Pular para o conteúdo

Notícias

Projeto do Câmpus SLO elabora cartilha e constrói colméias para incentivar a polinização realizada pelas abelhas

ENSINO Data de Publicação: 27 mai 2021 10:42 Data de Atualização: 28 mai 2021 13:08

Um projeto integrador do curso técnico em Agronegócio do Câmpus São Lourenço do Oeste do IFSC elaborou uma cartilha sobre a criação racional de abelhas sem ferrão Jataí. O principal objetivo foi de levar informação sobre a importância da polinização para os ecossistemas e a agricultura, além de conscientizar a comunidade sobre o atual problema do declínio das abelhas como agentes polinizadores, em especial as abelhas nativas sem ferrão.

O projeto foi desenvolvido pela estudante Karina Inês Scapini, sob a orientação da professora Daiana Schmidt. Na cartilha é explicado de forma resumida e objetiva desde a importância da polinização, seus benefícios, conscientização da preservação das abelhas, morfologia, ciclo de vida e criação racional da abelha Jataí, até a prática da meliponicultura em seus vários aspectos. Consulte a cartilha aqui.  

O trabalho ainda propôs a construção de um meliponário didático no Câmpus São Lourenço do Oeste (veja as fotos). A estrutura poderá auxiliar nas aulas práticas de zootecnia das turmas do curso técnico em Agronegócio. As colméias do meliponário também poderão trazer benefícios, por estarem localizadas junto ao espaço da horta do Câmpus, às plantas ali cultivadas, assim como nos arredores, por meio da polinização.

Aluna e professora afirmam que a polinização é um fator de grande importância na produção em várias culturas agrícolas. A perda de uma espécie de abelha polinizadora pode reduzir ou mesmo extinguir espécies vegetais. Dentre estes insetos polinizadores, se destacam as abelhas nativas sem ferrão. A polinização por estas abelhas tem destaque em ecossistemas naturais e agrícolas, sendo capazes de polinizar 30% a 90% da flora nativa.

Karina espera, além de levar informação para os leitores, que poderão desenvolver práticas agrícolas sustentáveis ao praticar a meliponicultura, contribuir para a disseminação destes agentes polinizadores na natureza, capazes de conduzir, mesmo que de maneira lenta, para um futuro melhor.

ENSINO CÂMPUS SÃO LOURENÇO DO OESTE

Nó: liferay-ce-prod02

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Leia Mais.