também nos diversos processos que envolvem a educação profissional e tecnológica. Prédios, salas de aula e espaços novos, ampliações e reformas foram o conteúdo principal nesse período de recesso escolar. 

Os calouros e os estudantes que retornarem às aulas no Câmpus São José vão encontrar novidades na estrutura física e algumas obras ainda em andamento. A obra que mais vai chamar a atenção é a da reforma da cantina. Segundo o professor Saul Silva Caetano, que foi diretor-geral do câmpus até o último sábado, dia 1º, a obra vai adequar o espaço às exigências da Vigilância Sanitária e permitir a oferta de almoço. A reforma, que foi feita com recursos do câmpus e da Reitoria, deve seguir até abril.

Temporariamente, o hall de entrada do câmpus está fechado para a circulação de pessoas e o acesso às salas e setores do câmpus deve ser feito pelas escadas e rampas laterais. Quando for concluída a obra, a cantina que hoje funciona no centro de convivência voltará ao antigo espaço.

Ainda em São José

Durante o período de férias, começou a pintura de todas as salas de aula do câmpus. As paredes externas de alguns setores administrativos também serão pintadas.

No auditório do câmpus, foram feitas algumas obras para melhorar a segurança e acessibilidade. Na primeira fileira de cadeiras, foi instalada uma proteção com vidro transparente, para evitar o risco de queda, já que há um degrau após essa primeira fila. Corrimãos de metal foram colocados na entrada e nas laterais do auditório.

Na quadra coberta do câmpus, foi feito um novo contrapiso (camada que fica abaixo do piso e que ajuda a nivelá-lo) e trocado o alambrado. Ainda neste semestre, começará uma obra de elevação da altura dos guarda-corpos do câmpus, que são as grades de metal que protegem a circulação de pessoas no andar superior. 

Melhorias em infraestrutura

Os laboratórios de vestuário do Câmpus Gaspar passarão por uma reforma até o mês de maio. Serão feitas melhorias para proporcionar conforto térmico e acústico dos ambientes, a revisão de todo o sistema elétrico com adequação das tomadas e da iluminação, melhorias para aperfeiçoar a divisão dos espaços e uma reforma nos dois banheiros. O valor total da obra é de cerca de R$ 150 mil e o recurso vem de emenda parlamentar. “A proposta é rebaixar o teto para proporcionar conforto térmico e acústico, colocar toda a infraestrutura para a instalação de ar-condicionado, melhorar a divisão do espaço de forma com que ele possa ser usado tanto de forma integrada ou possa ser dividido em três salas e construir paredes que terão isolamento acústico”, explica o engenheiro civil do Câmpus Gaspar, Luiz Potter Tonin.

A diretora-geral do Câmpus Gaspar, Ana Paula Kuczmynda da Silveira, explica que as obras irão proporcionar maior conforto térmico, mais segurança e ergonomia ao trabalho realizado nos laboratórios. “Queremos possibilitar uma melhor organização do espaço físico dos laboratórios, entendendo que eles são utilizados principalmente pelos alunos da área de vestuário, mas também eventualmente por outros alunos. Esse era um sonho nosso desde a entrega do Câmpus.”

Melhorias internas e externas

Durante o período de férias sem aulas e outras atividades acadêmicas, o Câmpus Palhoça-Bilíngue passou por reformas e adquiriu equipamentos para melhor atender a comunidade.

Uma das obras mais importantes é a colocação do contêiner que vai abrigar o grêmio estudantil e centros acadêmicos. Localizado perto da caixa d’água do câmpus, ele já foi equipado com aparelhos de ar condicionado, energia elétrica e mobiliário, faltando apenas a internet, que será instalada após a contratação de empresa para expandir a rede de fibra óptica do câmpus. Além do contêiner, haverá mais mudanças no espaço externo do câmpus. No estacionamento, foi feita manutenção no pavimento e instalação de um bicicletário com espaço para 20 bicicletas. No prédio, as paredes externas foram pintadas e o letreiro na fachada passou por manutenção e reparos.

Com a ida dos órgãos de representação estudantil para o contêiner, a sala que era dividida entre eles e o espaço de convivência para estudantes, no andar térreo do câmpus, perdeu as divisórias e agora vai ser usada inteiramente como local de convivência. Além da área ampliada, a sala ganhou mobiliário novo e uma pia. “Essa era uma demanda dos alunos, porque muitos usam aquele espaço para fazer suas refeições”, conta a coordenadora de Compras, Orçamento e Finanças do Câmpus Palhoça Bilíngue, Patrícia Müller Vidal. 

No terceiro piso do câmpus, há duas novidades para os estudantes. A secretaria acadêmica passa a funcionar toda em uma sala própria, localizada no mesmo corredor onde antes ficava a mesa onde eram feito o atendimento pelo setor. A poucos metros dali, foi instalada uma sala para atendimento individual de estudantes. 

Foram feitas obras também em outras áreas internas do câmpus, como reformas no Laboratório de Química, no Palco das Artes e no setor de almoxarifado, pintura de alguns corredores e salas de aula, instalação de nove aparelhos de ar condicionado (inclusive na sala dos assistentes de alunos, que vai funcionar no hall de entrada do prédio), troca de piso na cantina e reparos em vidros e corrimãos que estavam danificados. No Laboratório de Pedagogia Bilíngue, foi instalado piso vinílico. “O laboratório recebe crianças e esse piso tem um conforto térmico melhor”, explica Patrícia.

Manutenção também faz parte

É neste período de férias que se concentram as obras e manutenção para que tudo funcione o mais perfeitamente possível ao longo do ano. Também foi assim no Câmpus Florianópolis, com a limpeza das 15 caixas d’água do câmpus, manutenção dos banheiros, pintura e revitalização de diversas áreas, inclusive do hall de acesso, e muitos outros.

E em janeiro também é feito o “faxinão”, uma limpeza mais profunda e detalhada dos ambientes da instituição. Também são feitos os serviços de desratização e desinsetização, prevenindo que seja necessário fazer esse tipo de manutenção ao longo do ano letivo.

Quando a ampliação é mais que área construída

O Câmpus Criciúma terá sua capacidade ampliada: o Bloco D tem dois pavimentos, com 11 salas de aula e aproximadamente 1,3 mil metros quadrados de área construída. Com o novo bloco, o Câmpus Criciúma ampliará a capacidade de vagas, das atuais 1,2 mil para 2 mil. Existe ainda a possibilidade de, no futuro, ser construído um terceiro pavimento no mesmo bloco.

As obras foram retomadas em outubro de 2019 e a previsão de conclusão é abril próximo.

 

INSTITUCIONAL