Pular para o conteúdo

Notícias

Estação Inverno: saiba como garantir o consumo do pinhão de forma segura o ano todo

CÂMPUS CANOINHAS Data de Publicação: 07 jul 2021 17:15 Data de Atualização: 08 jul 2021 14:09

Frio e pinhão. Eis uma combinação perfeita do inverno que muita gente gostaria de prolongar um pouco mais. Pelo menos o pinhão.  Acontece que, em Santa Catarina, a safra de pinhão começa somente em 1º de abril, com a liberação autorizada de colheita, transporte e comercialização da semente. E a perecibilidade e sazonalidade de produção restringem a comercialização do pinhão in natura até o mês de agosto.

Neste período de safra, as sementes da araucária servem como alimento tanto pra gente quanto para animais silvestres, em especial roedores, pequenos macacos e pássaros. E, da nossa parte, o que nos falta em tempo para desfrutar desta delícia sobra em criatividade para transformar o tradicional pinhão cozido ou sapecado na grimpa em pratos incrementados e repletos de sabor, como entrevero, paçoca, farofa, carreteiro e outras combinações gourmetizadas. Até cerveja de pinhão já inventaram.

Mas você sabia que não é só de saudades que se vive no período de entressafra? Mestre e doutora em Ciência e Tecnologia de Alimentos, a professora Cleoci Beninca, da área de Alimentos do Câmpus Canoinhas, atua em pesquisas de caracterização e aplicação de amido de pinhão e tem dicas bacanas e importantes para prolongar a “vida útil” do queridinho do inverno para além da estação, e de forma segura para o consumo.

Como fazer para conservar o pinhão por mais tempo? Professora Cleoci conta que a primeira etapa é a seleção manual das sementes, removendo aquelas visivelmente danificadas, contaminadas por fungos, brotadas e com outras sujidades. “É importante verificar a aparência da casca, pois quanto mais intacta estiver, mais tempo a semente poderá ser armazenada”, explica. Na sequência, vem a higienização.

E quais são os passos para a higienização correta? Para reduzir a contaminação natural presente nas cascas, professora Cleoci recomenda a sanitização das sementes com água clorada, na proporção de uma colher de sopa (10 ml) de água sanitária em um litro de água. Os pinhões devem ficar imersos de molho por quinze minutos. As sementes que boiarem devem ser descartadas, pois geralmente foram atacadas por praga e apresentam a presença de larvas. Após a sanitização, as sementes precisam ser enxaguadas em água corrente.

Já está pronto para guardar? Ainda não. Após as etapas de limpeza e sanitização, as sementes podem ser utilizadas imediatamente. Mas caso deseje armazenar o pinhão por mais tempo, é necessário realizar a secagem das cascas. A etapa pode ser feita em temperatura ambiente por 24 horas ou com auxílio de papel absorvente. De forma rápida, a secagem pode ser no forno a 50 °C por quarenta minutos. Pinhão seco, é só guardar. “O armazenamento da semente deve ser realizado em ambiente arejado, de baixa umidade relativa, na ausência de luz e calor do sol e longe do contato com pragas e outros animais”, enfatiza a professora.

Tem como congelar? Professora Cleoci explica que, sim, o pinhão pode ser refrigerado ou congelado, mas é importante que seja depois da seleção e sanitização das sementes. A refrigeração (2 a 10°C) aumenta a vida de prateleira das sementes in natura de alguns dias para até três meses. Já o congelamento (temperaturas menores que -18 °C) prolonga esse período para oito meses ou mais. Ou seja, dá pra guardar pinhão desta safra até a colheita do próximo ano. Em ambos os casos, basta colocar as sementes em sacos plásticos, e identificar com data, para não passar do prazo.

Já pensou em fazer farinha de pinhão? Embora parte dos consumidores desconheça, depois de sanitizado, o pinhão também pode ser transformado em farinha. Ela é obtida a partir do descascamento, remoção da película interna, secagem, moagem e peneiramento. A farinha também pode ser obtida a partir das sementes previamente cozida. A dica é triturar bem no liquidificador, por cerca de cinco minutos, e depois secar no forno em temperatura baixa. E atenção: já que não temos como garantir um controle de qualidade do produto feito em casa, é importante manter a farinha congelada para poder usar sempre que quiser na elaboração de pães, broas, tortas, biscoitos e outras adaptações culinárias.

CÂMPUS CANOINHAS

Nó: liferay-ce-prod03

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Leia Mais.