Pular para o conteúdo

Notícias

Projeto do Câmpus Criciúma alia inovação na indústria a inserção profissional de estudantes

INOVAÇÃO Data de Publicação: 17 ago 2020 08:46 Data de Atualização: 17 ago 2020 12:03

Além da formação de qualidade, o Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) tem como missão promover a inovação e contribuir com o desenvolvimento regional, em articulação com os arranjos produtivos locais. No Câmpus Criciúma, um projeto desenvolvido no curso de Engenharia Mecatrônica promoveu esta integração entre academia e indústria, garantindo ainda a inserção profissional dos estudantes.

A partir da disciplina Projeto Integrador II, da sexta fase, na qual os alunos colocam em prática conhecimentos trabalhados no curso, cinco estudantes projetaram um equipamento para medir, de forma autônoma, a massa e a espessura dos biscoitos cerâmicos, como é chamada a massa prensada ainda sem tratamento térmico, que depois vai se tornar o porcelanato. Este procedimento hoje é feito de forma manual. O projeto foi desenvolvido em parceria com a empresa Eliane, de Cocal do Sul. Para implementá-lo, a empresa decidiu contratar dois alunos do grupo como estagiários.

O projeto foi desenvolvido ao longo do segundo semestre de 2019, pelos estudantes Julia Manenti, Maxsuel Teixeira, Roberta Gerhardt, Carolina Rosso e Ana Cristina de Castro, sob supervisão dos professores Vilmar Bristot e Philippe Pauletti. Durante quatro meses, os alunos realizaram uma série de visitas e reuniões com representantes da Eliane. Como um semestre letivo não representaria tempo hábil para a execução do projeto, ficou combinado que a empresa ofereceria duas vagas de estágio aos integrantes do grupo. Com a pandemia, a ideia teve de ser suspensa, mas foi retomada há algumas semanas. No último dia 10 de agosto, Júlia e Maxsuel, a dupla selecionada pela empresa, começaram o estágio.

“Sonho de qualquer estudante ver o teórico se concretizar. Agradeço a oportunidade à empresa (…) e todo o conhecimento e apoio ao IFSC, oportunidade que levo no coração”, escreveu Júlia em sua rede social profissional.

“Sabemos que enfrentaremos dificuldades, mas com foco, esforço e determinação, desejamos realizar o projeto com excelência para que a parceria continue e novos projetos possam surgir, contemplando mais estudantes. Obter um estágio na área de atuação do curso, estando nas últimas fases da graduação, com certeza trará grandes aprendizados e proporcionará uma visão mais completa da teoria, já que a mesma estará atrelada aos conhecimentos práticos. Será uma oportunidade de grande aprendizado”, projeta Maxsuel.

Redução de custos

A medição de massa e espessura dos biscoitos cerâmicos, para controle de qualidade do produto, é realizada em muitos casos de forma manual, por um operador da indústria, que retira a peça da linha de produção para realizar o procedimento. O bloco é suspenso por um sistema pneumático comandado manualmente por um operador, que precisa quebrar a peça para colocá-la na balança, anotando os dados manualmente e depois inserindo no sistema da empresa.

O equipamento projetado pelos alunos do IFSC, que será agora desenvolvido dentro da empresa Eliane, prevê a suspensão das peças da linha de produção por meio de um sistema pneumático autônomo, sem a necessidade de intervenção manual. Além disso, sensores farão as medições dos dados necessários, que serão transmitidos automaticamente para o sistema. A automatização vai agilizar o processo, reduzir custos e também otimizar a leitura dos dados.

“Com o equipamento projetado, será possível realizar essas aferições sem ocasionar a quebra do biscoito, gerado uma economia tanto financeira quanto residual. Através de cálculos, estima-se que a economia gerada, no período de um ano, é maior que o valor total do equipamento”, explica Maxsuel.

Para o professor Philippe Pauletti, dois aspectos são importantes no projeto dos alunos de Engenharia Mecatrônica: a inovação do equipamento em si e o processo que está levando ao seu desenvolvimento.

“O equipamento em si é interessante para a empresa devido à dificuldade de encontrar algo do tipo, com a tecnologia necessária e com o custo reduzido. Inovadora também foi a modalidade da execução do trabalho: estudos prévios em sala de aula, projetos, orçamentos e agora, a execução com a contratação de dois estagiários que foram autores do trabalho”, explica.

Inserção profissional

Em razão da pandemia de coronavírus, o IFSC alterou o termo de compromisso firmado com as empresas para a retomada do processo de encaminhamento de estudantes para estágios. A preocupação é garantir a segurança dos alunos e que as orientações das autoridades de saúde e do Ministério Público do Trabalho sejam cumpridas.

Professor da disciplina e também coordenador de Estágios do Câmpus Criciúma, Vilmar Bristot destaca a importância da integração entre a instituição de ensino e o setor produtivo, aliando inovação tecnológica e inserção profissional dos estudantes.

“Conseguimos realizar uma ligação entre uma disciplina do curso, uma empresa e também o setor de estágios. A disciplina de Projeto Integrador acaba sendo também uma possibilidade de realização de um estágio e, futuramente, a obtenção de uma vaga de emprego”, afirma.

ENSINO CÂMPUS CRICIÚMA INOVAÇÃO

Nó: liferay-ce-prod02