Pular para o conteúdo

Notícias

Curso de Gestão de Turismo forma 1.ª turma do IFSC com a extensão 100% curricularizada

CÂMPUS FLORIANÓPOLIS-CONTINENTE Data de Publicação: 22 jun 2021 17:07 Data de Atualização: 23 jul 2021 10:29

"Foi uma experiência inesquecível e transformadora. Fez com que eu saísse totalmente da minha "bolha" e vivenciasse uma realidade muito diferente." O depoimento é da recém-formada no Curso Superior de Gestão de Turismo, Gabrielly Atkinson Brinckmann, sobre a participação em um evento de extensão realizado no Distrito Federal, em uma comunidade originada a partir de uma ocupação de catadores no que já foi considerado o maior lixão a céu aberto da América Latina.

O envolvimento dela com uma comunidade não é exceção, pelo contrário, todos seus colegas que se formaram neste mês de junho participaram de atividades de extensão enquanto estudavam no IFSC, seja em projetos como o de Gabrielly ou em atividades ligadas ao turismo e à cultura. A primeira turma formada pelo curso do Câmpus Florianópolis-Continente é também a primeira do IFSC a ter a extensão totalmente curricularizada. Isso significa que durante a trajetória desses estudantes, 10% da carga horária do curso foi direcionada para a participação em projetos de extensão relacionados aos componentes curriculares. 

A coordenadora do curso Superior de Gestão de Turismo, Fabiana Calçada de Lamare Leite, afirma que a curricularização mostra aos estudantes o vínculo entre a academia e a sociedade e vai além do cumprimento das questões legais de exigência curricular. "Percebi que os estudantes se veem como protagonistas das ações, como resultado do que eles estão realizando. Isso reflete na autonomia do aprendizado e no engajamento com a atuação prática do curso. Eles começam a enxergar demandas e oportunidades para seu crescimento acadêmico e profissional vinculadas à realidade do entorno." 

Como funciona a curricularização

Ela explica que o curso tem duas unidades curriculares de extensão dentro do Projeto Pedagógico do Curso - uma na fase 2, com 60 horas, e outra na fase 6, com 120 horas. Além do que está previsto do PCC, Fabiana ressalta que entre 2018 e 2020 foram muitas as oportunidades de participação em outras atividades e projetos de extensão. Entre eles, evento sobre misticismo da Ilha da Magia, Mostra de artesanato, Concurso Fotográfico, Turismo Receptivo na Fortaleza de São José da Ponta Grossa (em parceria com o Curso de Guia de Turismo), Censo IFSC 2020 e Perfil do Curso de Gestão de Turismo no Instagram.

Estudantes que participam de projetos do IFSC entre a fase 2 e a fase 6 ainda conseguem validar essas carga horária. "A maioria dos formados desta primeira turma chegou à fase 6 sem precisar da carga horária da unidade por terem participado de outros projetos que se sentiram envolvidos, se engajaram", explica.

"Experiência para a vida"

Foi o caso da Gabrielly. Para ela, a forma como se envolveu no projeto Extensão Brasil, em 2018, fez toda diferença para sua trajetória pessoal e profissional. "Ter a extensão na curricularização do curso de Gestão de Turismo foi imprescindível para que eu vivesse tudo o que vivi em Brasília. Ficamos dez dias em uma escola da comunidade, desenvolvendo atividades das áreas da extensão, como cultura, direitos humanos, meio ambiente, saúde e educação. E além de levarmos atividades para os estudantes, a gente se tornou um ombro amigo com quem eles podiam contar e brincar. Ouvimos relatos chocantes de violência, bullying, abusos sexuais e outros crimes. É uma realidade que não estamos acostumados, mas está ao nosso redor. Chocou mais ainda ver que é um lugar esquecido pelas autoridades, mesmo estando tão próximo da capital federal."

Saiba mais sobre a curricularização

O processo de curricularização da extensão no IFSC foi deflagrado em 2015 e busca potencializar o envolvimento de estudantes em atividades curriculares institucionais. Esse envolvimento se dá com a orientação de servidores(as) do IFSC, focado na interação dialógica com os diversos setores da sociedade. Nesse sentido, implantar a extensão nos currículos significa afirmar que, em algum momento da vida acadêmica, o(a) estudante precisa se envolver com atividades de extensão relacionadas aos componentes curriculares do curso.

A demanda de adequação curricular é emergente no contexto de implantação e cumprimento do Plano Nacional de Educação – PNE e da resolução do Conselho Nacional de Educação – CNE, nº 07 de 2018, que aponta as diretrizes nacionais para a extensão. O PNE 2014 – 2024 apresenta vinte metas para a educação brasileira a serem cumpridas durante a vigência do plano. Uma das estratégias apontadas é “assegurar, no mínimo, 10% do total de créditos curriculares exigidos para a graduação em programas e projetos de extensão universitária, orientando sua ação, prioritariamente, para áreas de grande pertinência social”. 

Saiba mais na página da curricularização da extensão no IFSC.

Seminário nacional abre inscrições

Estão abertas as inscrições para o Seminário Nacional de Curricularização da Extensão da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (SENCE Rede Federal). O evento será realizado de forma on-line dias 30 de junho e 1º de julho, a partir das 15h. As inscrições são gratuitas. Clique aqui e saiba mais.

 

EXTENSÃO CÂMPUS FLORIANÓPOLIS-CONTINENTE

Nó: liferay-ce-prod01

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Leia Mais.