Pular para o conteúdo

Notícias

Câmpus Gaspar vence prêmio A3P 2020 de melhores práticas de sustentabilidade

CÂMPUS GASPAR Data de Publicação: 18 dez 2020 17:35 Data de Atualização: 18 dez 2020 17:54

O Câmpus Gaspar do IFSC é o vencedor da categoria uso/manejo sustentável dos recursos naturais do prêmio A3P 2020 de melhores práticas de sustentabilidade. O resultado foi divulgado, nesta quinta-feira (17), em cerimônia realizada pelo Ministério do Meio Ambiente.

O projeto do Câmpus Gaspar inscrito para o prêmio foi “Protagonismo jovem: a pesquisa como ferramenta para uma formação cidadã”. “Neste case, apresentamos a relação que existe com o desenvolvimento dos projetos integradores do curso técnico integrado em Química e as temáticas ligadas à sustentabilidade e ao programa IFSC Sustentável. Nós fizemos um levantamento de todos os projetos que já foram realizados nos últimos anos e observamos que dos 109 projetos concluídos até 2019, 45 tinham como foco direto questões de sustentabilidade e 14 envolvem a gestão ambiental do próprio Câmpus. O que tem fortalecido o senso crítico dos nossos alunos e também contribuído para a melhoria do desempenho ambiental da instituição porque muitos desses projetos estão articulados com ações da Comissão de Gestão Ambiental do Câmpus. O prêmio foi construído a muitas mãos ao longo desses anos e nós reconhecemos e agradecemos todos os alunos que realizaram os projetos integradores nesta área, seus orientadores e todos os servidores que estão envolvidos nessas ações ambientais do Câmpus”, afirma a professora de Biologia do Câmpus, Graciane Pereira, que é também uma das integrantes da Comissão de Gestão Ambiental.   

Os outros dois projetos finalistas nesta mesma categoria eram “Bosque da Justiça” do Tribunal de Justiça do Estado do Acre e “BiogásFORT®: Inovação energética para agregação de valor de resíduos por meio da mobilidade com biometano” da Embrapa Suínos e Aves.  

O Prêmio A3P é um evento bienal, realizado desde 2009, que tem por finalidade reconhecer o mérito das iniciativas dos órgãos e instituições do setor público municipal, estadual e federal na promoção e na prática da Agenda Ambiental na Administração Pública (A3P). É uma iniciativa do Ministério do Meio Ambiente que busca estimular os órgãos públicos a implementarem práticas de sustentabilidade. 

A cerimônia de premiação está disponível no canal do Youtube do Ministério do Meio Ambiente, para acessá-la clique aqui.

Comissão de Gestão Ambiental do Câmpus Gaspar 

A busca por um Câmpus mais sustentável começou a ser pensada ainda em 2010 quando o Câmpus Gaspar foi inaugurado e montou a Comissão de Gestão Ambiental. Há 10 anos são emitidos relatórios anuais e promovidas uma série de ações para a promoção de uma melhor gestão ambiental. “A gente vem trabalhando para tentar incorporar a dimensão ambiental não só na esfera administrativa, mas também no ensino, pesquisa e extensão. Poucas instituições fazem o que a gente vem fazendo, que é envolver os alunos dos cursos integrados nestes projetos de pesquisa e extensão em que eles são motivados a buscar respostas dentro do contexto deles. Pode ser que ação não seja tão eficiente naquele momento, mas o impacto disso na carreira deles é enorme” avalia a professora Graciane Pereira. 

Entre os 45 projetos integradores que já foram apresentados e que tinham como temática a sustentabilidade, há uma série de pesquisas que buscam pensar em soluções para reduzir ou reaproveitar resíduos dos laboratórios e melhorar a gestão ambiental do Câmpus como o de auditoria energética. Nessa pesquisa foi feito o levantamento de consumo de energia nas salas de aula levando em consideração o número de lâmpadas e o de equipamentos utilizados. “Esse foi um trabalho realizado ao longo de um ano em que pudemos observar que o maior consumo de energia elétrica está associado ao uso dos aparelhos de ar-condicionado. Os alunos que realizaram a pesquisa propuseram uma série de ações como o de tentar diminuir o uso desses aparelhos em horários de pico, que é quando o quilowatt hora é mais caro”, explica o professor Bruno Menezes, coordenador da Comissão de Gestão Ambiental. 

Outro projeto que também foi orientado pelo professor Bruno foi o que fez uma estimativa para verificar o quanto o transporte dos servidores do Câmpus ao longo de um ano gera em termos de produção de gases de efeito estufa. “Como uma medida compensatória a quantidade de CO2 emitida por ano foi feito o plantio de mudas no Câmpus e uma série de ações de conscientização junto aos servidores como de organizar caronas solidárias.” 

O Câmpus conta ainda com uma série de projetos como o do bueiro inteligente, que tem um cesto feito de ferro galvanizado que funciona como um filtro e evita que a boca do lixo fique entupida, que envolvem não só os alunos e servidores, mas a comunidade externa. São três bueiros inteligentes instalados ao longo de toda a rua em que fica localizada o Câmpus. “Hoje o Câmpus Gaspar é visto como uma referência nesta área na região, quando alguém quer montar uma horta, por exemplo, sabe que nós temos um Núcleo de Estudos em Agroecologia e Produção Orgânica do Médio Vale (Neavi) e há uma série de escolas e de empresas que nos procuram para falar sobre esses temas. Dizer que nós somos sustentáveis é um pouco ousado, mas a gente sempre está buscando ser”, afirma a professora Graciane Pereira. 
 

CÂMPUS GASPAR