Pular para o conteúdo

Notícias

Comunidade José Mendes terá forno para produção de peças de argila

CÂMPUS FLORIANÓPOLIS-CONTINENTE Data de Publicação: 17 dez 2020 13:09 Data de Atualização: 28 dez 2020 14:17

Será inaugurado dia 19 de dezembro o forno coletivo para produção de argila na comunidade José Mendes. A construção faz parte do projeto Tekoá Taguá (terra de argila) desenvolvido na comunidade pelo Câmpus Florianópolis – Continente, com o objetivo de fomentar o turismo de base comunitária no local.

Uma das professoras coordenadoras do projeto, Claudia Hickenbick, explica que o objetivo da construção do forno é produzir peças de cerâmica inspiradas nas práticas de religiões de matriz africana na comunidade. “O bairro José Mendes talvez seja o lugar onde haja mais terreiros de religiões de matriz africana no Brasil. Precisamos checar isso, mas parece que em Santa Catarina é sim, o local com mais terreiros em relação ao tamanho do território”, afirma a professora Claudia. “Ao contrário do que geralmente acontece, de se ligar a cerâmica à cultura açoriana, estamos ligando à cultura afro, que é muitíssimo relegada aqui em Florianópolis”, completa. A intenção, em um segundo momento, é fazer o registro dos terreiros da comunidade como patrimônio cultural imaterial de Santa Catarina.

A construção do forno conta com a colaboração da professora Isabela Mendes Sielski, do Câmpus Florianópolis, especialista em cerâmica, além do apoio da comunidade. Os recursos para a construção do forno foram obtidos a partir de doações e arrecadações realizadas pelos membros do projeto e da comunidade. A partir de janeiro, haverá a organização para uso coletivo do forno. A ideia é realizar oficinas de cerâmica com os moradores da comunidade.

O pai de santo e líder comunitário Sulimar Vargas Alves, uma das lideranças locais do projeto, explica que a construção do forno trará vários benefícios à comunidade, como a possibilidade de produzir peças de cerâmica de melhor qualidade. Ele destaca o envolvimento comunitário: “Será um lugar onde as pessoas poderão obter conhecimento e formação para vir a confeccionar seus próprios utensílios religiosos”. Ainda não há planejamento sobre a futura comercialização da produção, mas segundo Sulimar, a comunidade está motivada com a evolução do projeto.

Saiba mais

O projeto Tekoá Taguá (terra de argila) faz parte do projeto Comunidade Tekoá, do Câmpus Florianópolis – Continente, um conjunto de projetos de extensão e pesquisa voltados para a preservação do patrimônio cultural e desenvolvimento do turismo de base comunitária. Também faz parte da Comunidade Tekoá o projeto Tekoá Pirá (terra de peixe), que resultou no título de Patrimônio Cultural de Santa Catarina para a pesca artesanal da tainha da praia do Campeche.

CÂMPUS FLORIANÓPOLIS-CONTINENTE

Nó: liferay-ce-prod01