Pular para o conteúdo

Notícias

Professores são membros de grupo de especialistas em resíduos e contaminantes em recursos pesqueiros do governo federal

CÂMPUS ITAJAÍ Data de Publicação: 14 fev 2020 10:14 Data de Atualização: 14 fev 2020 12:02

Os professores Thiago Alves e Mathias Schramm, do Câmpus Itajaí, compõem o comitê de especialistas do grupo Ad hoc para resíduos e contaminantes em recursos pesqueiros do Ministério da Agricultura. O grupo é formado por pesquisadores de institutos e universidades brasileiras e eles atuam como consultores do Ministério em caso de discussões a respeito de questões relacionadas ao tema. Uma das principais atribuições do grupo no momento é a de rever a legislação do Programa Nacional de Controle Higiênico-sanitário de Moluscos Bivalves (PNCMB) que estabelece os requisitos mínimos necessários para a garantia da inocuidade e da qualidade dos moluscos bivalves marinhos destinados ao consumo humano e define os critérios para monitoramento e fiscalização.

Além dos professores Thiago e Mathias do Câmpus Itajaí, compõem o grupo de especialistas Ad hoc de resíduos e contaminantes em recursos pesqueiros os pesquisadores Alex Augusto Gonçalves (Universidade Federal Rural do Semi-árido (Ufersa), Cristiana Perdigão Resende (Aquacen Saúde Animal – Renaqua), e Sandra Maria Feliciano de Oliveira Azevedo (Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

O professor Thiago Alves avalia que o fato de muitos professores dos institutos e das universidades federais estarem atuando diretamente em pesquisas, como é o caso do o comitê de especialistas do grupo Ad hoc para resíduos e contaminantes em recursos pesqueiros do Ministério da Agricultura, é um diferencial do modelo brasileiro. “O desenvolvimento científico brasileiro está diretamente vinculado às instituições públicas de ensino, diferente do que acontece na Europa e nos Estados Unidos em que são as instituições privadas que atuam na maior parte das pesquisas. No Brasil, a grande massa científica do país está nas universidades e nos institutos federais e é formada por professores que fazem pesquisa e também atuam no ensino.”

CÂMPUS ITAJAÍ