Pular para o conteúdo

Notícias

Egressa do IFSC é aprovada em universidades de Inglaterra, EUA e Holanda

ENSINO Data de Publicação: 23 jun 2021 15:29 Data de Atualização: 28 jun 2021 08:37

Egressa do curso técnico integrado em Edificações do Câmpus Criciúma, a estudante Laura Dagostin Zanatta está de malas prontas. Em setembro, ela parte para a Holanda, onde vai seguir os estudos na área da Construção Civil, agora na Universidade de Twente. É a realização de um sonho de estudar no exterior, conquista em que o IFSC teve um papel importante.

Obstinada, Laura participou do processo seletivo de 26 universidades nos Estados Unidos, Reino Unido e Holanda. Foi aprovada em quatro instituições londrinas e “três ou quatro” norte-americanas, além da universidade holandesa, que era a mais desejada e a fez até cancelar a aplicação nas demais universidades, antes de sair o resultado.

De acordo com Laura, a grade curricular do curso técnico em Edificações e a possibilidade de participar de uma bolsa de pesquisa, desenvolver projeto técnico na área e apresentar trabalho no Seminário de Ensino, Pesquisa e Extensão do IFSC (Sepei) foram fatores que contribuíram para que ela se destacasse nas seleções.

“Desde o oitavo ano (do Ensino Fundamental) eu já pensava em estudar fora. Mas achava que não daria certo, porque para passar tem que se destacar entre os outros candidatos, e seria preciso um currículo bom e atividades extracurriculares. Quando entrei no IFSC, vi que havia o próprio currículo do curso, ligado à Engenharia Civil, a bolsa de pesquisa, já que as atividades extracurriculares são as que mais valem, tive oportunidade de apresentar o resultado dessa pesquisa no Sepei, desenvolver o projeto integrador. Tudo isso ajudou a me destacar, porque mostrou que eu tinha experiência na área, um pouco a mais do que os outros candidatos”, afirma.

O processo seletivo para ingresso em universidades do exterior envolve a realização de provas, exames de proficiência inglês, análise curricular, produção textual sobre objetivos e interesses do estudante e também cartas de recomendação de professores. Para isso, Laura contou com ajuda de docentes que participaram da sua formação no Câmpus Criciúma: a professora de Matemática Sandra Bastianello, hoje aposentada, o professor Cleidson Rosa Alves, da área de Edificações, o professor Anderson Muller, orientador de projeto de pesquisa desenvolvido por Laura, e a professora de Inglês, Sheilar Nardon.

“A Laura sempre se destacou muito, com notas muito altas. E uma iniciativa diferenciada é que ela sempre foi prestativa com os colegas, pelo alto nível de inglês que tinha. E muito determinada. Todo o interesse em procurar as universidades, se inteirar sobre os processos de submissão, foi dela”, conta a professora, que redigiu em inglês uma carta de recomendação sobre Laura. “Entre as características que descrevi, foi a determinação da Laura, o fato de ser muito à frente da idade, muito madura e responsável, além de muito interessada no que queria”, completa.

A viagem de Laura está marcada para setembro. Além de gostar da Holanda, a escolha pela universidade se deveu à facilidade que ela teria para morar no país, já que possui cidadania italiana, e também pelo fato de a universidade ser referência na área da Construção Civil. Após formada, ela pretende seguir vivendo, trabalhando e pesquisando na Holanda.

ENSINO CÂMPUS CRICIÚMA INSTITUCIONAL

Nó: liferay-ce-prod01

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Leia Mais.