Pular para o conteúdo

Notícias

21% dos estudantes participam de avaliação das medidas adotadas pelo IFSC no período de distanciamento social

INSTITUCIONAL Data de Publicação: 06 abr 2020 13:34 Data de Atualização: 06 abr 2020 14:34

O IFSC divulgou, na última semana, uma síntese da pesquisa online realizada com estudantes, professores e técnicos-administrativos para avaliar as medidas de enfrentamento da Covid-19, principalmente a mudança de rotina com o distanciamento social. A pesquisa foi encomendada pelo Comitê Permanente de Gestão e Crises e vem sendo utilizada para subsidiar melhor compreensão do cenário, sendo mais uma fonte possível de informações para a tomada de decisões institucionais no Colégio de Dirigentes (Codir) e no Conselho Superior (Consup).

Foram validadas 8.206 participações, sendo 6.872 alunos, 422 técnicos e 857 professores. Cada público representa, respectivamente, 83,7%, 10,4% e 5,1% dos retornos obtidos pelo questionário. Outros 55 cidadãos, com perfis externos diversos, responderam ao questionário que continha perguntas abertas (discursivas) e fechadas (de assinalar). 

Como o IFSC manteve o calendário acadêmico, mesmo que de forma não-presencial, um dos focos da pesquisa foi o acompanhamento das atividades a distância. Quase 60% dos professores da instituição responderam a pesquisa, sendo que 819 (95,6% dos respondentes) afirmaram que estão promovendo atividades não-presenciais aos estudantes. Apesar desse indicativo parecer favorável na perspectiva quantitativa, existem indícios de bastante dificuldade por parte de alguns educadores e estudantes na interação mediada por tecnologias. Outro desafio que os docentes sinalizam com recorrência nas respostas discursivas estão relacionados ao desenvolvimento das competências técnicas pela prática.

Se os professores enviaram orientações e conteúdos, os estudantes confirmam recebimento. Praticamente todos (98,1%) dos que responderam às questões deste bloco afirmaram que receberam orientações sobre as aulas online, sendo que 45% receberam este tipo de informação de todos os professores do semestre e 52,9% de alguns docentes. Por outro lado, 102 estudantes (1,9%) afirmam não terem recebido orientação e 3,6% não receberam conteúdos para estudar.

André Dala Possa, pró-reitor de extensão e relações externas do IFSC fez ponderações sobre a amostragem durante a apresentação no Comitê de Crises. "A decisão de aplicar a pesquisa tinha um foco em captar indícios para colaborar nas decisões em meio a crise. Nunca foi tida como uma 'votação' para decidir o calendário. Sabemos que a riqueza dos achados está nas questões discursivas e não nas porcentagens, até porque a pesquisa tem um público já restrito - alcança somente quem tem e faz uso de Internet e computador", afirmou. 

Em relação ao conteúdo repassado pelos professores, 96,4% dos estudantes afirmam que receberam materiais das aulas. Eles também puderam avaliar este conteúdo com notas de “um” a “cinco”. A maioria deles (88%) avaliou com as notas “três” (28%), “quatro” (35,5%) ou “cinco” (25,3%). Apenas 8,6% deram a nota “dois” para os conteúdos e 2,6% avaliaram com a nota “um”.

Ao detalhar o número de respondentes, percebe-se que mais de metade (54,6%) corresponde a respostas dos alunos dos cursos técnicos e outros 40% dos superiores. Não se trata de uma coincidência, já que estes dois públicos também são os com maior representatividade em números entre os estudantes do IFSC. Do total de 32.219 matrículas ativas, 14.173 são de técnicos e 8.429 são de cursos de graduação, totalizando 70% das matrículas ativas da instituição atualmente. 

Os números obtidos a partir do questionário também vão ao encontro de outros dados, fornecidos pelas Diretoria de Tecnologias de Informação e Comunicação (Dtic) e  Diretoria de Estatísticas e Informações Acadêmicas (Deia). Desde o início do distanciamento social, 59% dos estudantes do IFSC acessaram pela menos uma vez o Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas (Sigaa), o canal prioritário na maioria dos câmpus para orientação das atividades não-presenciais. O percentual de acesso tem aumentado no decorrer das semanas e tem sido maior pelos públicos com maior representatividade em número no IFSC: 79% dos alunos dos bacharelados acessaram; 69% dos cursos superiores em tecnologia; e 70% dos técnicos.

Manutenção do calendário acadêmico

Os três públicos que responderam aos questionamentos também deram suas opiniões sobre a manutenção do calendário acadêmico do IFSC. No geral, 62% são a favor de que a instituição mantenha o calendário com atividades não presenciais; 21% preferem que o calendário seja suspenso; e 17% não sabiam ou preferiram não opinaram.   

O percentual mais alto pela manutenção do calendário surgiu nas respostas dos técnicos-administrativos. Dos 422 que responderam a pesquisa, 67,5% pensam ser melhor manter as atividades não-presenciais; 10,2% preferem que as atividades sejam suspensas e 22,3% preferiram não opinar. 

Em segundo lugar aparecem os estudantes, com 62,2% a favor da manutenção do calendário, 27,4% a favor da suspensão, e 10,4% não sabia ou não opinou. E, em terceiro lugar, estão os docentes: 57,1% preferem manter, 25,9% suspender, e 17% não sabia ou não opinou.  

Acesso a computador e internet

Preocupado com o acompanhamento das atividades por parte dos estudantes e dos servidores, o IFSC também perguntou a cada um dos públicos sobre os acessos que possuem a equipamentos como computador e à internet.

Entre os professores e técnicos-administrativos, 100% possuem internet em casa. Em torno de 54% tem internet fixa (cabo ou wi-fi) e 5% internet móvel (3G, 4G); e 42% tem internet fixa e móvel. No caso dos estudantes, 98,5% possuem internet em casa (62,5% fixa e 28% fixa e móvel) e apenas 1,5% não possuem. 

Na pergunta sobre os equipamentos, praticamente 99% dos três públicos possui smartphone. A maioria também possui notebook, mas o percentual cai para 92% nestas respostas (84% dos alunos, 99% dos professores e 95% dos técnicos possuem notebook).

Outros dois equipamentos foram incluídos na pesquisa: SmartTV e tablet. O primeiro está presente em 62% das casas de quem respondeu a pesquisa: 53% no caso dos estudantes, 67% nos professores e 66% nos técnicos. Já o tablet está em apenas 19% das casas de quem respondeu a pesquisa, sendo 11,6% nos lares dos alunos, 25,4% nos professores e 20,4% nos técnicos.

O que será feito com a pesquisa

Os diretores-gerais dos 22 câmpus e os gestores da Reitoria receberam extratos completos dos resultados da pesquisa para, em conjunto, decidirem estratégias que colaborem com a instituição no cenário de crise. Manter ou suspender o calendário acadêmico é uma decisão com prós e contra para o IFSC e sua comunidade. 

Veja no infográfico (imagem) uma análise possível desse cenário, construída colaborativamente por servidores de diversos câmpus e reitoria:

INSTITUCIONAL