Pular para o conteúdo

Notícias

Saúde na terceira idade: projeto do técnico em Enfermagem valoriza estilo de vida na prevenção do infarto agudo do miocárdio

CÂMPUS JOINVILLE Data de Publicação: 21 dez 2020 14:45 Data de Atualização: 21 dez 2020 16:17

Em 2025, o Brasil terá a sexta maior população idosa do mundo, com uma estimativa de 32 milhões de pessoas com idade acima de sessenta anos. A ampliação da expectativa de vida projetada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) traz junto um desafio: melhorar a qualidade de vida da população idosa. Foi neste sentido que as estudantes Janaina Carla Jovita Ndilli, Lainara Americo da Silva e Natieli Castro Santos desenvolveram o projeto integrador (PI) “Doenças cardíacas na terceira idade com ênfase no infarto agudo do miocárdio (IAM)”.

O objetivo das alunas do curso técnico em Enfermagem do Câmpus Joinville foi planejar ações preventivas, com foco no estilo de vida da população idosa, que podem ser realizadas por técnicos em enfermagem em suas áreas de atuação na atenção básica. O projeto integrador contou com a orientação das professoras Vanderléia Muller Duarte e Anna Geny Batalha Kipel.

Antes do decreto da pandemia de Covid-19 e da suspensão de atividades presenciais, especialmente com grupos de risco, a intenção era aplicar o projeto em grupos de idosos de três igrejas de Joinville. Por meio de rodas de conversas, seriam realizadas a explicação do que são as doenças cardíaca, a análise do conhecimento e das práticas dos participantes e dinâmicas de valorização de atividades físicas e da boa alimentação como hábitos saudáveis de prevenção.

Como o projeto integrador precisou ser adaptado, o grupo elaborou um material educativo com estas informações, a fim de favorecer a qualidade de vida dos idosos de forma prática. A cartilha traz a conceituação do que é o infarto agudo do miocárdio, os fatores de risco, sintomas e prevenção. “Dentro do grande grupo de doenças cardiovasculares, as doenças isquêmicas do coração são as causas mais recorrentes de óbitos em idosos e o infarto é a causa mais comum, tanto em homens quanto em mulheres”, justifica Lainara.

Estilo de vida x infarto

O infarto agudo do miocárdio é a morte das células de uma região do músculo do coração devido à formação de um coágulo que interrompe o fluxo sanguíneo. Segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia, a principal característica do infarto é a dor de longa duração e intensidade, localizada na região precordial, subesternal ou epigástrica, que pode irradiar para outras partes do corpo, como ombro, braço esquerdo, pescoço e mandíbula.

Já que as principais causas do infarto são a hipertensão arterial, o histórico familiar, estresse e colesterol alto, as estudantes enfatizam que características comportamentais, constitucionais, socioeconômicas e culturais têm ligação direta com o infarto. “O único fator de risco que não pode ser alterado é a hereditariedade. Mas os outros são fatores modificáveis, como tabagismo, sedentarismo, alcoolismo e falta de alimentação saudável e de atividade física”, explica Janaina.  Ela lembra que a hipertensão, por exemplo, é o problema mais comum entre idosos. “A falta de controle da pressão arterial e frequente entre 60% e 80% das pessoas desta faixa etária”, relata.

Conforme constatações do grupo, o sentido de qualidade de vida para os idosos abrange muitos significados, porém, a saúde e o bem-estar para eles são elementos primordiais. “Para os idosos, a saúde pode ter um significado de autonomia e independência, valores que quando somos jovens não damos tanta importância. Por isso, realizar este projeto nos fez perceber o quanto a enfermagem pode auxiliar e cuidar das pessoas da comunidade. Incentivar a alimentação saudável e a prática de atividades físicas, por exemplo, podem fazer toda diferença na prevenção de inúmeras doenças, especialmente do infarto agudo do miocárdio”, ressalta Natiele.

CÂMPUS JOINVILLE PESQUISA

Nó: liferay-ce-prod01