Pular para o conteúdo

Notícias

Biocraft: jogo desenvolvido no Câmpus SMO auxilia no aprendizado de Biologia

CÂMPUS SÃO MIGUEL DO OESTE Data de Publicação: 13 jul 2021 20:15 Data de Atualização: 14 jul 2021 08:01

Um projeto do Câmpus São Miguel do Oeste do IFSC desenvolveu um ambiente de jogo na plataforma Minecraft para auxiliar no processo de ensino-aprendizagem de Biologia. O game se passa no interior do próprio câmpus e aborda a temática da Microbiologia - ciência que estuda os micro-organismos como fungos, bactérias e vírus - por meio de modelos demonstrativos e questionários. Além de permitir a interação de um jogo, o Biocraft, nome dado ao projeto, faz o usuário sentir-se dentro do ambiente escolar, possibilitando matar a saudade da instituição que os estudantes não frequentam há mais de um ano devido à pandemia da Covid-19.

Saiba como baixar e acessar o jogo aqui.

A ideia surgiu a partir de uma avaliação de livre criação, realizada no ano passado na unidade curricular de Biologia 1, nos cursos técnicos integrados ao ensino médio em Eletromecânica, Alimentos e Agropecuária, no Câmpus São Miguel do Oeste. Depois da explicação do conteúdo, a professora Luciana Senter desafiou os estudantes a expressar o aprendizado sobre ciclo e divisão celular de formas criativas. 

Entre as avaliações entregues pelas três turmas, como animações, vídeos, histórias em quadrinhos, mapas mentais, dublagens, entre outras, a que mais chamou a atenção da professora Luciana foi a representação do conteúdo em ambiente Minecraft. Ela, então, que é microbiologista, convidou os estudantes Daniel Finatto da Chaga e Emmanuel Filippi, responsáveis pelo trabalho, para elaborarem a plataforma do game na área de Microbiologia.

“O Biocraft foi uma maneira de estudar que juntou o dinamismo e a diversão, já que durante as aulas não presenciais participar de jogos digitais na rede era constante entre os alunos do IFSC Câmpus São Miguel do Oeste. Nesse horizonte, o contato através dos jogos tornou-se um facilitador em vista da impossibilidade de interação física com os demais colegas”, destaca a professora Luciana.

Desenvolvimento

Além do tempo necessário para a pesquisa e elaboração do projeto, a construção do ambiente do jogo levou em torno de sete meses. Os estudantes atuaram de forma voluntária. “O projeto não contou com financiamento para sua elaboração, contudo, através de um projeto de pesquisa (Edital didático-pedagógico 19/2020-2), foram angariados os valores utilizados para pagar a hospedagem do BioCraft na plataforma, para que esse jogo pudesse ser disponibilizado aos estudantes dentro e fora da instituição”, explica a professora Luciana.

Assim, o jogo vai ficar disponível ao público até fevereiro de 2022 e, a partir daí, serão necessárias novas fontes de recursos para custear a hospedagem do servidor Minecraft.

Também foi criado um canal no YouTube, chamado de BioCraft, que conta com tutoriais que explicam como baixar e acessar o jogo, além de vídeoaulas gravadas pela professora para fundamentar o conteúdo e os jogadores poderem responder aos quizzes.

Feedback

O Biocraft foi socializado com os estudantes das turmas dos segundos anos dos cursos técnicos de nível médio do Câmpus SMO, que estudaram o conteúdo no ano passado. De acordo com a professora Luciana Senter,  “o uso desse jogo em sala de aula foi avaliado como um diferencial capaz de auxiliar o ensino e aprendizagem na Microbiologia, possibilitando a construção coletiva do conhecimento. Assim, podemos afirmar que o feedback recebido foi positivo. O projeto também resultou em um artigo de relato de experiência que foi submetido para publicação”, afirma.

A equipe envolvida no projeto é composta por quatro integrantes do Câmpus São Miguel do Oeste. São eles: os estudantes Daniel Finatto da Chaga e Emmanuel Filippi, a professora de Biologia Luciana Senter e a pedagoga Jacinta Lúcia Rizzi Marcom.

CÂMPUS SÃO MIGUEL DO OESTE AVISOS

Nó: liferay-ce-prod03

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Leia Mais.