Pular para o conteúdo

Notícias

Setec lança a edição 2020 da Plataforma Nilo Peçanha

INSTITUCIONAL Data de Publicação: 22 jun 2020 14:45 Data de Atualização: 25 jun 2020 14:43

A Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação (Setec/MEC) divulgou a versão 2020 da Plataforma Nilo Peçanha (PNP), que reúne informações estatísticas sobre as instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica. Os dados divulgados são referentes ao ano de 2019.

A nova versão da PNP registra um total de 44.724 matrículas no IFSC em 2019, uma queda de 11,1% em relação ao ano anterior. As unidades de ensino com mais matrículas foram o Câmpus Florianópolis (7.269), Cerfead (4.269) e Câmpus Criciúma (2.882). A instituição ofereceu 573 cursos em 2019 (-18,6% em relação ao ano anterior).

“Na medida em que vamos implantando os cursos técnicos e superiores previstos no POCV [Plano de Oferta de Cursos e Vagas], vamos ofertando menos cursos FIC e, portanto, tendo uma redução no total de cursos e matrículas”, explica o pró-reitor de Ensino, Luiz Otavio Cabral. O IFSC ofereceu 133 cursos de qualificação profissional/FIC a menos em 2020 na comparação com 2019, quando esse tipo de curso era responsável por 33,5% das matrículas. Em 2020, esse percentual caiu para 28,8%. Os cursos técnicos foram responsáveis por 38,1% das matrículas (era 35,5% no ano anterior), enquanto graduação somou 22,8% (era 22,3% em 2019) e pós-graduação, 10,2% (8,5% em 2019).

Os processos seletivos do IFSC abriram 27.949 vagas (-7,4%), com um total de 109.372 inscritos (+4,6%), resultando num índice candidato/vaga global de 3,91 (+13%). Foram 24.033 ingressantes em cursos do IFSC (-5,7%) e 10.537 concluintes (+0,1%).

A relação de matrículas por professor ficou em 27,9 (-2,8%) e o gasto corrente por matrícula ficou em R$ 13.861,06 (+1,1%).

Servidores

A Plataforma Nilo Peçanha traz também dados sobre servidores da instituição. Em 2019, o IFSC fechou com 1.623 professores (+1,1%), dos quais 47,7% tinham formação em nível de mestrado e 37,9% em doutorado. Os técnicos administrativos eram 1.153 (+0,8%), sendo a graduação (37,5%) e a especialização (31,7%) os níveis de formação mais comuns entre eles.

Quem foi Nilo Peçanha?

Nilo Peçanha, então presidente do Brasil, foi o criador da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica em 1909. Hoje, a Rede Federal tem cerca de 1 milhão de matrículas e 647 unidades de ensino, 38 institutos federais, dois centros federais de educação tecnológica, o Colégio Pedro II e 23 escolas técnicas.

A plataforma que leva o nome do ex-presidente foi criada em 2018. A edição 2020 foi a primeira com aplicação internalizada na infraestrutura do Ministério da Educação (MEC). A plataforma é um ambiente virtual de coleta, validação e disseminação das estatísticas oficiais da Rede Federal e tem como objetivo reunir os dados sobre corpo docente, técnico, discente e de dados financeiros das unidades que compõem essa rede, para fins de cálculos dos indicadores de gestão monitorados pela Setec. Os dados são públicos e acessíveis à sociedade.
 

INSTITUCIONAL

Nó: liferay-ce-prod03