Pular para o conteúdo

Notícias

Clube do Livro do IFSC: encontro de junho discute Clara dos Anjos, de Lima Barreto

EXTENSÃO Data de Publicação: 07 jun 2021 16:31 Data de Atualização: 07 jun 2021 16:47

“Clara dos Anjos”, escrita por Lima Barreto, é a obra de junho do Clube do Livro do IFSC. O encontro será no dia 25, às 16h, em plataforma virtual e aberto a todos os interessados. As inscrições on-line devem ser feitas aqui. O livro digital está em domínio público e pode ser acessado aqui.

A primeira versão de Clara dos Anjos é de 1904, em forma de conto. Mais de quinze anos depois, Lima Barreto retoma esse enredo que vem à público em forma de romance. É a história de sedução de uma moça suburbana, filha de um carteiro e de uma dona de casa.

“Trata-se da história de vida de muitas vizinhas ou conhecidas, vítimas da falta de uma educação mais esclarecedora, voltada mais para a formação de uma mulher independente, capaz de se defender, de compreender o que está acontecendo. Aos olhos de hoje, essa proposição do autor soa óbvia. Mas não só não foi óbvia à época como não é hoje, haja vista o histórico de gravidez precoce em nosso país, e a prostituição nas capas dos jornais”, conta a professora de língua portuguesa Gabriela Cassilda Hardtke Böhm, que será a mediadora do encontro.

Doutora em Literaturas pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), com tese sobre Lima Barreto e Evaristo Carriego (O avesso das metrópoles: o subúrbio em Evaristo Carriego e Lima Barreto), Gabriela é professora da rede estadual, na Escola de Educação Básica Dr. Otto Feuerschuette, em Capivari de Baixo, e frequentadora assídua do Clube do Livro do IFSC. “Como toda obra de Lima, Clara dos Anjos é tristemente atual e necessária para nos darmos conta de que, em muitos aspectos, vivemos como há cem anos, caso o leitor ainda não esteja convencido desse fato”, complementa.

A importância dos clássicos

Clássicos da literatura brasileira, Clara dos Anjos e demais livros do autor podem assustar à primeira vista ou à primeira leitura, principalmente os adolescentes, o que não significa que devam ser excluídos da lista de leituras importantes. “Na minha visão, os clássicos precisam ser oferecidos em doses homeopáticas por meio de uma mediação mais elaborada. Pode-se começar pelas boas adaptações, pelas graphic novels e, então, migrar para os textos curtos e os romances”, sugere professora Gabriela.

Nesse sentido, Gabriela conta que a obra de Lima Barreto oferece inúmeras possibilidades, pois ele produziu crônicas, contos e textos de mais fôlego. “Além disso, a indústria editorial tem feito o seu papel, já que o escritor, enfim, foi lembrado como um dos primeiros porta-vozes do subúrbio no Brasil, como uma das vozes subalternas mais fortes na primeira metade do século XX.”

A mediadora comenta que as obras de Lima Barreto desnudaram um Brasil que “luzia” travestido de Paris, como se o país fosse só o centro do Rio de Janeiro do início do século XX. “Sem firulas, direto, irônico, seu olhar sobre a cidade e o país de então é o de um suburbano que não tolerava a hipocrisia, os favorecimentos, o racismo”, caracteriza Gabriela, lembrando que foi essa voz de um injustiçado que “brada” sem medo de ser inconveniente que a atraiu desde o curso de graduação.

Próximos encontros

Organizado pelas Bibliotecas do IFSC, o Clube do Livro virtual foi uma das estratégias adotadas depois da suspensão das atividades presenciais para enfrentamento da pandemia de Covid-19, em março do ano passado, para adaptar os inúmeros projetos de incentivo à leitura realizados nos câmpus. Confira a programação do Clube do Livro para os demais encontros do ano e planeje suas leituras:

  • 25/06 | Clara dos Anjos - Lima Barreto
  • 23/07 | Quarto de despejo - Carolina Maria de Jesus
  • 27/08 | Capitães da Areia - Jorge Amado
  • 24/09 | Fahrenheit 451 - Ray Bradbury
  • 22/10 | Ciranda de pedra - Lygia Fagundes Telles
  • 26/11 | Grande sertão: veredas - João Guimarães Rosa
EXTENSÃO

Nó: liferay-ce-prod03